terça-feira, 19 de maio de 2015

[SORTEIO] Em comemoração ao aniversário do autor Alves Rosa + Resenha: Pseudopoesia - Viagens na Ficção!!

Resenha: Pseudopoesia - Viagens na Ficção # Alves Rosa
Classificação: 5/5
Editora: Chiado
Skoob

Sinopse: Pseudopoesia - Viagens na Ficção # Alves Rosa
Pseudopoesia - "Uma Pseudopoesia que de pseudo não tem nada. Uma obra que nos convida a um passeio pelo mundo idealizado dos escritores – regado a vinho, charuto, amargura e muita, mas muita, melancolia. Nela, a busca pelo equilíbrio, pelo amor e pelo verso perfeito é constante. E, assim, já em seu livro de estreia, a poesia utópica e inquieta deste jovem poeta cruza fronteiras e nos leva à Montauk, à Brasilia e às longínquas terras lusitanas em Teu, somente teu. Além de quebrar a barreira da língua portuguesa nos suntuosos versos em inglês que dão vida à Nevermore. Dentre as várias musas, a Hannah, a Carol e – pasmemos! – a gramática, tópico recorrente em Saudade, Sintaxe e Páginas desfeitas. Tributos também não faltam. Primeiro a Álvaro de Campos, em Confissão; depois a Miguel de Cervantes, em Dom Quixote e, por último, a um amigo de quatro patas que parece fazer muita falta em Adeus a um amigo. Funeral se destaca pelo estilo cordel. E, nas últimas páginas, em Confissão II, somos agraciados com uma prosa que se prova igualmente bela, e que nos faz desejar que este seja apenas o primeiro dos muitos volumes de cantos de Alves Rosa." Nicole Rodrigues Poeta e autora do blog Cérebro de espartilho


''Já perdi as contas de quantas vezes ouvi a canção. 
De quantas vezes escrevi em vão.
Quantos planos tracei e rabisquei mentalmente
antes mesmo de tomassem forma.''

Estigmas, saudades, amor, autossabotagem, soluções, solidão...
Queda livre... coração aberto... sentimentos a amostra...
O que ele mostra?


''Escreve... Escreve! Sente... Sente!''

Pensa.. Pensa!


''Tempos confusos estes em que vivo. 
Não há tempo para nada,
não há tempo a se perder.
A cada dia, desfaço-me, redefino-me.
Faço um esboço de mim mesmo.
Apago-me, reinvento-me.
Destruo pedaço a pedaço, 
desconstruo tudo e volto a montar todas as peças. 
Um novo eu a cada minuto.
E, com todos estes eus,
redescubro-me:
único... uníssono...''

Quando escrevo minhas resenhas, encaro como um desabafar, penso sempre, que é um desatento, um sentimento que tem que desabrochar, quando leio busco isso, o simples, rascunho, emoção, história, ou razão que possa me emocionar!
Lendo as poesias de Alves Rosa, me senti muito feliz, mesmo com alguma melancolia, aquela sangria que não tem por onde escapar! Li e me emocionei, senti o que o poeta quis expressar, aquele aperto, a emoção da perda, a saudade de alguém, o amor não correspondido, a pessoa que foi embora, aquele que não vai mais voltar...
Para mim foram textos complexos, com e sem nexos, que souberam me contagiar!  


''Encontre o equilíbrio perfeito
entre o desequilíbrio e a sobriedade, 
entre a queda e o tédio, 
entre o devaneio e a lucidez.'' 


''Um crime perfeito,
o poema (des)feito,
feito presente,
mensagem urgente,
sem hora certa pra chegar.
O segredo revelado,
agora desmascarado, 
sem o sujeito se ocultar.''

Quando se é humano e se guarda tanto, não tem como não se identificar, em alguma linha, alguma estrofe, algum verso do avesso, irá se encontrar! Alves toca a alma, mostra que a busca nem sempre fácil e ritmada pode se mostrar, assim como nós, os poetas que buscam a perfeição, o verso de ouro, a chave que chora, o precioso poema que vai lhe aclamar! 


'' - Pensará que sou demente,
mas, quando ver frente a frente, 
te dominará o terror.
Quem aí dorme gelado, 
como um cão abandonado
é, com certeza, o próprio amor!
(...)

Foi então que percebeu
que tudo que aconteceu 
foi simbolismo do destino.
Onde lamentava o jovem, 
agora chora um homem
parecendo mais um menino.''

Em PsEUdopoesia, na busca emocionada e sensível de um eu, esbarrei com bons versos e boas rimas, um ritmo gostoso e até musical,  muitas histórias e história alguma, vi Fernando Pessoa, meu primeiro autor preferido, encontrei com Dom Quixote, aquele que minha mãe tanto queria que eu lesse quando nova, conheci Florbela Espanca, mas acima de tudo encontrei um pedaço da alma do poeta Alves Rosa que como uma prosa soube me fazer sonhar! 


''Aquele que nunca vem,
nunca nasce, não desabrocha.''

SORTEIO!!!!
PARA GANHAR ESSA OBRA:


REGRAS:

1 - Seguir e curtir Blog e Face do Overdose Literária!
3 - Comentar esse post e deixar e-mail para contato!

Paula Juliana

16 comentários:

  1. Oi, Paula!
    Este livro me deixou mega interessado. Você o descreveu de forma bem clara e eu super quero lê-lo.
    Espero ter sorte e ser sorteado. Adorei!
    E-mail: oleeoh123@gmail.com
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Tenho ouvido falar muito bem desse livro, lógico que vou participar do sorteio! Tenha um dia abençoado, beijos.

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ah, meu email é paula_lopesg@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Adoro poemas que nos tocam, que mostram um pouco de nós nos outros!

    Uma ou Outra | Fanpage | Twitter | Youtube | Instagram

    ResponderExcluir
  5. Oi, Paula. *-*

    Não sou grande fã de poesias, mas adorei as que foram selecionadas para o post. Um dia ainda pretendo ler um livro totalmente voltado para esse universo. O mais próximo que cheguei foi Métrica da Colleen. Que seja um sucesso a promoção.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books

    ResponderExcluir
  6. Oiiii Paulinha, tudo bem??? Amei essa postagem. As poesias são muito lindas e como você bem disse, difícil não se identificar com apenas uma. Mas as suas palavras sobre o livro, são lindas demais também. Impossível não querer. Vou participar do sorteio sim. Feliz aniversário ao autor =D
    E-mail: gisasouzadeoliveira@bol.com.br
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gih!
      Me identifiquei com vários deles! Boa sorte amada! Beijos

      Excluir
  7. 5/5 já é um bom começo para animar a ler, gostei bastante da resenha e da forma com que o livro fez você se sentir. É sempre bom ter uma boa poesia para ler.
    dessarbernardes@gmail.com

    ResponderExcluir