Pular para o conteúdo principal

Resenha: Divergente - Divergente - Livro 1 - Veronica Roth

Resenha: Divergente - Divergente - Livro 1 - Veronica Roth
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Rocco 
Skoob 

Sinopse: Divergente - Divergente - Livro 1 - Veronica Roth
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
"Abro os olhos e lanço meu braço para a esquerda. O sangue pinga no carpete, entre os dois recipientes. Depois, com um suspiro que não consigo conter, lanço meu braço para a frente, e meu sangue faz as brasas chiarem. Sou egoísta. Sou corajosa. "  

Sabe quando lemos uma história e gostamos tanto que só o ato de escrever sobre ela nos dá medo? Medo de não passar para quem está lendo o quanto ela é grandiosa. O quanto te ensinou, te emocionou e te viciou. Medo de não conseguir expressar o quão grande e bonito é a sua mensagem.
É isso que sinto ao escrever sobre esse livro. Divergentes da Autora Veronica Roth. Sou uma amante das distopias, não é de hoje que essa atmosfera caótica, juntamente com sua crítica social e seus romances tão intensos me agradam. Hoje posso afirmar que um dos meus gêneros literários preferidos (se não o preferido!) é o Gênero Distópico.

"Trabalhando juntas, as cinco facções têm vivido em paz há anos, cada uma contribuindo com um diferente setor da sociedade. A Abnegação supriu nossa demanda por líderes altruístas no governo; a Franqueza providenciou líderes confiáveis e seguros no setor judiciário; a Erudição nos ofereceu professores e pesquisadores inteligentes; a Amizade no deu conselheiros e zeladores compreensivos; e a Audácia se encarrega de nossa proteção contra ameaças tanto internas quanto externas."

Divergentes é um arraso. Em meio a toda sociedade criada, ele nos leva a conhecer cinco facções: Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição. É por meio delas que a sociedade é construída, e as pessoas se relacionam. Nossa ''mocinha'' é uma Careta, uma Abnegada. Quando completam dezesseis anos, as pessoas são colocadas para fazer um teste de aptidão que vai dizer se você deve ficar na sua facção ou mudar de facção. Porém, a um pequeno detalhe... ''Facção a frente do sangue''. Se você trocar de facção, troca de vida e começa uma história nova, não tem mais família. Será que tudo isso vale a pena?

'' Em Certas Partes do mundo antigo, o gavião simboliza o sol. Quando fiz esta tatuagem, pensei que, se eu carregasse o sol comigo, não teria medo do escuro.''

Tris é a nossa valente mocinha. Ao conhece-la realmente pude ver o que é uma protagonista corajosa. Beatrice seguiu o que seu coração mandou, foi direta, egoísta e corajosa. Foi dura. Me fez chorar com ela, vezes por ela, vezes por seus atos. Entramos de cabeça no mundo dela. Sofremos em silencio. Choramos de noite e reprimimos o choro com ela; pulamos de trens e se apaixonamos com ela. Fico muito feliz de ter acompanhado essa primeira parte de sua transição.

'' -Você é minha filha. Não importo com as facções. - Ela balança a cabeça. - Veja só para onde elas nos levaram. Os seres humanos, de uma maneira geral, não conseguem se bons por muito tempo antes que o mal penetre novamente entre nós e nos envenene.
(...) - Seja corajosa, Beatrice. E amo você. ''

''Meu pai costumava dizer que, ás vezes, a melhor maneira de ajudar alguém é simplesmente ficando ao seu lado.''

A família é um ponto muito forte nessa história. Apesar da família da protagonista ser afastada dela logo de inicio, foi presente durante todo o tempo na narrativa. No começo do livro a Autora colocou uma dedicatória falando sobre a força das mães e em especial a sua e a de Tris. Fui entender o que ela se referiu durante a narrativa. A Mãe de Tris chega a ser mais forte e durona que ela. Me EMOCIONEI demais nessas partes, talvez por ter uma forte relação com minha mãe, ou talvez, pelas cenas serem tão fortes e intensas que era impossível não se envolver.

'' Mas o objetivo não é perder o medo. Isso seria impossível. Aprender a controlar seu medo  e libertar-se dele é o verdadeiro objetivo.''

'' Ninguém é perfeito - sussurro. - As coisas não funcionam assim. Quando nos livramos de uma coisa ruim, outra substitui.''  

Temos também uma referencia muito grande quanto aos medos. Nossos personagens são testados, confrontados e aterrorizados. Não para aprender a superar seus medos, e sim para aprender a controlá-los. Ser mais forte do que o que pode te derrubar.

'' -Meu instinto imediato é de pressionar você até que você ceda, só para ver o quanto terei que empurrar - diz ele, apertando os dedos ao falar a palavra ''ceda''. Meu corpo fica tenso com a aspereza da sua voz e se contrai como uma mola, fazendo com que me esqueça de respirar. ''

E agora eu TENHO que falar do mocinho. O que seria das boas histórias, sem seus bons heróis? Nada! Precisamos dos protagonistas fortes e que nos conquistam, que nos fazem suspirar e sofrer. Sem eles as histórias (as Boas histórias!) não seriam nada! 
Aqui temos Quatro. Sim Quatro é o apelido do nosso grande herói! Seu nome e o motivo do apelido descobrimos no final (tenho que falar que eu matei a história antes de aparecer!! Palmas para mim!!!).

Beatrice pode achar que não; mais eu achei Quatro ''doce, gentil ou especialmente bondoso'';''esperto e corajoso'' e Forte. Não foi amor a primeira vista nem nada. Só reparei que estava lá no sofá suspirando por ele perto da página 300 e aí já era. Não só pelas cenas bonitinhas, mas pelo apoio e proteção que ele oferece a ela, mesmo ela sendo durona como é. Quatro é um belo personagens. Amei ele!

'' -Você esta Bonita Tris.
Suas palavras me surpreendem, e meu coração salta de repente.'' 

'' Que quer que seja eu gosto dele. Agora é mais fácil admitir isso a mim mesma, no escuro, depois de tudo que aconteceu. Ele não é doce, gentil ou especialmente bondoso. Mas é esperto e corajoso e, embora tenha me salvado, tratou-me como uma pessoa forte.''

Espero ter passado um pouco de como Divergente é uma obra Maravilhosa. Todas as lições da história, os medos que somos capazes de aprender a superar antes que nos superem. O amor incondicional de uma família, a relação entre pais e irmãos, que sociedade nenhuma no mundo é capaz de destruir, e a força de caráter e luta em meio a uma sociedade em ruínas.
Divergente é nota 1.000!

''Havia fogo na lareira e paz no meu coração...tudo era tranquilo.
Eu nunca havia sido carregada nas costas por um garoto enorme, ou gargalhado tanto na mesa de jantar que minha barriga doesse, ou escutado o tumulto de centenas de pessoas falando ao mesmo tempo. A paz é contida; isso aqui é liberdade.''

Paula Juliana

Comentários

Últimas Postagens Overdose:

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Millennium # 1 - Stieg Larsson

Resenha: Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Millennium # 1 - Stieg Larsson Classificação: 5/5 ♥ Favorito  Editora: Companhia das Letras Skoob
Sinopse: Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Millennium # 1 - Stieg Larsson Os Homens que Não Amavam as Mulheres - Vem da Suécia um dos maiores êxitos no gênero de mistério dos últimos anos: a trilogia Millennium - da qual este romance, Os homens que não amavam as mulheres, é o primeiro volume. Seu autor, Stieg Larsson, jornalista e ativista político muito respeitado na Suécia, morreu subitamente em 2004, aos cinqüenta anos, vítima de enfarte, e não pôde desfrutar do sucesso estrondoso de sua obra. Seus livros não só alcançaram o topo das vendas nos países em que foram lançados (além da própria Suécia, onde uma em cada quatro pessoas leu pelo menos um exemplar da série, a Alemanha, a Noruega, a Itália, a Dinamarca, a França, a Espanha, a Itália, a Espanha e a Inglaterra), como receberam críticas entusiasmadas. O motivo do sucesso reside em vá…

Resenha: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler

Resenha: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler
Classificação: 5/5 ♥ Favorito 
Editora: Novo Conceito
Skoob

Sinopse: Dez coisas que aprendi sobre o amor - Sarah Butler
Dez coisas que aprendi sobre o amor - Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas,…

Resenha: Chamas na Escuridão - After Dark - Livro 01 - Sadie Matthews

Resenha: Chamas na Escuridão - After Dark - Livro 01 - Sadie Matthews
Classificação: 4/5
Editora: Companhia Editora Nacional
Skoob

Sinopse: Chamas na Escuridão - After Dark - Livro 01 - Sadie Matthews
Chamas na Escuridão - Essa série provocante vai cativar, envolver e, até mesmo, ‘intoxicar’ a leitora como nenhuma outra. Perfeita para aqueles que amaram 50 Tons de Cinza, mas ficaram querendo mais... A história central se passa em Londres, nos bairros mais badalados dessa encantadora cidade. Mas os protagonistas, Beth - graduada em História da Arte, e Dominic – consultor do mercado financeiro, vão se aventurar também na Croácia, Turquia e NY. Profundamente intensa, romântica, provocante e sensual, essa série vai levar a leitora a um lugar onde o amor e o sexo são liberados de seus limites. Fãs de E.L. James e Sylvia Day vão se manter acordados até tarde da noite com “Chamas na Escuridão”.


''Não há prazer sem dor. Não há paixão sem sofrimento. Prefiro me sentir viva a viver em seguran…