sábado, 16 de agosto de 2014

Resenha: Sentimento Fatal - Janethe Fontes

Resenha: Sentimento Fatal - Janethe Fontes
Classificação: 5/5 Favorito

Sinopse - Sentimento Fatal - Janethe Fontes
Por amor se mata?
O amor destrói?
E o ciúme, pode ou não ser controlado? 
Sentimento Fatal levará você a pensar nessas questões e rever seus conceitos... todos os seus conceitos em relação ao amor. 
"Dividida entre a paixão avassaladora do marido Roberto, que tem um ciúme doentio, e o grande amor de infância de Daniel, que ela torna a encontrar dez anos depois, Adriana Diniz Martinez terá de vencer o medo e reencontrar a si mesma... Lutar pela própria integridade e também pela filha Letícia, pela qual é capaz de tudo, sobretudo suportar a violência do marido, sobretudo suportar a própria infelicidade." 
Com uma narrativa surpreendente, combinada a ingredientes como drama, aventura, sedução e suspense, e tendo ainda como pano de fundo a violência doméstica, a autora faz com que o leitor tenha de prender o fôlego para acompanhar este romance que, em cada novo capítulo, nos revela uma dura realidade que, lamentavelmente, atinge milhões de mulheres em todo o mundo... Nos faz descobrir ainda que o amor pode ser tranquilo e seguro, mas também agitado e extremamente perigoso.

'' O homem é o único animal que se diferencia dos demais por agredir suas fêmeas.''

''A violência não distingue classe social.''

Ciumes. Amor. Descontrole. Violência. Paixão. Liberdade!
Quando o ciume vira doença e o amor se torna um perigo? Quando você não se sente feliz dentro de sua casa? Se sente amarada, sufocada, amedrontada e violentada. É chegada a hora de lançar escudos e tomar posse do próprio destino e se libertar.
Com o livro Sentimento Fatal, somos levados a uma importante reflexão e entramos de cabeça em um romance de tirar o fôlego
Perigoso e Fatal, os sentimentos representados por essa obra vão muito além de uma simples paixão, ou um simples romance. Sentimento fatal mostra o caminho para um amor seguro e verdadeiro e a autora Janethe Fontes - que como sempre arrasa - traz uma narrativa regada de sedução, paixão, suspense, com uma lição social e moral que não vemos em qualquer livro.    

''E a fim de bloquear o choro da mãe, embora não conseguisse impedir as próprias lágrimas, Letícia se encolheu na cama e comprimiu as mãozinhas com toda a força contra os ouvidos. Mesmo assim, ela continuou ouvindo os soluços contidos da mãe.''

Sentimento Fatal aborda a violência domestica. 
Adriana, a nossa Dri, se casou cedo, montou sua família, teve sua filhinha, Letícia. 
Amava seu marido. Seu marido, Roberto, a amava. Porém, Beto sente um ciume doentio por sua mulher. E enquanto, Dri, foi a boa esposa que ficou bonitinha em casa o esperando e criando sua menina, estava tudo certo. Mas Adriana procurava sua liberdade, ter sua própria vida, ela começou a trabalhar fora e ir para a faculdade. Essa sede por ter sua própria realização não só incomodava Beto, foi fazendo ele ficar cada vez mais violento e opressor com a esposa.   

De ameças, a chantagens psicológicas, tapas, socos, brigas constantes na frente da filha. Dri se transformou de uma mulher forte, determinada e corajosa, para a mulher que se escondia atrás de seu próprio medo. A imagem da mulher fraca e submissa, que havia perdido a controle da situação. Por causa de um amor doentio. Um amor destrutivo.  

''Sentia vergonha. Chegou até a pensar em suicídio. Pensou em sua filha e resolveu tomar pulso de sua vida.'' 

Juntamente com sua disposição a mudança. Dri encontra uma surpresa do destino! Seu professor, é nada mais, nada menos... que seu primo. Dani, seu primeiro beijo, sua paixão de infância/adolescência. Seria capaz um amor infantil durar uma vida? Dani e Dri, mostram que quando tem que ser. Simplesmente é. 

Dri se sente atraída por seu primo instantaneamente. Dani nunca esqueceu aquela menina de sorriso largo. Poderia esse amor ressurgir dentro de uma atmosfera tão opressora e cruel como a que Dri vive? Será ela capaz de superar seu medo da violência e se separar de Beto? Beto será capaz de se currar dessa doença? Poderá recuperar o amor de sua família?     

''... e nunca passaram de um beijo, um único beijo, que ficara para sempre gravado em sua memória, em seu coração.''

Roberto é doente. Não tem outra forma de descreve-lo. Ele chega a ter ciumes de com quem Dri está SONHANDO. Ele segue ela, quer controlar tudo, quer as coisas como quer. Vê a esposa como um objeto que pode usar e abusar. E quando não consegue, se sente impotente, e deprimido. Transtornado, atormentado, desesperado pela hipótese de perder sua mulher. Ele mistura um ciume doentio, uma visão traumatizada que não pode confiar em mulher alguma com drogas e bebidas. Beto ''ama'' sua família. Ele não consegue se controlar. Ele precisa de tratamento. 

E Dri precisa de um amor que realmente traga luz a sua vida.  

Letícia sua filha, tem cinco aninhos, sente medo do seu pai. Não sabia o que acontecia entre quatro paredes entre seus pais, mais tinha certeza que era o pai que machucava a mãe e a fazia chorar.
Com isso sentia raiva do próprio pai. Ele não tinha noção do mal que causava a sua filha. 

''Apesar disso, ele não conseguiu evitar que uma doce ilusão arraigasse em seu coração e tomasse proporções imensas.''

Dani foi um doce mocinho. Janethe sabe criar homens maravilhosos, não tinha como não se apaixonar por ele logo nas primeiras linhas. Bom pai. Bom moço. Inteligente. Família. Gentil. Um homem de verdade.
Ele procurou ajudar Dri. Porém, precisava sentir que Dri, o amava. Se sentia inseguro, mas nunca usou de força psicológica ou física para domina-la e ter suas respostas.  

Dri se sentia perdida. Precisava recuperar seu amor próprio. Precisava aprender a se defender. Precisava mostrar sua coragem ao mundo. 
Ela começa a aprender Capoeira e toma decisões importantes para o desenvolvimento da história. 

''A capoeira é a luta pela liberdade.''

O romance é lindo. Sensual, quente e romântico. A superação e coragem de Adriana é de se admirar. As crianças da trama são incríveis - Felipe filho de Dani e filha de Dri. A autora mostra pequenos dramas famílias entre os personagens secundários, sempre com uma lição importante como pano de fundo. As famílias dos personagens protagonistas são bem presentes na história.   

Luiz e Olívia. Alunos e amigos dos protagonistas são fundamentais em algumas partes. Olívia, tralhando na delegacia da mulher, mostra para o leitor algumas realidades sobre o abuso e violência domestica.     

''Tem razão - sussurrou ele ao seu ouvido. - Deve ser mesmo loucura amar alguém do jeito que eu sempre amei e ainda a amo. Mas não há mais como controlar isso. E eu quero você, Dri, inteiramente para mim.''   

Foi uma leitura muito prazerosa. Muito forte e intensa. Eu já falei uma vez aqui que os livros dessa autora são aqueles que fazem a gente virar a noite lendo, e não teve como eu lagar ele. Sofri demais com Dri. As partes que a pequena Letícia mostrava como estava sendo afetada, apertava tanto meu coração que doía. Suspirei demais com Dani. Queria que Dri largasse logo o marido, queria que ela fosse feliz, que encontrasse um amor bom e puro.
Gritei, me revirei no sofá, aprendi, achei a história simplesmente linda. Com uma linguagem 
muito bonita, simples e fluída, uma história maravilhosa é formada. Não pensem vocês, que por ter um tema forte, a história é explicita, ou contém cenas grotescas de violência. Você não vai encontrar aqui. Vai encontrar uma história forte e delicada, uma história que vai mostrar como o amor pode ser perigoso e fatal, mais também bonito, seguro, calmo e transformador. 

''Mas não era mais a paixão imatura de uma jovem adolescente deslumbrada pelo primo bonitão que se perpetuava naquele momento, compreendeu Adriana, e sim o amor verdadeiro de uma mulher por um homem. Uma mulher que somente agora conseguia compreender a exata diferença entre o amor e a paixão, entre o amor e a obsessão.''

A força do perdão. Perdoar a si mesma e ao próximo. Aprender a dar valor a sua vida, a sua existência, aprender que a raiva não dá direito a ninguém de machucar o outro, de ser cruel. Sentimento fatal me fez terminar o livro por entre lágrimas e com o coração repleto de felicidade e esperança! Super indico cada linha dessa obra! LEIAM!  

'' - Só não esqueça que sua força não está em seu corpo e sim aqui. - Ele apontou para a própria cabeça e Adriana compreendeu o que ele queria dizer. (...)
- O medo é seu único e verdadeiro inimigo.'' 

Paula Juliana

66 comentários:

  1. Oi Paulinha *_____________*
    Os livros da Janethe sempre tem temas fortes. Conheci ela aqui no seu blog e fico admirada com as resenhas lindas que vc faz dos livros dela. É perceptivo que você é fã e que são ótimos livros. Fiquei bem curiosa com essa resenha. Violência domestica é um tema polemico, é triste ver quantas mulheres sofrem e tem vergonha de contar que apanham em casa. Espero que a Dri tenha ficado com o Dani e que tenha superado tudo que passou! Parabéns pela resenha.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fe! Muito obrigada! Espero que vc leia e descubra! O livro é incrível! Tenho muito orgulho de ser fã da autora!
      Beijos

      Excluir
  2. Juliana
    Gostei do livro a capa é muito bonita e o enredo me chamou bastante atenção.
    Sempre legal quando um livro nos envolve e nos emociona. Gostei muito da resenha e qque a leitura é tem um tema forte e não é apelativo de forma alguma.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Primeira resenha que leio do livro e adorei! Esse tema é muito delicado e essencial. Violência doméstica parece ainda ser um tabu, histórias assim servem para fazer todos refletirem e ficar de olho. Quem sofre mais ainda é a menina, nem consigo imaginar. Então mostrar, não apenas o sofrimento da esposa, mas também o da filha, deve ser uma forma completa da abordagem.
    Agora para tudo, pratiquei capoeira por tantos anos, então gostei! hehehe
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tati!
      Acredito que seja um grande tabu ainda! Janethe aborda a questão dos sentimentos da menina com uma sensibilidade nata! Espero que leia!
      E que legal vc ter praticado Capoeira! Parabéns! Beijos

      Excluir
  4. Nao tinha ouvido falar do livro mas parabens pelo post!
    blogsonhadorablog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, o livro pelo visto tem um tema bem forte. Mesmo assim não consegui me interessar por sua premissa. Não costumo ler livros do tipo, mas a sua resenha demonstrou total empolgação que fiquei curioso para conhecer a escrita da autora. Quem sabe em uma outra história?!

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que conheça Matheus, todos os livros dela são realmente muito bons!

      Excluir
  6. Oi, Paula!
    Um livro que demonstra muito bem a realidade brasileira. Afinal, muitas mulheres se deixam iludir pelo conceito do amor. Acreditando que faz parte do "amor", elas se permitem ao sofrimento, à humilhação e ao descaso... Ou então pensam nos filhos, acreditando que é o melhor para eles. O melhor para um filho, na verdade, é crescer em um lar saudável.
    É um tema realmente legal de ser discutido. Amor é sinônimo de alegria, não de sofrimento! ótima resenha, parabéns!

    Gostei muito de seu blog, estou seguindo! Quando puder, faz uma visitinha lá no meu :)

    Abraços,
    Diego.

    pecadeoito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário e concordo com ele. Amor destrutivo só causa infelicidade para todos!
      Vou lá sim! Beijos

      Excluir
  7. Oi Paulinha! Eu já li esse livro é gostei muito, a temática é forte mas a Janethe soube escrever muito bem. Sem dúvidas, Roberto é mesmo doente, fiquei enojada com ele e com seu amor obsessivo. A protagonista sofreu muito com ele. Parabéns pela resenha.

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jé! Realmente tem horas que é difícil não odiar o Beto. Beijos

      Excluir
  8. Uauu Paulinha como sempre você indicando ótimos livros com mensagens ótimas, mais um que já anotei na minha lista!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia mais esse Joi! Vale cada linha! Beijos querida!

      Excluir
  9. Oi Paulinha, tudo bom?! Vim conhecer o seu cantinho também, ainda vou explorá-lo, mas já estou adorando. Parabéns pela resenha, adorei. Ainda não li nada da autora, mas fiquei bem interessada.

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que conheça e que ame ela e suas histórias!
      Beijos Rob

      Excluir
  10. Hum... eu confesso que nunca li nenhum livro da autora, mas sua resenha me deixou curiosa, bjs ♥

    http://sobangulos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Paula-sua-linda! Eu estava para te visitar há um bom tempo, haha. Como você, queria mais horas no meu dia para poder prestigiar todos os blogs que adoro. <3 Sabe que lembro de você carinhosamente, em várias circunstâncias? Ontem mesmo comentei com uma blogueira que está organizando um Book Tour de Cicatrizes, da Eva Zooks, que adoraria ingressar no grupo, pois o livro estava entre os meus desejados desde que li a resenha dele aqui, no seu blog (rs). Você tem o dom de me fazer desejar tantos livros, mas taaaaantos, que chega a ser cômico, kkkk. E lá vem outro! Eu adoro livros que nos abalam e fazem refletir sobre situações-problema do dia a dia… Podemos não enfrentar a violência doméstica, mas e qual é a nossa atitude diante de uma vizinha ou uma desconhecida na rua que pode estar sendo vítima e você – sem querer – acaba flagrando a cena? Já vivi algo assim… Sou psicóloga e não é apenas meu dever como cidadã, mas também como profissional não me omitir. Precisamos fazer a nossa parte, porque as mulheres nessas circustâncias estão oprimidas demais para agir.
    Eu adorei seus comentários sobre a obra… Tenho uma curiosidade enorme para conhecer o talento da Janethe Fontes. Ouço falar dela na blogosfera, e são só elogios (rs).
    Saudades de você e do seu blog, flor! Espero passar mais vezes por aqui.
    Beijos!!!

    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran! Eu amo seus comentários! Nós temos os gostos parecidos e vc é muito doce e sensível! Sempre entende o que eu quero passar! Eu amo a Eva! Tenho um xodó pelas histórias dela, eu digo para ela, que os homens que ela cria são todos meus, pras biscates tirarem os olhos! (Hahahahhah)
      Obrigada pelo carinho!
      Não sabia que vc era psicologa! Já pensei sobre uma situação dessas, nunca aconteceu comigo, e se acontecesse? Qual será minha reação?
      Fran, vc é de casa! Volte sempre linda! Um grande Beijo!

      Excluir
  12. Oi Paulinha
    Já tive a oportunidade de ler esse livro e a autora escreve muito bem temas polêmicos.
    No decorrer da leitura, senti muita pena da Dei e torcia pra ela se livrar de Beto e ser feliz ao lado da filha. Essa historia me marcou muito.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me marcou também Mi! Todos os livros da autora são marcantes para mim, de formas bem diferentes, alguns pelos personagens, outros pelo tema, outros pelos sentimentos intensos na hora da leitura! É Diva!
      Beijos

      Excluir
  13. É um livro de extrema importância nos dias de hoje, pois a cada dia vem aumentando a violência contra a mulher, Paula excelente resenha, beijos.
    Blog /Fan Page / Twitter /

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Flor!
      É uma realidade triste que tem que ser discutida!
      Beijos

      Excluir
  14. Olha, eu tenho um péssimo hábito de escolher livro pela capa e se ão tivesse lido sua resenha, com certeza descartaria a ideia de ler esse livro, pois eu não gostei da capa e a sinopse também não é lá muito atrativa. Mas agora eu tenho uma outra visão desse livro, ele deve ser bem interessante, nunca li nada sobre esse tema e acredito que iria gostar bastante da história, fico imaginando o quanto a mesma é emocionante, deve ser terrível acompanhar a história e ao mesmo tempo deve ser incrível, enfim, eu adorei sua resenha e se eu ver esse livro por ai, irei correndo ler kkkk

    Beijos :*
    Larissa - Srta. Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terrível e incrível! Realmente descreveu muito bem Larissa! São muitos sentimentos durante a leitura!
      Beijos

      Excluir
  15. Não conheço o livro, mas com tua resenha gostei bastante e me interessei pela leitura.
    Pois o tema que aborda eu gosto muito, existem muitas mulheres que não conseguem se livrar da violência doméstica e dar a volta por cima

    ResponderExcluir
  16. Mulherrrr
    esse livro retrata o que muitas mulheres vivem,pessoas do nosso lado,acho que nao tinha visto resenha de um livro com esse assunto ainda..
    muito bom...
    otima dica de leitura...
    mil bjssss
    www.zilandramakes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amada!
      É o primeiro livro que realmente trata violência domestica que li. E foi muito bem abordado!
      Beijos

      Excluir
  17. É um tema um tanto delicado, porém muito necessário de ser abordado, porque muitas mulheres passam por situações assim e realmente não sabem como agir.
    Como não costumo ler narrações assim sairia da minha zona de conforto, o que é sempre bom de se fazer!

    Beijos

    O Outro Lado da Raposa
    Facebook
    Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Raissa! Procuro sempre estar saindo da minha, isso faz que cada leitura seja prazerosa de formas diferentes! Beijos

      Excluir
  18. O livro parece ótimo e a resenha ficou incrível , adorei =)
    E não deixe de participar do
    Sorteio de um kit de produtos maravilhosos
    Bjs
    Aquarela Pink

    ResponderExcluir
  19. gostei bastante da resenha do livro Paulinha
    www.portaldebeleza.com

    ResponderExcluir
  20. Oiee,
    Já conhecia outros livros da autora, mas esse é a primeira resenha que leio dele, por sinal que resenha..
    Gosto de livro que aborda temas que são de alguma forma tabus, pois a violência domestica ainda é, a forma como a personagem supereu e enfrentou tudo foi pelo meu ponto de vista guerreiro, ainda descobrimos o poder do perdão...
    Gostei bastante da resenha e leria livro se tivesse oportunidade.
    Beijos Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari! Muito Obrigada!
      Sim, é um tabu e a força que a Dri demostra é incrível também, não sei se conseguiria perdoar o agressor ou não!
      Beijos

      Excluir
  21. O livro pela sua resenha se mostra bem polêmico, não é tão comum autores falarem sobre amores abusivos - até tem autora por ai confundindo amor abusivo com relação de dominador-dominado. Eu sou apegada a capas, particularmente odiei essa, eu não teria escolhido na livraria, mas sua resenha o deixou atrativo pra mim. Eu não me sinto muito bem lendo esse tipo de livro porque me coloco muito no lugar das personagens e sofro demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flor! Eu também mergulho intensamente nas minhas leituras, espero que leia! Obrigada! Beijos

      Excluir
  22. Que tema pesado! Eu não consigo entender como existem homens tão pequenos a ponto de machucarem suas esposas, mas entendo menos ainda como elas continuam com eles sofrendo violência. Já ouvi falar muito bem da escrita da Janethe e desse livro em especial, pretendo ler.
    Beijinhos!
    Giulia- prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  23. Parece uma leitura interessante pela sinopse. Vou colocar na minha listinha para procurar na livraria. Ainda sou das antigas que gosto de ler o livro físico... hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Gostei muito, um tema bem atual e interessante. Quero ler todinho.

    Beijos

    http://vanvariedades.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oi, Paulinha.

    Eu ainda não li nenhum dos livros dela, mas tenho muita vontade, pois os temas me chamam muita atenção.
    Espero conferir e gostar do que ler.

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Adoro livros com temas fortes, eles sempre mexem com os nossos sentimento. O livro parece ser muito bom, e ele ainda tem crianças, uma coisa que eu adoro, eu tenho que conferir esse livro. Não li nada da autora ainda mas vou procurar já que você falou que são bons.
    Li um livro recentemente sobre violência, mas ao contrario desse era uma menina que apanhava da tia.
    Beijos!!!

    http://follow-and-breath.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Bea!
      Que bom, espero que leia e se apaixone!
      Eu gosto muito de livros com crianças também, elas sempre mostram inocência e bondade! Beijos

      Excluir
  27. Oiii!!! Que perfeita a sua resenha, tão completa e sem contar toda a história. Adorei. Não conhecia o livro. Mas não é o tipo de leitura para mim sabe. Sei que essa é a realidade de muitas pessoas, mas esses temas mexem muito comigo e não rola. Mas a resenha ficou linda. :)
    Beijos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. meu deus, o mercado já não está saturado de livros assim? hahahahaha
    Eles não paaaaaram!

    www.umbigosemfundo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flor!
      Na verdade não! Existem muitos livros que abordam traumas e como as pessoas se mostram depois de sofrer algum tipo de violência,tentando explicar porque ela se comporta de certa forma no hoje, mas um que aborda violência domestica, sendo sutil e ao mesmo tempo não perdendo a força do tema, eu não encontro em qualquer lugar! Espero que leia e tire por vc mesma!
      Beijos

      Excluir
  29. Fico feliz de saber que o livro não tem cenas grotescas de violência, apesar do tema pesado. Não ia conseguir virar a noite como você, porque simplesmente tenho sono em excesso, mas me interessei muito por essa história tão forte e intensa. Adoro quando as famílias dos protagonistas são presentes na história, isso só me deixou mais interessada na leitura. Pretendo ler primeiro outro livro da autora, mas com certeza vou querer ler esse também!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju! Vc vai começar pelo Voo da Fênix, né?!
      Ele é sua cara de leitura! Acredito que vai gostar, mais não deixa de ler esse também! Beijos

      Excluir
  30. Temas fortes e do cotidiano, uma boa leitura. Suas resenhas sempre muito boas, dá vontade de correr e comprar.
    Bjús, Cih
    http://quadrofeminino.com/

    ResponderExcluir
  31. Oii!!

    Quando comecei a ler fiquei com medo de ter cenas pesadas, de violência, mas vi que não. Não imaginava que tinha o romance dessa forma.. como uma espécie de redenção, que faz a personagem crescer e se fortalecer. Adorei o quote que fala sobre o verdadeiro amor e sua diferença da paixão e da obsessão. Realmente, há uma diferença muito grande. O amor constrói, não destrói. Antes esse seria um livro que eu não leria a não ser por.. "ter que ler", mas você me fez mudar de ideia.
    Beijos! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Vivi! Que legal! Esse é um dos motivos que amo meu blog! Espero que leia e curta muito a leitura, de uma forma que tire lições para sua vida, e também suspire com o romance! Eu amo aquele Trecho! Lindo!
      Obrigada! Beijos

      Excluir
  32. Tem razão Paula, quando disse que eu ia gostar do livro, tô amando cada vez mais os livros dessa autora e pelo que percebi ela sempre usa temas fortes, polêmicos do nosso cotidiano né?! Como você mesmo disse na sua resenha sempre passando uma lição ou uma mensagem importante e como eu já havia dito antes para você eu gosto de livros com essa pegada, estou cada vez mas curiosa pelas obras da Janethe Fontes e pode apostar esse é mais um livro dela que adiciono na minha lista!

    Já tem resenha do livro Absoluto! :)

    http://voceeoquele.blogspot.com.br/2014/08/resenha-absoluto-trilogia-da-lei-vol-01.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Gi! Ela sempre tem grande temas, nos faz refletir,suspirar, entrar de cabeça nas histórias, são livros completos. Espero que leia logo! Beijão!!

      Excluir
  33. Você tinha razão quando disse que eu ia gostar desse livro :D
    Caramba, parece ser daqueles livros intensos, que nos prendem do inicio ao fim rs
    Ainda não li nada da autora, mas espero ler em breve, porque você sempre fala tão bem dela!

    Parabéns pela resenha, adorei <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  34. Oie, Paulinha.

    Que resenha mais encantadora, sabe quando tu lê e fica sabendo a opinião da pessoa sobre um livro e tem certeza que também vai amar a leitura? Foi assim que me senti lendo a sua resenha. Nessa minha procura por livros diferentes esse com certeza irá entrar na minha WishList. o// Assim que tiver a chance quero saber como termina a história de Adriana. Já torço por seu primo e que ela largue esse marido nojento.

    Visite: Paradise Bookss

    Beijos e até mais.

    ResponderExcluir