sábado, 25 de fevereiro de 2017

@GuardaEscarlate Pré-venda de A prisão do rei - @Seguinte @Resenha @SérieARainhaVermelha

@GuardaEscarlate Pré-venda de A prisão do rei - @Seguinte @Resenha @SérieARainhaVermelha


Quem comprar "A prisão do rei" na pré-venda online vai ganhar essa bandana linda da Guarda Escarlate!
Junte-se à rebelião e garanta seu exemplar: http://www.editoraseguinte.com.br/noticias/noticias.php?id=1278

Está ansioso para o lançamento? Ouça nossa leitura do 1º capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=gO5J49lJp2k&t=40s


A Rainha Vermelha é um livro complicado de se resenhar, encontramos um mundo inteiramente novo, um enredo mega original, personagens que são envolventes e ao mesmo tempo são misteriosos, são personagens que ficamos analisando o tempo todo, tentando compreender o que estão fazendo, o que acreditam, como são, se estão realmente se mostrando ou são belas e montadas máscaras que vestem! 

Sofri lendo, confiei, por fim não sabia mais para quem torcer, em quem acreditar! 
A história é crítica e totalmente política, porém mistura vários elementos que sou apaixonada, como a distopia no caso de todo o enredo e toda essa sociedade dividida e escravizada, e o sobrenatural nos poderes da elite de sangue prateada, com ação em batalhas totalmente sanguinárias e de tirar o fôlego! 
O romance como na maioria das distopias é uma ferramenta e não o grande foco, ele está presente, faz parte da história, mas é soterrado por todos os confrontos, mentiras e intrigas!


''Entende mesmo, príncipe? Entende como é ser arrancada de tudo o que ama, forçada a ser outra pessoa? Mentir a cada minuto  de cada dia pelo resto da vida? Saber que há algo errado com você?'' 

Mare é uma personagem forte, porém mesmo acreditando que nunca seria levada por esse mundo ela se mete em um jogo de gente grande, muito maior que ela, vira um peão no tabuleiro e não percebe isso. Toda a narrativa é muito boa, a autora vai dando pistas do que está acontecendo, dando pistas das verdadeira faces dos personagens e ao mesmo tempo nos engana e nos ilude, particularmente amo ser iludida por uma boa história e amo o sentimento de desespero das situações finais!   

''Vejo um mundo na corda bamba. Sem equilíbrio, ele cai.''

Alguns fatos que ficam claros desde a primeira página são: que a Rainha é uma vadia sem coração, que os prateados são em sua maioria um povinho ruim e que se acham superior e que os vermelhos são os descartáveis. O Rei bom ou mal só quer que tudo se mantenha como está, a guerra nunca vai acabar e que Mare se meteu em uma furada!


Então conhecemos os dois príncipes! Sou bem sincera, eu como muitas mulheres leitoras sou uma leitora fácil, os príncipes me ganharam nas primeiras frases, e não me importei com a cor do sangue deles, só que ao longo da leitura vamos nos questionando sobre a sinceridade de cada um, geralmente nessas histórias nada é como parece ser. E eu tinha em mente que deveríamos ter nesses dois personagens o grande vilão e o grande mocinho! Porém, quem é quem? Quem é o lobo em pele de cordeiro? Quem está enganando Mare? Quem está nos enganando? Cal o primeiro príncipe? Aquele que é perfeito, bom, justo, o futuro Rei? Aquele que quer conhecer seu povo, mas tem medo da mudança? Ou o jovem Maven, noivo da futura princesa vermelha? Aquele que é gentil, o segundo filho, o que vive na sombra do irmão perfeito? Que quer mostrar seu valor e ser ouvido? Ambos os príncipes são ARDENTES, isso é, controlam o fogo, e Mare nessa disputa real pode ser queimada!   
   
Por escolha minha, não revelei o poder de Mare, assim como não revelei o meu príncipe favorito, aquele que acreditei no caráter e coração do começo ao fim! 

''O ambiente tremula com o calor que a pele de Maven irradia. Me vem à cabeça o temperamento reservado de Cal. Aparentemente, o irmão mais novo também esconde um fogo, até mais potente, e não quero estar perto quando explodir.''


A Rainha vermelha foi uma obra que queria ler a bastante tempo, estava bem ansiosa e assim que chegou larguei tudo que estava fazendo para começar, e não me arrependi, queria que a parte romântica da obra tivesse sido um pouco mais forte, apesar de presente o foco foi sim na sociedade e no poder que cerca todos os seres e seus sangues, foi uma leitura maravilhosa, daqueles que você lê de uma vez só, porque quer saber tudo e não consegue desgrudar, estou com grandes expetativas para o segundo livro, gostei muito de como terminou esse volume, todo o sofrimento, e agonia valeram cada minuto da minha leitura, os suspiros enganosos ou não também, toda a emoção e toda a adrenalina contidos na história fizeram um brilhante livro mergulhado em vermelho e prata! Recomendadíssimo! 

''- Quantos? - grito em resposta, reunindo forças para encará-los. - Quantos morreram de fome? Quantos foram assassinados? Quantas crianças foram levadas para a morte? Quantos, meu príncipe? ''

Paula Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário