terça-feira, 27 de dezembro de 2016

[RETROSPECTIVA FIM DE ANO] Pensei que Fosse Verdade - Huntley Fitzpatrick @EditoraValentina

[RETROSPECTIVA FIM DE ANO] Pensei que Fosse Verdade - Huntley Fitzpatrick @EditoraValentina 

Resenha: Pensei que Fosse Verdade - Huntley Fitzpatrick
Classificação: 4/5 ♥ Favorito
Editora: Valentina

Sinopse: Pensei que Fosse Verdade - Huntley Fitzpatrick
Um passado a ser esquecido. Um presente nada promissor. Um futuro a ser conquistado.
“O PARAÍSO À BEIRA-MAR.”
“O SEGREDO MAIS BEM GUARDADO DA NOVA INGLATERRA.”
A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui.
Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.

Sonhos! Esperança de um futuro melhor!
Muita emoção, família, amor, amadurecimento!

Ainda fico surpresa que apesar de ler muito, há muitos anos, ainda consigo entrar em uma história profundamente e me emocionar, ser tocada de uma maneira permanente, uma maneira mágica que somente as palavras conseguem, esse encanto, esse feitiço aconteceu com a obra: Pensei que Fosse Verdade, lido com conjunto com muitos blogs parceiros da Editora Valentina. 
Confesso que a história de Gwen essa menina jovem e confusa, forte, inconsequente e ao mesmo tempo madura demorou um pouco para me pegar, mas foi aos poucos e quando vi estava totalmente mergulhada, e melhor ainda é dizer completamente apaixonada com a fragilidade de seus personagens. 

Esse livro fala sobre muitas coisas que me deixaram uma leitora muito reflexiva, uma história adolescente onde o foco não é o romance, é sim os atos, o amadurecimento dos seus personagens, as relações familiares, a consequência de atos, escolhas e atitudes! 

No primeiro momento a obra conta a história de Gwen Castle, uma garota trabalhadora que precisa ajudar em casa, ajudar com a situação financeira da família. No começo da história tudo indica que Gwen fez besteira com os garotos da ilha. Se envolveu com o cara, ou os caras errados e está passando por forte repreensão por causa disso. Está bem na cara também que ela é caidinha por Cassidy Somers que aceita o emprego de faz-tudo na mesma região que mora uma senhora ao qual a mocinha vai fazer papel de acompanhante.

Tive um inicio confuso com a trama, não conseguia entender muita coisa, a história se abria um pouco, mas não entregava muito, até que se abriu totalmente, entre o passado e o presente, personagens vulneráveis, imperfeitos e normais encontrei uma obra sobre ações, amadurecimento, crescimento pessoal, dramas, memórias, situações que podem definir vidas, encontros e desencontros.  

Pensei que Fosse Verdade me tocou profundamente. A autora tem uma forma muito sutil e sensível de escrever. De uma forma leve e até lenta, no bom sentido, vai apresentando seus personagens e fazendo-os íntimos do leitor.  Me identifiquei com Gwen em várias das suas frustrações e fragilidades, me apaixonei pela Senhora Ellington e seus romances eróticos, me cativei com o amor entre a irmã e Emory. Pensei que Fosse Verdade é uma obra para ser admirada e apreciada! Uma ótima leitura! Recomendo! 

Paula Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário