sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Resenha: Imperfeitos - Flawed # 1 - Cecelia Ahern

Resenha: Imperfeitos - Flawed # 1 - Cecelia Ahern
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Imperfeitos - Flawed # 1 - Cecelia Ahern
Celestine North vive em uma sociedade que rejeita a imperfeição. Todos aqueles que praticam algum ato julgado como errado são marcados para sempre, rechaçados da comunidade, seres não merecedores de compaixão. 
Por isso, Celestine procura viver uma vida perfeita. Ela é um exemplo de filha e de irmã, é uma aluna excepcional, bem quista por todos do colégio, além do mais, ela namora Art Crevan, filho da autoridade máxima da cidade, o juiz Crevan.
Em meio a essa vida perfeita, Celestine se encontra em uma situação incomum, que a faz tomar uma decisão instintiva. Ela faz uma escolha que pode mudar o futuro dela e das pessoas a seu redor. 
Ela pode ser presa? Ela pode ser marcada? Ela poderá se tornar, do dia para a noite Imperfeita? 
Nesta distopia deslumbrante, a autora best-seller Cecelia Ahern retrata uma sociedade em que a perfeição é primordial e quem cometer qualquer ato falho será punido. A história de uma jovem que decide tomar uma posição que poderá custar-lhe tudo.

Não tenho ideia de como começar essa resenha de uma forma que expresse o quanto esse livro é incrível, inteligente, deslumbrante como diz a sinopse, é pouco, para mim a autora Cecelia Ahern se superou! Uma autora da vai do romance, ao drama, comédia, e agora o mundo distópico! Realmente por essa não esperava, não esperava que Cecelia ia surfar pelo meu gênero preferido e simplesmente divar! Imperfeitos não só foi uma grande distopia, a introdução para uma senhora série que vêm por ai, como foi uma obra que me fez refletir, que me fez pensar, passar por muitas agonias, desesperos e conflitos, que só quem vive essa nossa vida de leitor sabe como é e como é maravilhoso ser tirado do mundo real por essas tremendas sensações!

Como já é de se esperar no estilo, a autora cria uma nova vertente da sociedade, aqui foi criado um tribunal especial, um tribunal que não julga crimes, um tribunal que julga a moral, o carácter, a índole de uma pessoa. E então temos mais que uma divisão social, em uma sociedade PERFEITA, foi criado o simbolo da IMPERFEIÇÃO. Não somos todos seres humanos que podemos errar e aprender com nossos erros, somos dois mundos, duas divisões, somos PERFEITOS, cidadãos superiores que nunca erraram moralmente, e somos os IMPERFEITOS, esses MARCADOS à ferro e fogo na pele. Os imperfeitos não são nada. Os imperfeitos não são gente. São a escória da sociedade. 

''No dia da Sentença, o juiz decide se o acusado é ou não imperfeito. Se sim, suas imperfeições são pronunciadas publicamente e sua pele é marcada com um I em um dos cinco lugares possíveis. A localização do I depende da transgressão cometida.
Para quem toma decisões ruins, é na têmpora. 
Para quem mente, na linguá.
Para quem trapaceia, na palma da mão direita.''

Nossa protagonista é Celestine, uma menina que nasceu para ser PERFEITA, nasceu com todas as letras perfeitas maiúsculas, é ótima filha, ótima aluna, ótima irmã, namora o filho do Juiz, líder do tribunal que julga quem é perfeito ou não, em uma sociedade que rejeita qualquer tipo de imperfeição, Celestine é uma cidadã modelo, garota exemplar em todos os sentidos. 

E quando iniciei a leitura realmente fiquei incomodada com ela, pois era certinha demais, era fechada naquele mundo, apresentando todo aquele modelo de sociedade como se fosse algo maravilhoso, a ser admirado, e pensei... essa é nossa protagonista? É quem vai derrubar o sistema? Qual é o ângulo dessa história? Como nada é fácil, acompanhamos a mudança dessa personagem já de início, quando ela começa aos poucos a ponderar se aquilo é certo, mesmo tendo contato direto com o juiz, quando suas convicções começam a se alterar e ela começa a ter dúvidas, Celestine é muito inteligente, mas como a maioria das pessoas somente começou a se questionar quando toda aquela bagunça foi parar em seu quintal de casa, quando teve contato pessoal com toda aquela loucura.

Porém, o grande divisor de águas, aquilo que mudou totalmente sua vida, foi a situação apresentada no ônibus, com o velho - não estou sendo pejorativa, assim é apresentado na obra, e é assim que Celestina comete não só um ato de bondade, como também de HUMANIDADE, que vai mudar sua vida totalmente para sempre.

''Quando criança, sempre pensei que, para fugir, você tinha de se levantar e sair correndo, como as crianças faziam nos filmes. Um grito horrendo, a batida de uma porta e a fuga. Mas descobri que muitas pessoas fogem sem precisar sair do lugar. Percebo isso no rosto maquiado da mamãe; quando o papai se perde em seus pensamentos à mesa do jantar; quando Ewan fica no chão, brincando concentrado com seus carrinhos e helicópteros. Juniper foge ao colocar os fones de ouvido e pôr sua música para tocar, de costas para o mundo. Antes, não sabia como fazer isso. Mas agora sei. Estou correndo sem parar em minha mente, em meio ao nada infinito e me sentindo livre.''

Não vou entrar em muitos detalhes quanto ao enredo e o que acontece com nossa personagem. A obra não é focada em romance, o drama é pessoal e social, conhecemos uma personagem tremendamente forte, que vai descobrindo toda essa força ao longo do caminho, amei por ser uma personagem mulher, temos muitos destaques femininos. Algumas partes da leitura são cruéis de se ler, Celestine sofre, passa por muita coisa, e isso é somente o primeiro livro dessa história, estou ainda encantada com a série, claro, que temos personagens importantes masculinos também, e queria chegar há ele agora, Cecelia Ahern me fez apaixonada por um personagem em especial sem nem ao menos o fazer falar, é isso que eu chamo de talento, sabem aqueles personagens que olhamos e pensamos, hummm, esse vai ser nosso mocinho, e em um piscar de olhos já estamos fascinados, realmente estou ansiosa por mais Carrick nessa série, já estou sonhando com os próximos capítulos, ele obviamente vai ser um personagem de extrema importante no contexto de toda a trama. 

IMPERFEITOS foi uma leitura incrível, destruidora em vários sentidos, que engoli, passei noites em claro por não conseguir largar, é daqueles livros, que você lê, lê, e ainda quer mais, a escrita de Cecelia é maravilhosa, é uma tremenda autora não importa o gênero que escolha escrever, quero acompanhar cada linha dessa história, quero que esse sistema quebre, quero essa mocinha tocando o terror, quero mais Carrick, quero que a humanidade entenda que são as nossas imperfeições que nos fazem únicos e quem somos. Nossos defeitos que nos tornam perfeitamente imperfeitos e não tem problema algum nisso! Totalmente indico! Recomendo até o último fio de cabelo, simplesmente desejo que se percam nesse novo mundo!  

Paula Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário