domingo, 3 de julho de 2016

Resenha: Eu te darei o sol - O amor é apenas a metade da história - Jandy Nelson

Resenha: Eu te darei o sol - O amor é apenas a metade da história - Jandy Nelson
Classificação: 5/5 ♥ Favorito - Do tipo que você deve ler!
Editora: Novo Conceito
Skoob

Sinopse: Eu te darei o sol - O amor é apenas a metade da história - Jandy Nelson
Eu te darei o sol - Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.
Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.
Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.

''Por isso é que ninguém nota que Jude fala por nós dois, por isso é que conseguimos tocar piano somente a quatro mãos, nunca sozinhos, por isso é que nunca brincamos de joquempô, porque nunca em treze anos, escolhemos coisas diferentes. É sempre assim: duas pedras, dois papéis, duas tesouras. Quando não nos desenho assim, eu nos desenho como pessoas pela metade.''

Literatura! Literatura pura, simples, lírica... sincera.
Nada como ler um bom livro e viajar nos seus sentimentos, não é? E existem livros e livros, livros que apenas contam algo e livros que nos fazem viajar junto, eu já li dos dois tipos e de muitos mais, então, quando digo que Eu te darei o sol, é uma riqueza de literatura, é porque ele realmente, para mim, foi uma leitura especial, do tipo de livro que não apenas diz, ele vai mais fundo, ele te pega pela alma e te leva, como uma onda, mais fundo, mais fundo, até que você se afogue nele! 
Quando comecei essa obra de Jandy Nelson foi como em um belo oceano tranquilo, com algumas ondas aqui e ali, em determinado ponto da história, já não conseguia ver a praia, somente o horizonte, e esse é um sentimento maravilhoso de se encontrar dentro de um livro!

''Tem um lugar onde me escondo dentro de mim, um lugar onde ninguém consegue chegar, por mais que tente. Não sabia que ela tinha um lugar assim também.''

Dois irmãos. Duas história. Duas almas que se completam até se perderem...
Assim são Jude e Noah! Posso apresentar duas Judes e dois Noahs para vocês, posso apresentar duas Judes dentro de duas Judes e dois Noahs, dentro de dois Noahs, porque essa obra fala sobre isso, sobre o que as pessoas são por fora, e o que as pessoas são por dentro, sobre as determinadas fases da vida, e como essa vida pode transformar a pessoa. Somos todos humanos, com muitas pessoas dentro de uma só!

Primeira parte:
Noah é um artista, um menino de treze anos que se expressa pelos seus desenhos, que não se mostra para o mundo, ele é estranho, fechado, ele é ele, e não consegue fingir ser outra pessoa. É o menino que ama sua mãe, é a outra parte de sua irmã Jude, pelo menos costumava ser antes de Jude criar peitos, ele é o garoto que sofre Bullying, é aquele que tentam jogar pelo penhasco, é aquele que briga com sua sexualidade, e desenha, desenha tudo com a ponta dos dedos, ou giz e carvão!
Jude é Jude! A menina desabrochando, linda, popular, talentosa, aquela que tem os meninos emaranhados nas pontas dos cabelos, é a filhinha do papai, a que tem muito amigos, aqueles, os legais, é aquela que é normal, é a gêmea que deu certo!

Então a vida acontece... 
E a gente aprende que não tem controle algum sobre ela...

Segunda parte (Isso é uma separação minha, não tem essa divisão no livro):
Agora os irmãos com 16 anos, uma tragédia acontece, caminhos diferentes, eles nem mesmo sabem mais quem são!
Noah é o cara comum, não desenha mais, é o garotos com muitos amigos, e com o normal e até popular escrito na testa, ele é o cara legal, mas agora se esconde, não mostrar mais o menino que é, ou será que esse garoto vive ainda?
Jude é a estranha, grudada na bíblia da avó morta, vendo coisas que não existem, ou existem, quem vai saber, é a artista que não consegue fazer um trabalho sem rachaduras, é a menina que se enconde nas roupas largas, que tem uma cebola dentro do bolso, que acha que vai morrer a qualquer hora por alguma doença qualquer!

''Se um dos irmãos gêmeos se cortar, o outro vai sangrar.''

A obra é intercalada por Noah e Jude contando suas história, esses Noahs e essas Judes, os gêmeos de treze e os gêmeos de dezesseis, e o leitor tenta... tenta juntar os fatos, entender as mudanças dos personagens, entender os mistérios, e o que aconteceu de tão grave para separar, e juntar, e separar e juntar esses irmãos, como um grande quatro está toda a família, um pai e uma mãe, uma divisão, uma dubla que se mistura e muda de lado a toda hora, até que não haja mais lado algum, parece confuso, não é, Eu te darei o sol é sobre a vida, e sobre ser humano, sobre as falhas, sobre os lados bonitos e os feios, sobre a família, e sobre as pessoas que mais são próximos de você e que mais podem te machucar, intencionalmente ou não, e é sobre o AMOR, de muitas e muitas formas e muitas metades, como Jude e Noah, a luz e a escuridão, a tinta e a cor, o sol e a lua, e a linda e louca divisão que esses irmão fizeram! Uma linda bagunça!

'' - Ah, claro - diz ela, surpreendendo-me completamente. - Eu te darei o sol.''

Bem.. e eu nem vou perguntar quem é o maldito Ralph!?!

''Não vejo a menina que subiu na minha escada de incêndio, que acha que derramar açúcar vai mudar sua vida, que acredita que está correndo perigo mortal por causa de um gato, que chora porque não vou ajudá-la. Não vejo a menina que me disse ser tão triste quanto eu sou, que diz que sua mãe furiosa quebra suas obras. Onde está essa menina? - Esse tipo de menina? Seus olhos incendeiam os meus. Ele está esperando uma resposta?'' 
  
A escrita da obra é uma coisa linda, é inspirador ler, é bem indescrevível. Apaixonante!
Tanto pela escrita, pela história, pelos temas, os personagens profundos e humanos, pelos amores, pelas paixões, pelas descobertas, pela beleza do conjunto como uma obra de arte!

''Talvez algumas pessoas simplesmente tenham sido feitas para estar na mesma história.''

Me surpreendi completamente com Eu te darei o sol, não esperava o tipo de leitura que encontrei, fiquei boa parte da leitura me ajustando entre o riso bobo e a emoção que me despertava lágrimas, mas não aquele choro de tristeza, e sim aquela emoção que vem de repente, e do nada é substituída por outro sentimento, mais arrebatador, ou mais singelo, uma história muito bonita, que fico muito, muito feliz de ter lido! 
Eu te darei o sol foi um livro especial e inspirador! Daqueles para se levar no peito! Recomendadíssimo! Não deixem de ler!  

'' Reconstrua o mundo...''

Paula Juliana   

Nenhum comentário:

Postar um comentário