terça-feira, 30 de junho de 2015

Resenha: A Promessa da Rosa - Babi A. Sette

Resenha: A Promessa da Rosa - Babi A. Sette
Classificação: Infinitamente Perfeito ♥ Favorito
Editora: Novo Século
Skoob

Sinopse: A Promessa da Rosa - Babi A. Sette
A Promessa da Rosa - Século xix: status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.
Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e sim, pela a única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e enorme teimosia: o seu coração.

Kathelyn Stanwell vai sempre estar em casa quando mergulhar em seu coração... e eu também! Sinto que essa vai ser uma daquelas resenhas, aquelas que por mais que se fale, se escreva, nunca vai se chegar perto do quanto se sentiu lendo a obra. A promessa da Rosa foi uma leitura indescritível, estava com as expectativas lá no alto, esperava muito da obra, como já conhecia o trabalho da autora Babi, já esperava me emocionar, porém, NADA me prepararia para essa história. 

Foi tão gostosa, tão envolvente, me quebrou, no começo achei que ia seguir a receita dos meus tão amados romances históricos, que apesar de apaixonantes são meio que previsíveis, então comecei a ler e fui me apaixonando, me inspirando, me deixando levar pelos personagens, deixando esses protagonistas me puxarem pelas mãos e me contarem suas histórias, tudo lindo e maravilhoso, leitora feliz, apaixonada e suspirando pelos quatro cantos da casa e aconteceu... aquele desespero, aquela agonia, aquela sensação que se tudo não der certo na história, nada mais importava, e então, leitora com o coração partido, com a alma na mão, sofrendo pelo livro e com o livro! Só quem ama ler é que sabe que esse sentir, essa emoção, esse desespero não tem preço, porque fazer uma pessoa desconhecida, se entregar ao ponto de se envolver tanto com uma história é uma tremenda arte!

A promessa da Rosa foi uma arte! Um livro escrito com uma delicadeza que deixa a gente pobres mortais com os olhos cheios de água quando lendo... e como chorei, fazia tempo que não chorava tanto de emoção ao ler uma obra, acho que o último que me despeitou tanto, foi Princesa Mecânica da divosa Cassandra Clare! Falando em autoras, a minha preferida de época, acho que não é surpresa para ninguém é a nossa grande Julia Quinn, a rainha, e bato palmas para Babi A. Sette, porque ela superou a minha rainha, nem Julia tinha me feito tão desesperada lendo uma obra! 

Agora que deixei claro minha declaração de amor por essa linda história, vamos ao nosso enredo:

Kathelyn Stanwell é uma alma livre, uma moça do século XIX, que é amarrada e podada pelas convenções sociais, como dizem: status, vestidos, carruagens e bailes nunca foram a prioridade dessa jovem, ela é uma artista, uma mulher que ama opera, que ama cantar, que morre de paixão por estudar mitologias, principalmente a Grega, onde Ártemis é sua musa, então quando conseguiu ir ao seu segundo baile, da sua temporada de estreia como dama da sociedade, sim, ela só foi em dois, pois aconteceu UM pequeno acidente que a deixou de castigo por quase toda o seu debute, Kathe só queria arrombar o escritório do dona da casa para admirar seus artefatos antigos, mesmo podendo ser pega e acabar com sua reputação, e lá nesse baile de máscaras, depois de um arrobamento de uma porta com uma forquilha, tipo, um grampo de cabelo, que Kathe conhece Arthur Horold, acha que o homem é um mercenário, ou um pirata, olhando para sua fantasia negra, e seus olhos profundo, o homem parece um Gavião negro, e ela, moça que é uma admiradora e não uma ladra, a sua caça! 

Ai como me diverti, acho que tenho que deixar claro como foi divertido também, como me pegou as trapalhadas desse mocinha, mas continuando...

Após o encontro que ambos se deixaram levar pela paixão, Kathe foge do homem e mais tarde acaba descobrindo que seu Gavião negro é sim, um DUQUE, uma duque que tudo pode, o mais alto status, ele é o nono duque de Belmont.
Arthur a quer, mas sabe que se a forçar não vai nunca conseguir que Kathe vire sua duquesa, a nossa linda e idealista mocinha quer casar por amor e é por amor que ela acaba se apaixonando por esse duque, que mesmo com um contrato já assinado com o Conde pai de Kathe, a corteja e a conquista, mas ai vem tudo que me destrói, ops... destrói esse amor, e entre invejas, TRAIÇÕES e vingança, o amor tem que LUTAR muito para vencer! 

Kathe no inicio da nossa história é uma menina linda, uma menina doce, sonhadora, que quer o mundo, que inspira com seu olhar pela vida, que conquista pela autenticidade, e a risada, as gargalhas fora de hora, e nos apaixonada pelo seu amor por tudo que é vivo e bonito!
Belmont é... nossa! O homem! Bonitão, CHARMOSO, com aquela voz rouca e baixa, sexy e sedutor como o inferno! Um mocinho apaixonado, mas desconfiado! Sinceramente muito de todo o sofrimento da obra teria sido evitado se esse duque tivesse mais confiança nas pessoas e principalmente se confiasse nas pessoas certas!
E se for falar sobre bons personagens, temos um grande desfile quando olhamos para os personagens secundários! A autora soube desenvolver tão bem tanto os principais como os secundários, que não vou ousar citar por conta de não falar demais!

Kathe fala sobre as aparências e como a sociedade é ingrata e errada, Belmont fala sobre prioridades, sobre quando se é criado para se ser uma coisa, ele um duque, dá muito valor a tudo aquilo, mas será que ser um duque, com as sociedades e as portas abertas vai lhe fazer feliz? 

Bem... Entre risos e choros.... e muita emoção...

A Promessa da Rosa foi tão amor para mim que se pudesse daria um para cada um dos meus leitores aqui e mais um para cada um dos meus conhecidos, pois é uma história tão maravilhosa e emocionante que merece ser conhecida por todos!  Não é todos os autores que posso agradecer por não conhece-los, mas a Babi A. Sette eu posso, então, deixo aqui nessa resenha o meu muito obrigada, para essa autora, porque eu não to exagerando, foi uma leitora mais que maravilhosa, mais que inspiradora, mais que apaixonante, os momentos de amor e paixão entre Kathe e Belmont, os momentos que tudo deu errado e que eu queria gritar e chorar, os momentos que não aguentei e não sabia se limpava meu óculos nublado ou lia, que não queria parar por nada, que só queria entrar na história e bater em um, ou em outro e logo depois queria abraçar e beijar e fazer que todos se acertassem, bem... isso nunca vai ter preço algum, então autora, obrigada por criar isso tudo tão brilhantemente e me fazer sonhar, mergulhar no meu coração e na alma dos seus personagens! 

Recomendadíssimo! Uma obra para se ler com paixão! 

Paula Juliana

segunda-feira, 29 de junho de 2015

[No mundo mágico das cores...] Surtando na pintura apresenta... Resenha: Livro de colorir: Meu Refúgio Perfeito - Adriana Marto!

[No mundo mágico das cores...] Surtando na pintura apresenta... Resenha: Livro de colorir: Meu Refúgio Perfeito - Adriana Marto!



Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Gente
Skoob



Vamos colorir a vida?!

''Só há duas maneiras  de viver a vida. A primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse milagre.''

Meu Refúgio Perfeito é encantador! Muito mais que um simples livro de colorir é inspirador! 

Amei, é lindo demais meu povo, as ilustrações são lindas, ele é pequeninho, podemos levar para todo o lugar, a proposta é que não temos lugar para se encontrarmos com nós mesmos. Com beleza, colorir o branco e ler frases e mensagens bonitas de pensadores e filósofos, Meu Refúgio Perfeito é um cantinho perfeito mesmo!

''É parte da cura o desejo de ser curado.''

Espero que gostem dos meus momentos perfeitos!



Livro de colorir: Meu Refúgio Perfeito - Adriana Marto
Livro de colorir: Meu Refúgio Perfeito - Quantas vezes você não desejou poder fugir de todo o caos que está a seu redor? Desligar-se e ter um momento só seu, no qual teria toda a liberdade para desenhar os sonhos, os desejos e as ideias guardados há tempos dentro de você? Algo assim só seria possível num lugar mágico, como este livro em suas mãos. Com ilustrações belíssimas de Adriana Marto e frases dos maiores pensadores e filósofos da história, nestas páginas você encontra mais do que um refúgio: descobre um novo jeito de enxergar a vida, dando-lhe mais cor e encontrando frases e inspirações que podem mudar a sua vida.
- Dê cor às belezas que estão a seu redor e que muitas vezes passam despercebidas. 
- Tenha momentos únicos dedicados exclusivamente a criar algo próprio. 
- Mergulhe na melhor terapia antiestresse que você poderia encontrar. 
-Carregue este pequeno paraíso aonde quer que vá. Descubra a inspiração que falta à sua rotina nas páginas desta edição! Argumentos de venda: 
- O mercado editorial vive um boom com livros que estimulam a criatividade. Meu refúgio perfeito é voltado para os aficionados por obras como Meu jardim secreto. 
- O livro tem o formato ideal para ser levado a todos os lugares, o pedaço de paraíso para estar sempre com você! 
- A obra traz ilustrações de uma grande artista brasileira acompanhadas por mensagens daqueles que mudaram o pensamento da humanidade e nos inspiram até hoje.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

[Informativo] Lançamentos NOVO CONCEITO de Junho!!!!!

[Informativo] Lançamentos NOVO CONCEITO de Junho!!!!!


 Eu Te Darei o Sol
Autor(a): JANDY NELSON
Gênero: Drama
Nro Páginas: 384
ISBN: 9788581636467


Sinopse:
Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.

Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.


Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.



 O Álbum - Timothy Lewis


 O Álbum
Autor(a): Timothy Lewis
Gênero: Romance
Nro Páginas: 240
ISBN: 9788581637365

Sinopse:
Para Adam, negociante de objetos usados, a casa de Gabe Alexander é apenas uma propriedade que será esvaziada e vendida pelo maior lance. Entretanto, em meio às prateleiras repletas de relíquias, um álbum antigo atrai sua atenção. Nele há cartões-postais amarelados pelo tempo, escritos ao longo de 60 anos. Intrigado, Adam começa a lê-los: eles estão cheios de frases românticas e delicadas, as provas do amor incondicional entre Gabe e Pearl Alexander.

Gabe cuidava para que um cartão chegasse às mãos de Pearl todas as sextas-feiras. Cada um deles possui não apenas um poema, mas verdades preciosas sobre o cotidiano de um casal que viveu um sonho. A soma de todas essas verdades talvez responda perguntas que Adam se faz há muito tempo.


Timothy Lewis escreve livros e peças de teatro. Professor de Escrita Criativa, ele é também locutor profissional, poeta, ator e compositor. A inspiração para O ÁLBUM veio dos cartões-postais trocados por seus tios-avós durante 60 anos. Timothy vive no Texas com sua esposa.


Tocando as Estrelas - Rebecca Serle


 Tocando as Estrelas
Autor(a): Rebecca Serle
Gênero: Romance
Nro Páginas: 224
ISBN: 9788581637334

Sinopse:
Quando Paige Townsen deixa de ser uma simples aluna do ensino médio para se tornar uma celebridade, sua vida muda do dia para a noite. Em menos de um mês, ela troca as ruas da sua cidade natal por um set de filmagens no Havaí e agora está conhecendo melhor um dos homens mais sexies do planeta segundo a revista People. Tudo estaria perfeito se o problemático astro Jordan Wilder não fincasse o pé em uma das pontas desse triângulo cinematográfico. E Paige começa a acreditar que a vida, pelo menos para ela, imita a arte.

Rebecca Serle é meio viciada em notícias sobre o mundo do entretenimento e sabe tudo sobre a vida das celebridades. Ela escreve sobre a série Vampire Diaries no site Vulture. Já morou no Maui e em Los Angeles, e hoje vive em Manhattan.


Paula Juliana

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Resenha: Quando o amor e o destino se encontram - Izabel Gomes

Resenha: Quando o amor e o destino se encontram - Izabel Gomes
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Petit Editora
Skoob

Sinopse: Quando o amor e o destino se encontram - Izabel Gomes
Quando o amor e o destino se encontram - Numa trama amorosa, onde o amor de posse se registra de uma encarnação à outra, Violeta arquiteta um plano para eliminar a neta e Sofia, a babá, para obter o que deseja. 
Um enredo dinâmico e repleto de ensinamentos, que prenderá o leitor para descobrir sobre os misteriosos sonhos da babá, que unem o passado e o presente dos membros de seu ciclo afetivo em um desfecho emocionante!

'' ... Não se pode dar algo a quem não está disposto nem preparado para receber, da mesma forma que não podemos cobrar daquele que não está em condições de nos dar.''

Inspirador! Essa é a palavra que poderia descrever essa leitura para mim. 
Gostaria primeiramente de deixar bem claro que essa é uma obra espírita, e também que foi o meu primeiro contato com a literatura, costumava a ter um pé atrás, achando que esses romances eram piegas e que só lia quem era ''carola'' e ficava o tempo todo falando de Deus! Preconceito meu, não podia estar mais enganada, o romance que li não só me fez abrir os olhos do que é a doutrina espírita, como admirar a prática, curtir o romance, a história, me envolveu e me seduziu, ainda me fez terminar com uma sensação muito boa de conforto, segurança, bem estar e fé! Quando o amor e o destino se encontram é uma obra que vou levar com muito carinho para minha vida!

''Embora muitas vezes não consigamos recordar as orientações recebidas em sonho, ao despertarmos, guardamos a intuição de muito do que nos foi inspirado ou aconselhado, o que nos ajudará a resolver nossas questões pessoais.''

Sofia é uma bela e determinada jovem! Ela trabalha e estuda, sabe o que quer de seu futuro e sua vida, em comparação, sua mãe, acha que tudo isso é uma perda de tempo, que a moça, está jogando sua juventude fora estudando enfermagem, dedicando seu tempo ao trabalho para se manter, e ao trabalho voluntário em hospitais, ela acha que Sofia devia estar procurando um bom marido que lhe ofereça conforto e segurança, uma boa vida.

Quando Sofia tem a oportunidade de trocar de emprego e trabalhar de babá da doce menina Mariana, ela não esperava que fosse essa uma mudança de vida, e que isso tivesse algo haver com os sonhos recorrentes que vinha tendo!

Sofia revivia enquanto dormia uma trágica história de amor do século 19, que a mocinha do sonho sempre acabava morta, sempre de inúmeras maneiras sangrando muito, com alguma ferida em seu ventre! Ela busca saber o que está acontecendo! Quem são aquelas pessoas? O que aqueles sonhos significam? Com a ajuda de sue tio Breno, um estudioso e curioso sobre espiritualidade, Sofia pode desvendar todo o mistério! 

''Então, no dia seguinte, quando Sofia e Mariana brincavam juntas no quarto da menina, sem que ela percebesse, Elizabete estava ao seu lado e inspirou-lhe uma nova ideia.''

Mariana é uma menina que acaba de perder a mãe, vivendo com seu pai na casa da temida vó, a garota irá ter que contar com a nova babá Sofia para lhe proteger de Violeta, mãe de Mário, pai de Marina, Violeta é uma mãe obsessiva com Mário, morre de ciúmes do filho, até com a própria neta, com a morte de Elizabete, mulher de Mário, Violeta vê a oportunidade de ter seu filho todo para ela, e quando Sofia a nova e bela babá vai trabalhar na casa da família, Violeta faz de tudo para que o filho nunca conheça a moça! O que começa com simples cartas, pode se devolver para algo mais, e agora Violete?!!! 

Entre a história de Sofia, seus sonhos e todo mistério que cerca os mesmos e esse família conturbada, o amor e destino se encontram, e nos dão uma bela e envolvente história, onde futuro, passado, vidas e mortes, podem ser muito mais que começos e fins! 

''... com ajuda dos espíritos superiores foi esclarecido que os sofrimentos e as adversidades que suportamos na vida corporal são consequências de nossas imperfeições, ou seja, são expiações de faltas cometidas na presente existência ou em existências anteriores.''  

Realmente me apaixonei pela história, pelo enredo, pelos personagens, já tinha lido outro livro da autora, mas nenhum como esse e nenhum que mostrasse tão bem algumas coisas que sempre tive dúvida, sobre o que os Espíritas falam sobre a morte, sobre os espíritos obsessores, sobre a mediunidade, sobre as missões de vida, as provas aqui na terra e como o modo como levamos a vida e a vemos pode ter um significado muito maior do que sabemos.  

A autora ainda aborda temos como o preconceito, a própria menina Mariana, tem paralisia, a Violeta, avó que é a grande vilã, se fossemos coloca-la em uma categoria, comete atos que são moralmente errados, acredito que em qualquer cultura, ou religião, por ser realmente maldosa, falamos de drogas, dos vícios da beleza e do superficial! 

É realmente uma obra muito rica, que eu poderia ficar aqui falando sobre inúmeros temas que achei nos diálogos, ações e histórias, tanto as do presente, como as do passado nos sonhos!
Como de costume, me apaixonei mais por um secundário do que pelo próprio protagonista que era realmente um fofo, Bernardo, amigo de Mário, realmente me conquistou, quem sabe não venha um livro dele por aí?

'' - Linda? - debochou Violeta, dando sonora gargalhada logo em seguida. - Como pode chamar uma boneca negra dessas de linda? Ela é negra! É horrorosa, isso sim!''

Indico Quando o amor e o destino se encontram para quem tem curiosidade sobre a doutrina Espírita, ou e também para quem quer ler um ótimo romance, é um livro para se ler com o coração aberto e tirar dele tudo de bom que conseguir, porque é muito rico de inúmeras formas! Só tenho que agradecer a Izabel Gomes por ter me feito me perder em suas 400 páginas e ainda pedir por mais! Recomendadíssimo! 
Destino e vidas entrelaçadas que se cruzam em nome do amor! Leiam!

''- Sou mesmo deficiente física, mas sou feliz, e a minha paralisia não faz mal a ninguém. Enquanto a deficiência da senhora é na alma. Por isso, é infeliz e não se incomoda em fazer mal aos outros.''

Paula Juliana

[No mundo mágico das cores...] Surtando na pintura apresenta... O mundo encantado das cores - Butterfly Editora!

[No mundo mágico das cores...] Surtando na pintura apresenta... Resenha: O mundo encantado das cores - Butterfly Editora!


O mundo encantado das cores - Butterfly Editora
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Skoob
http://www.editorabutterfly.com.br/

Coluna novinha aqui no blog, para mostrar esses lindos livros de colorir que estão pirando a cabeça da moçada! Recebi em parceria com a Editora Butterfly o livro lindo: O mundo encantado das cores! Me diverti pintando, ainda estou colorindo, nessa resenha vou dividir algumas das minhas ''obras'' com vocês e um pouco de como é o livro por dentro!

Gostei muito das mandalas, das flores, dos animais, são realmente desenhos gostosos de colorir, sem falar que temos muitas frases de pensadores, pensamentos bons de se ler enquanto se pinta! 

Logo no começo de O mundo encantado das cores a editora mostra um tipo de carta de apresentação muito legal, falando sobre o ato de colorir, o que psicólogos falam e os benefícios da prática!  

Bom... entrei nessa gostosa onda, O mundo encantado das Cores é lindíssimo, espero que vocês gostem também!


O mundo encantado das cores - Butterfly Editora
O mundo encantado das cores traz para você a oportunidade de redescobrir o prazer de imaginar e criar.
São diversas imagens com temas variados: animais, flores, mandalas, borboletas, pessoas, objetos e figuras abstratas. 
Com essas imagens, selecionadas com muito carinho e impressas em papel de alta qualidade, você poderá fazer lindos quadros ou até mesmo presentear com uma de suas pinturas quem você ama.
E cada imagem é acompanhada de um pensamento, para você refletir enquanto colore.
Escolha suas cores preferidas e descubra um mundo de possibilidades.
Seja bem-vindo ao mundo das cores!



O Livro por dentro:


Minhas ARTES:


Paula Juliana

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Resenha: Há muito o que contar....aqui - A. L. Kennedy

Resenha: Há muito o que contar....aqui - A. L. Kennedy
Classificação: 4,5/5
Editora: Primavera Editorial
Skoob

Sinopse: Há muito o que contar....aqui - A. L. Kennedy
Há muito o que contar....aqui - A história de um homem que foi piloto de um bombardeiro da Força Aérea Britânica durante a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, em 1949, ele participa como figurante num filme em que revive sua experiência de prisioneiro de guerra. Ou seja, por meio da ficção (do filme), Alfred repensa sua realidade, o que acarreta uma auto investigação sobre o estrago psicológico que sofreu durante a batalha, por não conseguir se ajustar à perda dos companheiros de tripulação e à distância da mulher amada. Sua vida antes e depois da guerra é caracterizada pela influência do pai violento e da condição social de pertencer à classe operária. A autora usa três diferentes vozes de narradores como um artifício para forçar os leitores a se incluir na narrativa.

'' Você podia evitar algumas lembranças, se evadir delas, mas ainda assim elas o assombrariam.''

Liberdade!

A liberdade existe quando uma pessoas se encontra pressa dentro de si mesma? Há muito o que contar....aqui, realmente conta muito, conta sobre o auto conhecimento humano, conta sobre superação, conta sobre os horrores de um homem que sobreviveu a Segunda Guerra Mundial, um homem que sobreviveu ser prisioneiro de Guerra, e que depois teve que descobrir como VIVER novamente, como superar seus problemas, superar seus medos, e aceitar sua história!

''E o fato de ter de pensar, por si só, não ajudava em nada, mas mesmo assim você era obrigada a pensar o tempo todo.''

Alfred Day, mais conhecido como Chefe, mesmo nunca tendo sido Chefe de nada, é um cara aparentemente normal, não é nenhum bonitão, com sua baixa estatura, seus um metro e sessenta e dois, ele é calvo, um pouquinho avantajado na cintura e agora deixou seu bigode crescer! 

''Qualquer um poderia te abandonar.''

É aviador da Força Aérea Britânica, ex-prisioneiro de guerra, mesmo com sua posição de ''artilheiro da torre de cauda'', isso é, o cara que fica atirando na casinha embaixo da cauda do avião, uma das posições mais perigosas de se ter na guerra, Alfred sobreviveu a Segunda Guerra Mundial, sobreviveu a ser prisioneiro naquela época negra, e mesmo comendo tudo que tem pela sua frente e dormindo muito mal todas as noites, ele está vivo. Não que ele realmente quisesse viver, agora quase seis anos depois da guerra ter acabado, Chefe está enfrentando seus demônios interiores, e por mais que pareça estranho, está participando como figurante de um filme sobre a Segunda Guerra e seus campos de prisioneiros. 

O livro viaja entre o passado de Guerra do Chefe, suas experiências no campo de batalha, seus companheiros, seu capitão, e o presente, seu momento, seus sentimentos, emoções, e tudo que acontece quando ele revive certos fatos em meio a ficção do cinema.

''É isso mesmo. Eu fui um bom garoto. Eu matei, roubei e usei grandes palavras, mas nunca fumei e fui um bom garoto. Que rapaz bonzinho eu fui.''

Alfred achava que sabia das coisas, autodidata, estava acostumado a aprender sozinho em seus livros e achou que isso bastaria, quando partiu para a Guerra achou que estava preparado, mas a guerra pode mudar e mexer com a cabeça de um homem, dificilmente ele sai o mesmo que entrou, ser prisioneiro também não ajudou, ele agora quer se recuperar, quer sair do abismo, sentir novamente, se sentir vivo.
A autora conta a historia de Day com muita sensibilidade, estamos direto na cabeça desse homem, que viaja pelas suas lembranças e revive seus traumas, Chefe dividi com o leitor muito mais que sua história, ele dividi tudo que resta, tudo que tem e tudo que vai descobrir existir dentro de si novamente, mesmo que se encontre em um lugar um tanto inusitado!  

'' Você tem sido e não tem sido. Você não faz e não fez.''

Há muito o que contar....aqui  é um tremendo drama, uma ótima história para se ler com o coração aberto, aqui não vai se encontrar um romance avassalador, ou vilões e grandes mocinho, o próprio protagonista briga com esse bem e esse mau que existe dentro de si, tem que conviver com o que fez, com as mortes que causou. Indico A. L. Kennedy e sua gostosa escrita para os leitores que amam viajar pela Segunda Guerra mundial, e que gostam de desvendar a profundidade da alma de um personagem! Recomodadíssimo! 

''O infinito aprecia as guerras, ele permite que elas surjam.''

Paula Juliana

terça-feira, 23 de junho de 2015

Resenha: Sequestrados - Robert Crais

Resenha: Sequestrados - Robert Crais
Classificação: 5/5 
Editora: Companhia editora nacional
Skoob

Sinopse: Sequestrados - Robert Crais
Sequestrados - Quando Nita Morales contrata Elvis Cole para encontrar sua filha desaparecida, ela não está com medo, mesmo tendo recebido um telefonema pedindo resgate. Ela sabe que é uma farsa, que sua filha está com o cara que Nita chama somente de “aquele garoto” e que eles precisam de dinheiro. Mas ela está errada. A moça e o namorado foram sequestrados por bajadores – bandidos que se aproveitam de outros bandidos, profissionais da fronteira que se aproveitam não só de vítimas inocentes, mas um do outro. Eles roubam drogas, armas e pessoas – comprando e vendendo vítimas como mercadorias, e matando aqueles que não geram negócio. Elvis Cole e Joe Pike encontram o local onde o casal foi sequestrado. Há marcas de pneus, cápsulas de balas e manchas de sangue. Eles sabem que as coisas podem não ser tão ruins quanto parecem. Mas eles também estão errados, porque a situação está prestes a piorar. O próprio Cole é sequestrado quando, à paisana, localiza os dois jovens e tenta compra-los de volta. E agora cabe a Joe Pike refazer os passos de Cole, infiltrando-se no duro e perigoso mundo do tráfico de pessoas para encontrar seu amigo.
O problema é que pode ser tarde demais...

'' - Coiotes comem frango.''

Vocês sabiam que Pollo em espanhol significa frango, e que essa é a palavra que bandidos, que sequestram pessoas nas fronteiras usam para designar suas vítimas? Porque Coiotes comem frango, e essas pessoas para eles não são nem humanas... O que eu não sabia é que iria descobrir uma coisa dessas lendo um suspense policial, um senhor romance policial diga-se de passagem! Sequestrados de Robert Crais me aprisionou nesse domingo cinzento, me desculpem o trocadilho - não resisti!  

''Disse a mim mesmo que valia a pena. Disse a mim mesmo que não tinha escolha. Menti para mim e sabia que estava mentindo, mas escolhi acreditar nas mentiras.''

É o segundo livro do autor que tenho o prazer de ler e novamente curti muito!
Crais tem uma escrita muito legal, ele é super envolvente, porém, esse não é o seu diferencial, já consegui perceber que o autor é meio maluco, o que achei genial, essa obra dele me lembrou muito um filme do Tarantino que assisti, sabem Pulp Fiction? Onde Tarantino manda a ordem Cronológica dos fatos para o espaço e faz uma tremenda bagunça na história? Foi assim que me senti lendo Robert Crais, ele pega o enredo, nos apresenta alguns fatos logo de cara, e começa a mesclar tudo até o fim da obra! 

'' Pike nunca ouviu vozes ou viu o que eles viam, mas aprendeu  pelo que procurar. Para isso também era preciso paciência para encontrar o que se procura. Joe Pike era paciente.'' 

Sem falar na narração, temos o personagem principal, que é Elvis Cole, esse detetive que nos conta a história em primeira pessoa, narrador personagem, é obvio que a narração não vai ficar só com Cole, temos partes narradas também por Pike e Jon Stone, detetive e mercenário, nessa ordem e Krista e Jack os personagens que foram sequestrados inicialmente, e esse povo tem suas partes narradas em terceira pessoa, narrador observador!

Sentiram a loucura que é ler Crais?! Então, vamos ao enredo!!!! 

''Algo ruim aconteceu aqui. 
Alguém morreu aqui.
E os atiradores levaram o corpo.''

Nita Morales vai procurar o detetive Cole para investigar o paradeiro de sua filha, ela recebeu uma ligação muito estranha dizendo que a filha tinha sido sequestrada, mas não acreditou, achou que eles, isso é, ela e o namorado, que a mãe não aprova, estavam sem dinheiro e tentando aplicar um golpe nela. Porém, Dona Nita estava enganada, e Cole logo descobre quando vai até o último lugar que o casal foi visto e percebe que eles podem ter caído em uma tremenda furada! 

'' - Você tem visto as notícias sobre as covas em massa encontradas ao sul da fronteira?''

Krista e Jack estão na fronteira dos EUA e do México, namorando, aquele lugar onde os casais vão para curtir, só que eles não esperavam me meter no meio de bajadores e serem sequestrados por esses bandidos... '' que se aproveitam de outros bandidos, profissionais da fronteira que se aproveitam não só de vítimas inocentes, mas um do outro. Eles roubam drogas, armas e pessoas – comprando e vendendo vítimas como mercadorias, e matam aqueles que não geram negócio.''

Agora cabe a Cole e seu amigo e também detetive Pike descobrir onde está esses jovens e os levarem para casa... como nada é fácil e lidar com tráfico de pessoas é mais difícil ainda, Cole é sequestrado e agora Pike que é O MELHOR dos melhores  tem que achar seu amigo, mesmo que precise de reforços! 

''Jon fez uma concha com as mãos em volta da boca e gritou o mais alto que pode: 
- BEIJEM MEU RABOOOO!
Lá longe, no desfiladeiro abaixo, outra voz respondeu:
 - Cala essa porra de boca, idiota!
Jon Stone riu, pelado, ali no quintal, olhando uma cidade dourada de cima. Então entrou para se vestir.''

Por reforços conhecemos Jon Stone, o mercenário, que é um dos melhores personagens da obra! 

Bem... o que falar dessa leitura? Foi muito bom, não é o melhor suspense policial que li na minha vida, mas me prendeu por umas oito horas seguidas, entrei em uma de descobrir o que ia acontecer, de ir montando a ordem dos fatos, que quando vi estava mergulhada na história, que tem muita ação, é de tirar o fôlego, é uma ação muito joia, do tipo que a gente consegue mesmo imaginar detalhadamente, e fica com medo pelos ''mocinhos'', além de abordar um tema muito sério, que é bem pouco explorado em livros, pelo menos, não vi muitos, o tráfico de pessoas!
Ainda para quem pensa que vai achar um livro pesadão, vai se surpreender, pois tem um ótimo humor, um humor até meio negro mesmo, mas muito agradável de se ler e balancear com a tensão do enredo!

'' - E se o seu amigo não conseguir nos encontrar?
- Ele vai. Há certas pessoas que nunca deixam você na mão.''  

Indico Sequestrados para os fãs de um bom Suspense Policial, pessoas que gostam de obras diferentes, que gostam de montar quebra-cabeças e amam bons personagens, daqueles que não são exatamente os bons garotos, mas que torcemos e vibramos como se fossem! 
Robert Crais é um tremendo autor, deu um banho de criatividade e profissionalismo nessa obra! Recomodadíssimo!  
  
''...Agência do detetive Elvis Cole. O maior detetive do mundo...''

Paula Juliana

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Resenha: Deserto de ossos - Chris Bohjalian

Resenha: Deserto de ossos - Chris Bohjalian
Classificação: 4/5 
Editora: Companhia editora nacional
Skoob

Sinopse: Deserto de ossos - Chris Bohjalian
Deserto de ossos - Em 1915, o massacre de milhares de armênios perpetrado pelos turcos tingiu para sempre as areias do deserto sírio com o sangue e os ossos de uma civilização inteira. Em meio a esse cenário desolador, Armen Petrosian, um jovem engenheiro armênio que perdeu a esposa e a filha, e Elizabeth Endicott, uma rica jovem americana, se apaixonam. Mas antes de assumir o que sentem, eles se separam quando Armen se alista no exército britânico e Elizabeth vai trabalhar como voluntária. Ambos testemunharão atrocidades que os marcarão para sempre antes que possam se reencontrar. Quase um século depois, às vésperas do centenário do genocídio, a neta do casal, Laura, embarca em uma jornada pela história de sua família, descobrindo uma história de amor, perda e um delicado segredo que ficou soterrado por gerações.

'' - Como um milhão e meio de pessoas morrem sem que ninguém saiba?''

Alguns livros nos levam para belos lugares, e a lindas e românticas histórias de amor, alguns nos levam para lugares sombrios, onde o grande mau veja maior que um simples vilão, nos levam a histórias e a tempos que nunca conseguiríamos ir sozinhos, lugares que em sã consciência nunca iriamos! Como leitora, tenho uma fascinação por livros que falam sobre guerras, sobre opressões, obras que me tiram da minha zona de conforto, do meu mundinho feliz, é dolorido ler sobre alguns fatos, algumas realidades que abrangem essa atmosfera mais negra, Deserto de ossos do autor Chris Bohjalian é assim, ele fala sobre guerra, morte, sobre horrores, tendo como pano de fundo o massacre de um milhão e meio de civis mortos, de Armênios mortos,  o genocídio de 1915. A grande catástrofe!  

 '' Mais uma vez ela não estava preparada para tamanha beleza em meia a tanta dor.''

O grande cenário histórico é a Primeira Guerra Mundial, 1915, no deserto sírio, onde um milhão e meio de Armênios foram assassinados pelos Turcos, é engraçado como a gente conhece muito sobre a Segunda Guerra Mundial, e acaba deixando a Primeira meio de lado, já li muitos livros com o cenários da Segunda Guerra, o mesmo quanto a filmes, toda parte do Nazismo, e superioridade Alemã e tudo o mais, e nunca tinha percebido como eu tinha visto poucas coisas sobre a Primeira Guerra, então lendo essa obra, eu tive uma bela noção histórica daquela época, o livro foca bastante no lado sombrio e sanguinário do que estava acontecendo em Alepo e Der-el-Zor, foca muito no preconceito religioso, racial, social, os Turcos no caso queriam acabar com todos os Armênios, queriam acabar com a raça por assim dizer, foi uma época muito feia, muito desumana. 

Em Deserto de Ossos Laura conta a história de seus avôs, um século depois perto do centenário do genocídio, a neta do casal Elizabeth e Armen, que é escritora, vai descobrindo e fica obcecada pelas coisas que vai achando do passado de seus avôs e escreve um livro contando essa tremenda história.

Laura narra alguns trechos em primeira pessoa, conta sobre sua infância, sua família, sua história, e como chegou ao ponto de escrever sobre seus avôs, mas quando a história volta para o passado é intercalado com um narrador observador relatando tudo sobre Elizabeth e Armen.

''Meu marido não conhecia os detalhes da história deles até então; eu também não. Uma vez que descobrimos a verdade, anos mais tarde, ele mudaria de ideia sobre se eu tinha autoridade moral para explorar o horror particular de meus avós. Porém, eu já estava obcecada pela história  e ninguém podia me parar.''

Elizabeth é americana, se voluntariou para uma missão humanitária, chegando a Alepo começa a ver os horrores da guerra e a ajudar da melhor maneria que consegue, distribuindo alimentos junto de seu pai, ajudando como enfermeira doentes, auxiliando principalmente mulheres e crianças, e é lá que ela conhece Armen, uma Armênio de grandes olhos que é um jovem engenheiro, acabou de perder sua esposa e filha durante a deportação em massa e está em uma missão de vingança.    

''Ela conta para ele que sente enjoo no mar. Que prefere gatos. Que gosta de Dickens. Ela fala e fala, pois sempre que fica em silêncio se pega olhando para ele e isso a faz perder um pouco o fôlego.''

Mesmo no meio da feiura da guerra os dois acabam se apaixonando, mas antes de entrarem realmente em uma relação são separados e cada um tem que lidar com os horrores que aparecem no seus caminhos. 

''- Vocês armênios têm olhos bem grandes - Helmut diz, quase ignorando o retorno de seu colega de quarto. - Especialmente algumas das garotas. Olhos redondos enormes. Você deve saber disso. Eles parecem absorver tudo, de bom e de mau. E seus olhos não são exceção.''

A parte física da obra é linda, a capa, o capricho das folhas, letra, realmente impecável. 

O enredo me comoveu, gostei muito da parte histórica mesmo, é um livro que foi bem pesquisado, bem enriquecedor, gostei dos personagens, e o desenvolvimento que tiveram ao longo da leitura tantos os protagonistas, como Laura também que acaba contando sua própria história, e com partes da sua infância e família, deixando tudo mais leve, os personagens secundários eram ótimos, alguns tão bons que realmente roubavam a cena, a doce menina Hatoun e sua cabeça de boneca Alice, a forte enfermeira Nevart, o ''príncipe'' Ryan... 

O autor tem uma escrita deliciosa, achei que ia ser extremamente sofrido ler sobre o genocídio e claro que foi um pouco, mas não tão quanto eu esperava, a história é sutil, não tem descrições horrendas, mais sim fatos, ele coloca tudo que tem que colocar no enredo, não apela em momento algum e eu gostei muito disso. 
O romance é presente, mas não senti sendo o grande foco, temos toda uma história envolvendo aquele casal, mas não é aquele apelo romântico, ou sexy que encontramos em alguns romances históricos, é muito mais focado em uma grande história, e em intercalar várias vidas, destinos e situações!  

O mais marcante de tudo para mim foi o sofrimento das mulheres e crianças Armênias, o que faziam com elas e também a visão dos ''Deuses'' naquilo tudo, tem uma cena que acontece uma coisa horrível, e então tem duas pessoas de crenças diferentes, e no diálogo, um deles cita, isso é com o ''meu Deus ou com o seu'', isso foi bem marcante no enredo, fora outras coisitas que não posso falar aqui!      

''...estou com medo agora, porque comecei, novamente, a sonhar com um futuro.''

Gostei muito da leitura, gostei de conhecer Chris Bohjalian, é uma obra madura, bem desenvolvida, faltou um tiquinho de romance romântico para mim, mas essa não era a proposta da obra afinal, Deserto de ossos cumpriu muito bem seu papel, é um livro forte, uma história marcante e com personagens muito bons, que fala de fatos terríveis de uma maneira clara, sem apelar, sem ser grotesco, de uma forma chamativa, chocante, contando a vida, o amor desse casal, seus segredos, a história de gerações de uma família.

Preconceitos, fé, a realidade de um Deserto de ossos!  

''De qualquer modo, a resposta curta para aquela primeira pergunta - Como um milhão e meio de pessoas morrem sem que ninguém saiba? - é realmente simples. Você as mata no meio do nada.''


Paula Juliana

domingo, 21 de junho de 2015

[Informativo] Lançamentos Grupo Pensamento - Editora Jangada e meus desejados no mundo da literatura de Junho/2015!

[Informativo] Lançamentos Grupo Pensamento - Editora Jangada e meus desejados no mundo da literatura de Junho/2015!


Lançamentos do mês de Junho - Grupo Pensamento - Editora Jangada:
CULTRIX
- Você Pode Curar a si mesmo, de Dra. Julie Silver
- Entre Deuses e heróis, de David Mulroy
PENSAMENTO
- O Último Papa, de Robert Howells
 JANGADA
- A Odisseia de Tibor Lobato – O Oitavo Vilarejo, de Gustavo Rosseb
- Origem, de J.T. Brannan
SEOMAN
- Casa Versace, de Deborah Ball


Meus desejados no mundo da literatura de Junho/2015:

Lançamentos Novo Conceito:


Primavera Editorial:


O Livro dos Negros conta a história de Aminata Diallo, uma das personagens femininas mais fortes e marcantes da ficção contemporânea. Aminata foi sequestrada, ainda criança, na África, e vendida como escrava na Carolina do Sul.Após a Revolução Americana, ela foge para o Canadá e escapa da vida de escrava para tentar uma nova história em liberdade. O livro traz uma história que nenhum ouvinte e nenhum leitor esquecerão. O nome “O Livro dos Negros” se deu devido ao documento histórico, mantido por oficiais navais britânicos, ao fim da Revolução Americana. O documento oficializou os negros que serviram ao rei na Guerra e fugiram para Manhattan, no Canadá, em 1783. Apenas os negros que estivessem no Livro dos Negros poderiam escapar e conseguir sua liberdade.Aminata Diallo percorre toda uma longa trajetória com a finalidade de conseguir entrar no livro dos negros e conquistar sua liberdade.A obra, marcante e inesquecível, tornou-se uma miniserie de sucesso nos Estados Unidos. Dirigida e escrita por Clemente Virgo (The Wire) e protagonizada pela atriz Aunjanne Ellis e Cuba Gooding Jr., vencedor do Oscar em 1996.

Editora Charme:


Editora PandorgA e Editora Petit:


Única Editora, Editora Seguinte e Companhia Editora Nacional:


E terminando esse super post com minhas artes do lançamento da Editora Butterfly:


Apaixonada pelo belo kit! Obrigada!!!!

Paula Juliana

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Resenha: A Herdeira - A Seleção # 4 - Kiera Cass

Resenha: A Herdeira - A Seleção # 4 - Kiera Cass
Classificação: 5/5 ♥ Favorito  MARAVILHOSO
Editora: Seguinte
Skoob

Sinopse: A Herdeira - A Seleção # 4 - Kiera Cass
A Herdeira - No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.


''— Você não tem receio de ser autoconfiante demais?
— Não. É o que sou. E não pretendo esconder nada de você.
Havia algo de quase assustador na presença dele, mas gostei da coragem de ser verdadeiro.''

A sensação de terminar uma obra de Kiera Cass NÃO TEM PREÇO! A Herdeira foi uma leitura indescritível como todos os livros da autora, bons demais, para conseguir descrever todas as emoções em simples palavras! Aquele aperto no coração, aquela sensação de quero muito mais, aquele sentimentos de não, por favor não acabe, foi tudo tão rápido! Todos os livros da autora são de tirar o fôlego e tenho que confessar que estava morrendo de medo dessa obra, de me decepcionar, de não ser tão boa quanto os primeiros livros, afinal, mudamos de personagens principais, temos uma nova perspetiva da história, um novo começo, novas emoções, mas uma coisa continua a mesma... a delícia que é ler essas histórias, o turbilhão de sensações e sentimentos e o amor pelos personagens que te conquistam tão profundamente! 

''— Então, se a ideia é tomar um chá antes do jantar — ele disse, aparecendo ao meu lado —, de que tipo de chá a princesa mais gosta? — perguntou, tomando um gole de sua xícara e sorrindo timidamente. 
Hale era uma pessoa terna sem fazer muito esforço, como madame Marlee, e era fácil manter uma conversa com ele. Naquele momento, fiquei mais grata do que jamais poderia ter imaginado por ter sido ele o primeiro a falar comigo. Era a segunda vez que me salvava.''

Gente!!!! Estava esperando a muito TEMPO essa obra, assim que saiu não me aguentei fui correndo ler e acabei virando uma madrugada, devorando a obra em uma tacada só, e como foi MARAVILHOSO! 
Sem falar daquele final que me deixou com o coração na mão subindo pelas paredes!

Mas vamos deixar de tietagem e ir direto para nosso enredo!!!

'' - O que aconteceu? — Você aconteceu! Você entra, caçando pelo salão, eliminando caras aleatoriamente. Acho que ele tem um jeito mais tímido, e você o deixou bem abalado.''

Princesa Eadlyn é a primogênita de Maxon e América, Eadl é a futura Rainha, foi criada sua vida inteira, preparada para assumir o cargo de seu pai. Como uma boa distopia, os problemas sociais estão no auge, mesmo depois de Maxon ter acabado com as castas, o reino continua com graves problemas, o povo não está contente, temos muitas manifestações e rebeliões violentas, agora contra a família real e contra a Monarquia, o Rei sentindo que está perdendo o controle das coisas, em conjunto com sua Rainha, resolvem conversar com a filha sobre a realização de uma nova SELEÇÃO, agora para distrair as pessoas, para fazer o povo olhar novamente para eles com bons olhos.

Eadl é que não ficou muito feliz. Independente, forte, muito bem criada e malcriada, nossa futura Rainha não estava pensando em um príncipe consorte no momento.... e bem, na verdade estava mais para nunca, Eadl não queria se casar. Mas vendo o cansaço de seu pai e acompanhando tudo que estava acontecendo no País, resolveu entrar no jogo. Porém, com ressalvas! 
Se em três meses não se apaixonasse, iria mandar todos embora e ficar solteira! 
Maxon concordou. Eadl concordou! A nova seleção vai começar!

''— Ouça, Eady, sei que isso pode ser o jeito errado de abordar a questão, mas eu acho mesmo que pode ser bom para você ter alguém na vida. Estou há muito tempo com Camille e, mesmo se tudo acabasse amanhã, eu seria uma pessoa melhor por causa dela. Há coisas sobre nós mesmos que só aprendemos quando deixamos alguém se aproximar de verdade.''

Agora a coisa mudou de figura!

São 35 garotos e uma princesa!

Todos os homens lutando para conquistar o coração de uma mulher, MUITO teimosa diga-se de passagem! 

''— Todos não param de dizer isso: pode ser bom para mim. O que isso quer dizer? Sou inteligente, bonita e forte. Não preciso ser salva.''

Bem... O que vamos falar do romance da vez... ou melhor! DOS ROMANCES!

''— Só você e eu? Dei um suspiro.— Quer convidar mais alguém? Também precisa de um intérprete?— Não, não! — ele respondeu com um verdadeiro sorriso no rosto. — Estou só… surpreso… de um jeito bom, acho.— Ah — Essa foi a minha patética reação a uma confissão tão doce, mas eu simplesmente não estava preparada.''

Olha! Foi bem complicado até para mim que estava lendo escolher UM SÓ, coitada da nossa pobre princesa, no começo não queria ninguém, e depois de semanas, estava mais confusa e perdida do que no começo da história, mesmo não querendo ver as qualidades dos garotos, foi impossível não se encantar com um aqui, outro ali, outro lá!
Fiquei um pouco perdida com a quantidade de nomes no começo, era muito homem, mas aos poucos eles foram se destacando, nos conquistando e ganhando a nossa simpatia e a de Eadl também!

''Eu seria rainha, e uma rainha podia ser muitas coisas… mas vulnerável não era uma delas. Os momentos com Hale na noite anterior me trouxeram várias certezas. Em primeiro lugar, eu estava certa sobre a Seleção. Não havia a menor possibilidade de encontrar um companheiro naquelas circunstâncias. Se no passado houve quem tivesse conseguido, julguei que só podia ter sido milagre. Ser obrigada a me abrir para vários estranhos não podia acabar bem. Em segundo lugar, se algum dia eu me casasse, minhas chances de sentir um amor arrebatador e duradouro pela pessoa eram mínimas. O amor servia apenas para destruir nossas defesas, e eu não poderia me dar esse luxo. Eu já dava muito carinho à minha família e sabia que era meu ponto fraco — meu pai e Ahren em particular. Era difícil me imaginar fazendo isso comigo mesma de propósito.''

O que temos aqui não é um triangulo, nem um quadrado romântico, temos muito mais, foi muito divertido se colocar no lugar de Eadl, ser conquistada um pouco por cada um dos candidatos e acabar escolhendo meus preferidos!  Minha sensação é que a Seleção de verdade ainda não começou, muito ainda está por vir! 

Alguns destaques:

Kile filho de uma personagem bem importante da Seleção original, criado no castelo desde pequeno, mas que precisou entrar no jogo para que Eadl o conseguisse ver como um candidato! Kile é lindo, amigo, seguro, me lembrou um pouco do nosso Aspen (que aparece bastante) e um pouco do nosso príncipe Maxon também! Tenho bons motivos para acreditar que ele é um dos nossos principais concorrentes! 

Hale que começou mal, mas me ganhou também, há alguma coisa que passa muita segurança nele e gostei disso, Eadl também!

Henri que não fala a mesma língua de Eadl, e que trouxe consigo um tradutor muito fofo Erick, que não é candidato... mais bem que podia ser!!!!!

Enfim! Vários homens, dos mais fofos aos mais frios e charmosos como Ean! Muitas escolhas, muitas emoções!

''Olhar para ele, para seu sorriso, me fez esquecer de tudo por um instante. Parecia que a Seleção não estava acontecendo. Eu era uma garota, e ele, um garoto. E eu sabia exatamente o que queria fazer com ele. Soltei a gravata no chão e levei a mão ao seu peito.— Kile Woodwork, quer me beijar?''

Sobre nossos personagens originais, Maxon e América, Rei e Rainha estão bem presentes na trama, devo dizer que no começo foi bem difícil para mim enxergar eles mais velhos, maduros, não mais o meu príncipe fofo, mas um Rei forte com muitas responsabilidades, nem América como a menina que casou com o príncipe, que desafiou o Rei, cheia de vontades e temperamento forte, eles estavam lá, mas mesmo assim senti a diferença que vêm com a idade, a maturidade e as responsabilidades, porém, tentei deixar o meu foco totalmente nos donos dessa nova história, sem deixar de curtir os velhos personagens que tanto amo! E foi maravilhoso ver que o AMOR dos dois continua forte e inabalável, assim como foi lindo ver nosso Aspen como sempre tão lindo e seguro! 

''Ele encostou os lábios nos meus. Ao mesmo tempo, odiei e adorei essa atitude. Só consegui pensar no modo como sua boca se movia e como eu parecia tão frágil em suas mãos. O fogo do início foi diminuindo, até que o beijo ficou tão suave que fazia cócegas. Quando Kile finalmente recuou, manteve os dedos perto do meu cabelo, para provocar, e acariciou minha pele como se não fosse nada.
— Você é tão mimada, tão desagradável… mas estou aqui para o que precisar.
Com um último beijo, ele abriu a porta e saiu.''

Bem... é isso! Eu me apaixonei loucamente por esse novo capítulo, por esses novos personagens, por esses novos homens, mas continuei suspirando pelos nossos antigos também! A Herdeira foi uma leitura lindamente gostosa, que ainda tem muita história pela frente e já entrou na minha lista de mais esperados e favoritosKiera Cass é maravilhosa, uma autora que amo muito e nunca me decepciona! Fez novamente minha vida muito mais feliz! Obrigada minha autora!!!! Que venha muito mais!

Uma Leitora perdidamente apaixonada!

''— Melhor assim. Olhei para os meus irmãos, tão prestativos, inteligentes e endiabrados. Eu os havia odiado tantas vezes por não serem mais velhos que eu, por me forçarem a assumir um papel que jamais desejei. Naquela noite, talvez pela primeira vez, eu os amava exatamente por serem quem eram. Kaden me distraía, Ahren tinha me defendido e Osten… Bom, ajudaria à sua maneira.''

Alguns Quotes preferidos - DOS MUITOS que selecionei:

''— São bons. Quanta tolice. O objetivo de acabar com as castas era dar às pessoas a possibilidade de escolher qualquer profissão que desejassem. Mas eles não querem saber. É quase como se não quisessem que o plano desse certo.— Criar um sistema não implica que as pessoas vão segui-lo.— É óbvio — comentei friamente antes de tomar um gole de bebida.''

''— Henri diz que, quando a senhorita está nervosa, seu olhar é tão forte quanto um soco. A senhorita não é impotente.''

''— Talvez por isso a linguagem tenha sido sempre tão importante para mim. Meu pai sempre costumava dizer: “Eikko, palavras são armas. São tudo de que precisa.”''

''— Não há muito o que dizer. As pessoas atiram comida contra mim, atiram palavras contra mim… E eu tenho que ser mais forte que tudo se quiser sobreviver.''

''— Tem sido mais difícil do que eu imaginava, com tantos desastres pelo caminho. E não sou tão boa quanto outras garotas em mostrar minhas emoções. Passo a impressão de não me importar com nada, mesmo quando me importo. Gosto de guardar as coisas para mim. Sei que parece ruim, mas é verdade.''

''— Mas por que tentar ser Camille quando Eadlyn é mais que suficiente?''

Paula Juliana