Pular para o conteúdo principal

[Especial quatro anos de parceria Novo Conceito] Mentiras Como o Amor - Nem sempre aqueles que mais nos amam são os que nos fazem bem - Louisa Reid

[Especial quatro anos de parceria Novo Conceito] Mentiras Como o Amor - Nem sempre aqueles que mais nos amam são os que nos fazem bem - Louisa Reid


''Minha mãe era a lua. Minguante e crescente. Às vezes ela explodia, brilhante e cheia. Outras vezes era delgada e cruel, cortante como uma faca. E eu só podia me mover quando ela permitia, meu corpo como a maré, ainda preso ás cordas que ela manipulava.''
 
Cruel. Cru. Honesto.
PERTURBADOR!
Se fosse para escolher um sentimento para descrever essa leitura, acredito que a palavra seria: indignação, até posso dizer, raiva. Ao começar a obra Mentiras Como o Amor nada podia me preparar para o que encontraria ao decorrer de suas páginas. A obra é forte, logo de inicio até mesmo um pouco confusa, a gente não sabe muito bem onde a autora Louisa Reid quer nos levar, e ela vai aos poucos nos apresentando a vida de Audrey. Por ter esse ritmo própria, a narrativa eleva a curiosidade do leitor, e no meu caso, me fez devorar o livro.

Divididos em capítulos sob a perspectiva de Audrey - em primeira pessoa, e de Leo - narrador observador, tudo indica que o drama iria tratar de depressão. O que me foi apresentado? Bem, uma obra incrível, que me deixou extremamente revoltada. Me envolvi profundamente com a trama, teve momentos que a leitura foi muito difícil, foi dolorida e triste, mas como uma boa leitora - daquelas que gosta quando o livro mexe emocionalmente e talvez até um pouco masoquista, eu continuei.  

''Todos aqueles segredos. As portas da minha mente rangeram e se abriram. Fechei cada uma delas com toda a força e baixei a cabeça um momento, sentindo-me tonta.''

Audrey não é uma simples adolescente, a moça tem seus problemas, após um incêndio em sua antiga casa, Audrey se muda junto com seu irmão de cinco anos e sua mãe, uma enfermeira, para o que a menina chama de Granja. A casa é melancólica e triste, tão sem vida quanto supostamente Audrey em suas crises. Talvez a única questão positiva dessa mudança seja Audrey conhecer seu vizinho Leo.

Até esse momento a autora me ilude com o que parecia ser um futuro romance. Leo está passando uma temporada na casa de sua tia Sue, depois de muita pressão da parte de seus pais, o garoto explodiu, e necessitou se afastar, Leo faz terapia, e é indicação do terapeuta que Leo precisa de amigos. Ele vê na mudança de seus vizinhos essa oportunidade, porém, quando conhece Audrey alguma coisa nos seus olhos tristes mexe com o garoto.

A obra tem mesmo um romance, mas o foco principal não é nele. Audrey vive uma situação complicada, uma vida entre altos e baixos, quando vive algo bom, é como que para compensar que logo algo muito ruim aconteça, ela sofre por ser esquisita, diferente no colégio, sofre em casa, digamos que, uma superproteção/obsessão de sua mãe e posso até dizer que sofre pelo modo que é tratada, como uma vítima, uma pessoa incapaz, doente.

Várias cenas envolvendo Audrey me incomodaram muito ao ler, o modo como a mãe trata ela me incomodou, as palavras usadas, o tratamento em si, e ao longo de suas mais de 400 páginas TUDO foi piorando. A Autora aborda na obra mais que a depressão, trás a luz uma doença que eu não conhecia, que foi bem chocante quando descoberta. O fim é bem forte e nada previsível. 

Gostei muito de Mentiras Como o Amor, não sei se leria uma segunda vez, meu contato com a obra foi muito INTENSO, os sentimentos causados pela leitura bem fortes, algumas vezes me deu vontade de largar, mas a curiosidade não deixou. Enfim, não me arrependo de ter continuado, muito pelo contrario, a obra é incrível, muito bem escrita por Louisa Reid, e com um tema que apesar de não muito conhecido, real, que pode acontecer com qualquer um em vários níveis. 
Recomendadíssimo para quem tem nervos fortes. 



''Que a felicidade é ser amada por quem você é sem nenhuma reserva ou hesitação, sem retroceder ou se importar com o que qualquer pessoa venha a pensar. Era confiança; fé; era saber que o amor que você dá fica seguro no coração de outra pessoa.''

Paula Juliana

Comentários

  1. Uau! Fiquei curiosa, vc descreveu o livro, com uma arte muito bem construída em todos os detalhes.

    Parabéns!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Últimas Postagens Overdose:

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler

Resenha: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler
Classificação: 5/5 ♥ Favorito 
Editora: Novo Conceito
Skoob

Sinopse: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler
Dez coisas que aprendi sobre o amor - Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas,…

Resenha: Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Millennium # 1 - Stieg Larsson

Resenha: Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Millennium # 1 - Stieg Larsson Classificação: 5/5 ♥ Favorito  Editora: Companhia das Letras Skoob
Sinopse: Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Millennium # 1 - Stieg Larsson Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Vem da Suécia um dos maiores êxitos no gênero de mistério dos últimos anos: a trilogia Millennium - da qual este romance, Os homens que não amavam as mulheres, é o primeiro volume. Seu autor, Stieg Larsson, jornalista e ativista político muito respeitado na Suécia, morreu subitamente em 2004, aos cinqüenta anos, vítima de enfarte, e não pôde desfrutar do sucesso estrondoso de sua obra. Seus livros não só alcançaram o topo das vendas nos países em que foram lançados (além da própria Suécia, onde uma em cada quatro pessoas leu pelo menos um exemplar da série, a Alemanha, a Noruega, a Itália, a Dinamarca, a França, a Espanha, a Itália, a Espanha e a Inglaterra), como receberam críticas entusiasmadas. O motivo do sucesso reside em vá…

Resenha: Chamas na Escuridão - After Dark - Livro 01 - Sadie Matthews

Resenha: Chamas na Escuridão - After Dark - Livro 01 - Sadie Matthews
Classificação: 4/5
Editora: Companhia Editora Nacional
Skoob

Sinopse: Chamas na Escuridão - After Dark - Livro 01 - Sadie Matthews
Chamas na Escuridão - Essa série provocante vai cativar, envolver e, até mesmo, ‘intoxicar’ a leitora como nenhuma outra. Perfeita para aqueles que amaram 50 Tons de Cinza, mas ficaram querendo mais... A história central se passa em Londres, nos bairros mais badalados dessa encantadora cidade. Mas os protagonistas, Beth - graduada em História da Arte, e Dominic – consultor do mercado financeiro, vão se aventurar também na Croácia, Turquia e NY. Profundamente intensa, romântica, provocante e sensual, essa série vai levar a leitora a um lugar onde o amor e o sexo são liberados de seus limites. Fãs de E.L. James e Sylvia Day vão se manter acordados até tarde da noite com “Chamas na Escuridão”.


''Não há prazer sem dor. Não há paixão sem sofrimento. Prefiro me sentir viva a viver em seguran…