segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Resenha: As Melhores Histórias de Viagens no Tempo - Arthur C. Clarke, Ray Bradbury, Richard Matheson

Resenha: As Melhores Histórias de Viagens no Tempo - Arthur C. Clarke, Ray Bradbury, Richard Matheson
Classificação: 4/5
Editora: Jangada

Sinopse: As Melhores Histórias de Viagens no Tempo - Arthur C. Clarke, Ray Bradbury, Richard Matheson
Dentre as temáticas do universo sci-fi, nenhuma delas é tão popular, envolvente e plural quanto as viagens no tempo. Esta coletânea reúne, em um único volume e pela primeira vez no Brasil, dezoito contos de alguns dos gigantes do universo sci-fi, abrangendo cinco décadas, de 1940 a 1990, e incluindo desde “Um Som de Trovão”, de Ray Bradbury, que inspirou o nome da famosa teoria do Efeito Borboleta, até Ursula K. LeGuin, em “Outra História ou um Pescador do Mar Interior”, ou mesmo uma ideia impensável, como no conto do premiado Jack Dann “Inversão do Tempo”, que propõe respostas surpreendentes para uma pergunta perturbadora: e se todos viajassem no tempo, menos você?

Escrever sobre ficção cientifica não é uma tarefa fácil para mim, digamos que vivemos um intenso romance entre tapas e beijos, amor e ódio. Quando recebi essa obra em parceira com a editora Jangada vi a oportunidade de conhecer o estilo mais profundamente, e confesso que são poucos os livros do gênero que me deixaram apaixonada, minha paixão pelo estilo é muito mais fácil nos cinemas com todas as suas fotografias e histórias, citando Interestelar e Planeta dos Macacos, duas grandes paixões minhas.

A temática Viagem no Tempo é vista algumas vezes como uma coisa polemica, dentro destes 18 contos, entre os mais famosos e até antigos autores que eu ainda não tinha conhecido, consegui ver que a ficção cientifica é mesclado facilmente com vários outros estilos e gêneros. No conto que mais gostei, que se chama Leviatã! do autor Larry Niven, encontramos o fantástico,  criaturas que nunca pensamos em encontrar por ai que mostram como essas viagens podem ser perigosas, homens correndo sérios riscos de mortes, lidando com seres inimagináveis. 

Lidar com espaço/tempo, com as viagens que podem acabar muito mal é uma janela que abrimos para muitas discussões, aqui em casa com a ajuda do meu irmão que também se aventurou na obra tivemos várias conversas sobre essa ponte que a ficção faz desde os riscos, até passando sobre as dimensões paralelas que podemos encontrar!

Indico essa coletânea linda para os amantes do estilo, para os apaixonados e para os leigos assim como eu que tem curiosidade e a mente aberta para se deixar gostar ou não pelas histórias mais famosas do estilo. Recomendo!

Paula Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário