domingo, 8 de março de 2015

Resenha: A História de Júlia - Angela Lira

Resenha: A História de Júlia - Angela Lira
Classificação: 5/5
Editora: Gregory
Skoob

Sinopse: A História de Júlia - Angela Lira
A História de Júlia - Júlia é uma adolescente oriunda de uma comunidade muito pobre de Recife- PE, o Coque. Ela enfrenta diversas situações típicas de um adolescente: indecisão, escolhas futuras, namoro, respeito aos pais, postura social, bulliyng... e também atípicas: tráfico de pessoas, drogas, pobreza, assassinato, roubo... Situações que levam o leitor a refletir sobre esses temas no momento em que Júlia escreve seu diário. A personagem principal, então representa um ser neutro, que roda por diversas situações, como uma das nossas várias consciências internas, onde escolhe caminhos diferentes da massa ao seu redor. A sutileza está presente na sua figura sonhadora meiga e, por vezes, comum de adolescente.

''Vi que sou forte. Muito Forte!''

Adolescência
Tenho muitas boas recordações dessa época da minha vida! Claro que como toda transição, 
a adolescência pode não ser um período muito fácil! São tantas dúvidas, tantas incertezas, tantos sonhos, tantos perigos! É também a época do primeiro amor, das primeiras descobertas, um período que é primordial ter o apoio da família e de pessoas certas, pessoas que estão do seu lado e que querem seu bem! 

''O que eu faço? Tenho vontade de sumir, pois a vida não tem mais sentido... Afinal, quem sou eu?''

A História de Júlia da autora Angela Lira conta sobre a trajetória dessa menina a sonhadora e gentil Júlia! Moradora de uma favela de recife, ela conta para nós leitores um pouco de sua vida, seus medos, os problemas que enfrenta na escola, seus temores quanto ao futuro, por meio de uma escrita leve e fluída, Júlia conta também como a vida pode ser sofrida, como as pessoas em seu meio tem que lidar com a fome, com a violência, com as más companhias, temas como drogas, prostituição e abusos são levantados na história, tudo sob a visão de uma meninas inocente e vibrante!   

''- Se um dia me dissessem que você seria tão idiota e estupido, tão otário e perverso, eu diria que não seria possível, pois você, lá no fundo, não teria a capacidade de ser tão besta... mas, hoje, Paulo, ultrapassou todos os meus limites! E mesmo que eu tentasse, não conseguiria ver o invisível em tanta idiotice, em tanta asneira e babaquice... Hoje foi o último dia em que  você ou qualquer outra pessoa - (...) - Que qualquer pessoa que exista ou venha a existir vai zombar de mim e baixarei minha cabeça sem resposta!!!''

A obra foi uma bela surpresa, li muito rapidamente, em meia horinha mais ou menos, indicaria essa obra para ser lida principalmente por jovens, em escolas, por seus pais, é o tipo de livro, que faz nós pensarmos sobre outras realidades, algumas diferente das nossas e faz com que também lembrar muito de Deus, da família, de como é bom e primordial ter uma boa base, e uma boa cabeça! Júlia em sua história ensina muitas lições que devem ficar fixadas em todos nós! 

''O que vai ser de minha vida agora? Só Deus sabe... Quais serão meus desafios? Só Deus sabe... O ano se inicia e uma nova fase da minha vida também...''

Paula Juliana

16 comentários:

  1. Excelente indicação.Nossos jovens precisam desse tipo de leitura
    Beijos!

    Sociedade do Esmalte

    ResponderExcluir
  2. Olá Paula, tudo bem?
    Estou nesse momento pensando como é que é um livro, uma criança que vivência todas essas coisas pode acaba se comportando de várias maneiras. A realidade das favelas são duras e gostaria de ver de perto como a autora retratou essa realidade em seu livro.
    Fiquei mega curioso, e adorei a dica.
    http://www.ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Paula, parece ser um livro que traz um aprendizado muito grande..
    Enquanto lia sua resenha já comecei a pensar na importância dos adolescentes terem acesso à histórias assim nas escolas e vc falou justamente isso no final..
    Muito interessante mesmo..

    Bjo
    escritaseleituras.weebly.com

    ResponderExcluir
  4. Olá Paula!
    É a adolescência é uma fase linda. Muitas descobertas e coisas novas acontecem com a gente nessa fase.
    Amo recordar tudo que vivi na minha adolescência.
    Adorei a sua resenha. A história parece ser muito boa.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Paula

    A adolescência é um período incrível de nossas vidas e também bem complicado. E a leitura deste livro pode ajudar aos adolescentes e seus familiares a entenderem melhor esse período e entenderem também realidades diferentes das nossas!

    Super bjos
    http://www.i-likemovies.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, na verdade nunca tinha ouvido falar sobre essa editora também :c Mas eu gostei da premissa do livro, acho bacana histórias sobre adolescentes, porque acabo sempre me identificando com alguma coisa, sabe? A Júlia parece ser uma personagem super bacana e cativante, então tenho certeza que ela me conquistaria, também fico imaginando como é acompanhar a história dela e saber sobre as coisas ruins da sua vida e todos esses temas fortes. Enfim, esse livro realmente parece ser muito bonito e emocionante, se fosse pela capa eu não daria nada pela história, mas sua resenha me convenceu que A História de Júlia se trata de um ótimo livro.

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Legal ver que a obra foi boa para você, saber que é indicada para a afamilia também é muito bom.
    Realmente a história de Júlia me parece fonte de inspiração para superar os obstáculos da vida.

    Abraço,
    Diego de França
    www.leitorsagaz.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Paulinha,
    Excelente dica e corroboro quando diz que deveria ser leitura obrigatória em escolas e por jovens. Quando eu era adolescente eu li um livro excelente sobre o mundo das drogas, O ESTUDANTE, de Adelaide Carraro, e ainda o famoso CRISTIANE F. 13 anos drogada, prostituta. São livros que nos mostram a realidade, sem pinturas, o preto no branco. Mas não só os jovens, mas os pais deveriam ler, juntos, para assim poder orientar melhor seus filhos.
    Ótima resenha, como sempre.
    bjs

    www.navioerrante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir