terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

@GuardaEscarlate Pré-venda de A prisão do rei - @Seguinte @Resenha @SérieARainhaVermelha

@GuardaEscarlate Pré-venda de A prisão do rei - @Seguinte @Resenha @SérieARainhaVermelha


Quem comprar "A prisão do rei" na pré-venda online vai ganhar essa bandana linda da Guarda Escarlate!
Junte-se à rebelião e garanta seu exemplar: http://www.editoraseguinte.com.br/noticias/noticias.php?id=1278

Está ansioso para o lançamento? Ouça nossa leitura do 1º capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=gO5J49lJp2k&t=40s


A Rainha Vermelha é um livro complicado de se resenhar, encontramos um mundo inteiramente novo, um enredo mega original, personagens que são envolventes e ao mesmo tempo são misteriosos, são personagens que ficamos analisando o tempo todo, tentando compreender o que estão fazendo, o que acreditam, como são, se estão realmente se mostrando ou são belas e montadas máscaras que vestem! 

Sofri lendo, confiei, por fim não sabia mais para quem torcer, em quem acreditar! 
A história é crítica e totalmente política, porém mistura vários elementos que sou apaixonada, como a distopia no caso de todo o enredo e toda essa sociedade dividida e escravizada, e o sobrenatural nos poderes da elite de sangue prateada, com ação em batalhas totalmente sanguinárias e de tirar o fôlego! 
O romance como na maioria das distopias é uma ferramenta e não o grande foco, ele está presente, faz parte da história, mas é soterrado por todos os confrontos, mentiras e intrigas!


''Entende mesmo, príncipe? Entende como é ser arrancada de tudo o que ama, forçada a ser outra pessoa? Mentir a cada minuto  de cada dia pelo resto da vida? Saber que há algo errado com você?'' 

Mare é uma personagem forte, porém mesmo acreditando que nunca seria levada por esse mundo ela se mete em um jogo de gente grande, muito maior que ela, vira um peão no tabuleiro e não percebe isso. Toda a narrativa é muito boa, a autora vai dando pistas do que está acontecendo, dando pistas das verdadeira faces dos personagens e ao mesmo tempo nos engana e nos ilude, particularmente amo ser iludida por uma boa história e amo o sentimento de desespero das situações finais!   

''Vejo um mundo na corda bamba. Sem equilíbrio, ele cai.''

Alguns fatos que ficam claros desde a primeira página são: que a Rainha é uma vadia sem coração, que os prateados são em sua maioria um povinho ruim e que se acham superior e que os vermelhos são os descartáveis. O Rei bom ou mal só quer que tudo se mantenha como está, a guerra nunca vai acabar e que Mare se meteu em uma furada!


Então conhecemos os dois príncipes! Sou bem sincera, eu como muitas mulheres leitoras sou uma leitora fácil, os príncipes me ganharam nas primeiras frases, e não me importei com a cor do sangue deles, só que ao longo da leitura vamos nos questionando sobre a sinceridade de cada um, geralmente nessas histórias nada é como parece ser. E eu tinha em mente que deveríamos ter nesses dois personagens o grande vilão e o grande mocinho! Porém, quem é quem? Quem é o lobo em pele de cordeiro? Quem está enganando Mare? Quem está nos enganando? Cal o primeiro príncipe? Aquele que é perfeito, bom, justo, o futuro Rei? Aquele que quer conhecer seu povo, mas tem medo da mudança? Ou o jovem Maven, noivo da futura princesa vermelha? Aquele que é gentil, o segundo filho, o que vive na sombra do irmão perfeito? Que quer mostrar seu valor e ser ouvido? Ambos os príncipes são ARDENTES, isso é, controlam o fogo, e Mare nessa disputa real pode ser queimada!   
   
Por escolha minha, não revelei o poder de Mare, assim como não revelei o meu príncipe favorito, aquele que acreditei no caráter e coração do começo ao fim! 

''O ambiente tremula com o calor que a pele de Maven irradia. Me vem à cabeça o temperamento reservado de Cal. Aparentemente, o irmão mais novo também esconde um fogo, até mais potente, e não quero estar perto quando explodir.''


A Rainha vermelha foi uma obra que queria ler a bastante tempo, estava bem ansiosa e assim que chegou larguei tudo que estava fazendo para começar, e não me arrependi, queria que a parte romântica da obra tivesse sido um pouco mais forte, apesar de presente o foco foi sim na sociedade e no poder que cerca todos os seres e seus sangues, foi uma leitura maravilhosa, daqueles que você lê de uma vez só, porque quer saber tudo e não consegue desgrudar, estou com grandes expetativas para o segundo livro, gostei muito de como terminou esse volume, todo o sofrimento, e agonia valeram cada minuto da minha leitura, os suspiros enganosos ou não também, toda a emoção e toda a adrenalina contidos na história fizeram um brilhante livro mergulhado em vermelho e prata! Recomendadíssimo! 

''- Quantos? - grito em resposta, reunindo forças para encará-los. - Quantos morreram de fome? Quantos foram assassinados? Quantas crianças foram levadas para a morte? Quantos, meu príncipe? ''

Paula Juliana

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

[Seguinte] Especial Sarah Dessen - Os Bons Segredos e Uma canção de Ninar @Seguinte

[Seguinte] Especial Sarah Dessen - Os Bons Segredos e Uma canção de Ninar @Seguinte 


''A cada instante, havia infinitas chances de caminhos se cruzarem e vidas se chocarem, se unirem ou algo do tipo. Era incrível que fôssemos capazes de viver sabendo que tudo podia ocorrer por puro acaso. Mas qual era a alternativa?''

Terminar um bom livro sempre nós dá uma sensação de dever cumprido, e com uma boa história criamos um compartimento, com aquela bagagem emocional que é ativada com alguma citação, um objeto, uma palavra, uma lembrança. Os bons segredos foi uma obra CHEIA, recheada de sensações e emoções, situações que por tão simples fazem o leitor se identificar e criar uma ligação com a história!  

Quem nunca se sentiu invisível? Se sentiu em segundo plano, um mero observador em sua própria vida? Quando convivemos com pessoas, sendo na família, grupo de amigos, estudos ou trabalho é normal em algum momento não ser a pessoa em primeiro plano, todos temos problemas, ou dramas que não esperam você se curar, apenas batem em sua porta. Sidney nossa protagonista se considera uma pessoa invisível, passou a vida toda a sombra de seu irmão Peyton. Era sempre ele o mais bonito, carismático, popular, o grande filho, irmão, amigo, até que em determinado momento virou o grande problema, se metendo com pequenos crimes e drogas, porém continuando mesmo que de forma negativa a ser o centro de todas as atenções.

Como que em uma volta de carrossel a vida fez sua trajetória e Peyton fez algo que não tinha mais concerto. 
Uma noite. Um menino atropelado por um motorista bêbado. Um garoto presso em uma cadeira de rodas. Outro garoto trancado na prisão, pagando por seus erros.

Foi assim que Sidney se viu em um momento difícil de vida, sua convivência com seus pais estava cada dia mais complicada, uma mãe super protetora que não via o filho como um culpado, e sim como uma vítima, um pai que não tomava partido de nada, o irmão presso - esse agora um desconhecido, não o menino que cresceu com ela e um garoto que perdeu os movimentos das pernas. Sidney tomou a culpa toda para si, pois afinal alguém teria que fazer isso, não é?!

Apesar de tudo, um dia a menina invisível é notada, é em uma pizzaria, no meu de uma família tão unida e tão real que Sidney finalmente se sente parte de algo. Conhece Layla uma maluquinha menina apaixonada por batatas fritas, conhece Mac o irmão de Layla que não é só um rostinho bonito, entre pizzas, músicas, dramas, brincadeiras e muita amizade uma linda história se forma e Sidney passa finalmente a ser a grande protagonista de sua vida!

Sarah Dessen tem uma escrita despretensiosamente deliciosa. Comecei o livro sem expetativas nenhuma, sem saber muito bem o que iria encontrar e aos poucos fui sendo cativada, conquistada pelo drama e pelos personagens. É um livro jovem, mostra realidades e situações que poderiam facilmente acontecer com qualquer um. É uma obra madura, apesar da premissa com personagens novinhos ainda no ensino médio, os pensamentos, a narrativa, os assuntos abordados são ''coisas de gente grande''!

Três grandes destaques durante a leitura. 
Primeiro a relação de amizade entre Layla e Sidney e como ambas floresceram durante a história por causa dessa amizade. Segundo, as relações familiares e tantos temas que foram abordados, como a relação mãe e filha, a confiança, os limites de espaço que são muitas vezes ultrapassadas de ambos os lados, foi muito fácil entender e enxergar os pontos de Sidney, já que estávamos dentro de sua mente, vendo suas aflições, medos, culpas, e ao mesmo tempo sentindo que queria ser vista naquela família, ser entendida, ser escutada. Afinal, quem nunca? E terceiro, o romance mega fofo que se mostrou uma ponte firme entre toda a história e suas nuances. Mac é um personagem apaixonante, menino doce, esforçado, inteligente que até pouco tempo era o gordinho da família, o menino invisível, que se transformou no bonitão tímido que não gostava dos holofotes.

Os Bons Segredos é uma obra sensível. Mergulhei na leitura, nem senti suas 400 páginas, me envolvi com cada um dos personagens, ficando do lado de uns e totalmente contra outros, tomando as dores e seus amores. A simbologia da obra, suas fases, seu final calmo e ao mesmo tempo agoniante me fizeram amar a história e a escrita envolvente de Sarah Dessen. Uma história profunda, coberta de gentilezas e sutilezas que conquistam qualquer leitor! Recomendadíssimo!

''Quando nos vemos diante da coisa mais assustadora, só queremos voltar atrás, nos esconder no nosso lugar invisível. Mas não podemos. É por isso que o importante não é apenas sermos vistos, mas ter alguém que nos veja também.''

*Resenha original OS BONS SEGREDOS:



"Eu sabia que não havia garantias. Não tinha como saber o que viria a seguir para mim, ou para ele, ou para qualquer um. Algumas coisas não duravam para sempre, mas outras, sim. Como uma boa música, ou um bom livro, ou uma boa lembrança que se pode pegar e desdobrar nos piores momentos, segurando pelos cantos e olhando bem de perto, esperando reconhecer a pessoa que se vê ali.''

E tudo se resume ao amor! Não é ele que dá aquele sentido a vida? Que faz as pessoas acordarem felizes e destemidas, para enfrentar o que vêm pelo caminho?! APARENTEMENTE NÃO! Bem... não para nossa jovem protagonista que é para lá de descrente em relação ao tão superestimado AMOR! Remy essa garota durona e teimosa, cética e cheia de personalidade NÃO ACREDITA no amor! E Uma canção de Ninar vai contar o porque!!

Bárbara a mãe de Remy pode ter um pouco de culpa nessa história, depois de QUATRO casamentos, essa escritora romântica ainda não desistiu e está a caminho do quinto. Enquanto isso a filha Remy adotou a política do pega mais não se apega, com a sua vida social animada e suas amigas Lisa, Jess e Chloe, a garota vai aproveitar muito seu último ano antes de ir para a faculdade. 

"Eu já não tinha mais nenhuma ilusão a respeito do amor. Ele vinha, ele ia, deixava vítimas ou não. As pessoas não eram feitas para ficar juntas para sempre, independente do que diziam as músicas."

Remy tem sua filosofia, sua regra em relação aos garotos, ela nunca deixa ficar sério, não deixa ELES partirem seu coração e principalmente, NADA de ficar com MÚSICOS. 
O trauma em relação aos músicos se deve ao seu pai, que nunca conheceu, que na verdade faleceu quando a menina tinha os seus dois anos de idade, antes de partir ele escreveu uma música, uma canção de ninar! Essa que se faz muito presente na vida da menina até hoje. 

"E tudo se resumia a amor, ou a falta dele. Tudo que arriscamos, sem saber muito bem, ao nos apaixonarmos ou nos afastarmos e nos fecharmos, protegendo nosso coração com toda força."

Porém, é o último ano e Remy quer movimento, está pronta para um romance de verão, daqueles com prazo de validade, um amor de verão rápido e intenso. 
E acaba conhecendo Dexter, que é músico! Irônico, não?!!!
Ele está na cidade com sua banda de passagem. Dexter sente uma conexão, e procura ficar próximo de Remy. Ele faz a garota quebrar suas próprias regras, e tudo que terá é UMA Chance, somente uma chance com seu jeito louquinho, impulsivo e desajeitado de mostrar que o amor pode ser verdadeiro e fiel.

"Enquanto o resto do mundo seguia alheio, tomando o café, lendo o caderno de esportes e pegando as roupas na lavanderia, eu me inclinava para frente e beijava Dexter, fazendo uma escolha que mudaria tudo. Talvez em algum lugar houvesse uma reverberação, um salto, uma pequena mudança no universo, quase despercebida. Não senti naquela hora. Senti apenas que ele retribuía o beijo, me levando para a luz do sol enquanto eu me perdia no gosto de sua boca e sentia o mundo seguir seu rumo, como sempre havia feito, à nossa volta."

A história pode parecer clichê e até é, porém, funciona de uma maneira incrível
Assim como no primeiro livro da autora que li e me apaixonei loucamente, a escrita é fácil, leve e despretensiosa. É real, pode não ter inúmeras reviravoltas e surpresas, mas é o tipo de história que pode acontecer com qualquer um. 
Quantas vezes nos machucamos e deixamos de crer em algo? A vida pode ser cruel e quebrar muitas vezes o coração das pessoas. Remy não se deixava amar, tudo que conheceu e viu do amor a sua volta é que não dava certo, que não durava, que não era real. Precisou muitas voltas do destino e muito amadurecimento para quebrar essa convicção, e deve existir muitas Remys nesse mundo, e mutos Dexters também, a mensagem da narrativa é linda, é sensível, e com seus diálogos espirituosos e engraçados mostra que nunca é tarde para segundas chances. 

"Qual seria a sensação, me perguntei, de amar alguém tanto assim? A ponto de não conseguir se controlar quando a pessoa chegava perto, como se pudesse simplesmente se livrar de qualquer coisa que a estivesse segurando e se jogar sobre o outro com força suficiente para tomar conta dos dois?"

Uma canção de Ninar é bem desenvolvido, é leve, engraçado e fluído, uma leitura gostosa e agradável. Com personagens reais e marcantes, que amadurecem e crescem durante toda a narrativa, um Young Adult sobre autoconhecimento, quebra de tabus e preconceitos, dramas pessoais, humor, superação e acima de tudo AMORRecomendadíssimo!

''- Medo de quê? - perguntei.
- De arriscar - ela disse. - De se soltar e ceder, e é isso que nos transforma no que somos. Riscos. Isso é viver Remy. Ficar com tanto medo a ponto de nem tentar é um desperdício. Posso dizer que cometi muitos erros, mas não me arrependo de nada. Porque pelo menos sei que não passei a vida toda à margem, imaginando como seria viver."


*Resenha Original UMA CANÇÃO DE NINAR:

Paula Juliana

domingo, 19 de fevereiro de 2017

[Pré-venda] A prisão do rei - Victoria Aveyard @Seguinte @ResenhaEspadadeVidro @SérieARainhaVermelha @GuardaEscarlate

[Pré-venda] A prisão do rei - Victoria Aveyard @Seguinte @ResenhaEspadadeVidro @SérieARainhaVermelha @GuardaEscarlate


A Prisão do Rei- Uma jaula silenciosa. Uma guerra lá fora. - A Rainha Vermelha # 3 - Victoria Aveyard

Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira. Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.

Resenha: Espada de Vidro - A Rainha Vemelha # 2 - Victoria Aveyard
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Seguinte

Sinopse: Espada de Vidro - A Rainha Vemelha # 2 - Victoria Aveyard
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

''Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.''

Me sinto completamente viciada nessa história, enlouquecido, tudo que conseguia pensar nesses dias que li Espada de Vidro foi em seus personagens, seu enredo, onde esse caminho todo iria me levar, e confesso para vocês que a trajetória foi incrível. Hoje como leitora não sou vermelha, nem prata, meu sangue e meu coração tem outra cor e um novo ideal. Perdoem meus devaneios, porém não tem como não entrar no clima dessa distopia fantástica escrita pela diva Victoria Aveyard e não entrar nesse jogo louco de poder, torcer ainda mais por seus personagens e temer muito as reviravoltas da trama.

Espada de Vidro foi INTENSO!
Dizer que me fez sofrer foi pouco, começamos a narrativa tão machucados e na defensiva quanto nossa mocinha Mare, depois dos eventos traumáticos do fim do primeiro volume - A Rainha Vermelha, entramos na história no ponto que terminou a obra anterior, estamos se recuperando, e ao mesmo tempo lutando essa guerra entre cores. 

Recapitulando:    

''É realmente um jogo de poderes, com muitas traições, muita manipulação, um jogo de xadrez onde os peões não são os únicos a morrer! E eu com meu humor negro e coração crítico AMEI essa história! Amei sofrer, ser manipulada, ser uma brincadeira nas mãos desses seres de sangue prateado! Nada de sangue azul aqui, a nobreza vêm em prata e seu sangue também! 

'' Os deuses ainda governam. Ainda descem das estrelas. Só não são mais gentis.''

Em uma sociedade totalmente desequilibrada, uma sociedade cruel e mortal, ''os deuses'' os seres que governam mandam e desmandam são os Prateados, eles não são como os Vermelhos, os prateados tem poderes, são os senhores de suas casas, são os governantes dessa brincadeira toda.

Nossa história se inicia em Norta. Com um povo de sangue vermelho, que trabalha para sustentar a elite prateada. Estamos em um mundo em guerra, não só pela desigualdade, é batalhas e confrontos desde muito, muito tempo. São os prateados que tem poderes, como ler mentes, controlar fogo, água, metal, e são os vermelhos que encontramos nos campos de guerra, são as pessoas de sangue vermelho que estão lá na linha de frente enfrentando a morte, sem poder ter escolha, eles nunca podem ter escolha, eles não mandam em nada!  

''Nunca sobreviveríamos ao inverno do norte; o leste é só mar; no oeste; há mais guerra; o sul é um inferno radiativo... e qualquer lugar no meio disso está lotado de prateados e agentes de segurança.''

Mare Barrow  é nossa mocinha, e é uma vermelha.
Mare não tem um ofício como sua irmã, é obrigada a roubar para ajudar em casa e espera completar 18 anos para ser mandada para a guerra, assim como seus três irmãos, todos vão e ninguém volta para contar a história! 

''A guerra prateada deles é paga com sangue vermelho.''

Só que por uma sorte do destino, ou não, Mare conhece em uma situação inusitada um misterioso homem, esse homem lhe salva da guerra, e coloca Mare trabalhando diretamente com a família real em sua casa de verão, e agora Mare está vendo uma outra parte do mundo!

É durante uma disputa sangrenta de jovens de todas as casas do reino para saber quem vai ser a próxima princesa, a mais forte e poderosa próxima princesa prateada, que Mare sofre um acidente e é salva por um poder, seu poder, esse que nunca soube possuir, porém Mare é uma pessoa de sangue vermelho, VERMELHOS não possuem poderes, e quando ela mostra seu poder na frente de milhares de prateados e da família real, sua vida muda da água para o vinho. 

''O mundo mudou ao nosso redor e permanecemos os mesmos.''

Mare vira uma peça do jogo, uma peça que pode manipular toda a população vermelha que vinha se rebelando, e um instrumento nas mãos do Rei e da Rainha para que a sociedade permaneça da forma que está durante mais um longo tempo.
Mare assume o papel de uma nobre prateada de uma casa extinta, filha de um herói prateado de guerra! E futura esposa do segundo príncipe!  

Dois príncipes prateados, duas personalidades completamente diferentes e dois ideais, os dois que escondem muitos segredos que podem levar uma nação a morte e muito mais sangue a ser derramado... vermelho e prata!

''Vejo um mundo na corda bamba. Sem equilíbrio, ele cai.''

Mare é uma personagem forte, porém mesmo acreditando que nunca seria levada por esse mundo ela se mete em um jogo de gente grande, muito maior que ela, vira um peão no tabuleiro e não percebe isso. Toda a narrativa é muito boa, a autora vai dando pistas do que está acontecendo, dando pistas das verdadeira faces dos personagens e ao mesmo tempo nos engana e nos ilude, particularmente amo ser iludida por uma boa história e amo o sentimento de desespero das situações!''

Em Espada de Vidro o vilão e o mocinho estão muito bem definidos, sabemos contra quem temos que lutar e se proteger, Mare está mais forte, mais segura do seu papel na sociedade e como é importante fazer a diferença nesse momento e lutar não somente para sobreviver, e também para derrubar esse sistema doloroso e cruel.

Maven continua sendo Maven. Agora mostrando a sua verdadeira face.
Cal é e sempre foi meu príncipe preferido e não importa onde o enredo nos levar - coloco a mão no fogo por ele - entenderam o trocadinho?! Nossos príncipes, esses personagens tão dúbios e importantes são Prateados que controlam o fogo e junto com Mare e seu poder elétrico vão mexer com uma guerra de raças.
Um dos grandes objetivos desse volume é a busca de iguais como Mare, vermelhos de sangue que tenham poderes dos prateados, assim os salvar do terrível Rei, antes que ele os encontre e os mate, e juntar ajuda, toda a ajuda possível para se preparar para o grande finale.

Estou ansiosa por mais!

Espada de vidro foi uma senhora sequencia, de tirar o fôlego, de suspirar, de ter voltas e reviravoltas muito importantes e como já é de costume da autora ter muitos jogos de enganação, por muitas vezes durante a leitura personagens tiveram ações que nos surpreenderam e nos enganaram, pois as vezes nada é como parece e talvez, só talvez... os fins justifiquem os meios.
Terminei viciada e apaixonada! Na torcida e completamente histérica! Victoria Aveyard tem uma escrita envolvente e gostosa e soube criar ótimos personagens que cativam o leitor e nos fazem sofrer a cada página!
RECOMENDADÍSSIMO!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Resenha: Dois Mundos - Tesouro da tribo de Dana # 1 - Simone O. Marques

Resenha: Dois Mundos - Tesouro da tribo de Dana # 1 - Simone O. Marques
Classificação: 4/5
Editora: Butterfly editora

Sinopse: Dois Mundos - Tesouro da tribo de Dana # 1 - Simone O. Marques
Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...
Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.

Não faço ideia de como começar essa resenha. Não é segredo para ninguém que amo de paixão fantasia e que 90% das minhas autoras preferidas escrevem esse gênero. Então quando recebi em parceria com a Editora Butterfly: Dois Mundos - Tesouro da tribo de Dana # 1 -  de Simone O. Marquese, com essa capa lindíssima, e essa sinopse que consta uma promessa de fantasia, mitologia e distopia, é claro que eu fiquei maluca e fui correndo ler. Não me arrependi em momento algum. 
Dois mundos mistura estilos, é uma história criativa e original, que com uma protagonista geniosa e juvenil promete proteger o mundo, ou melhor, proteger o que restou dele após a terceira onda!

Vamos começar do início, a leitura é daquelas que começa aguçando nossa curiosidade, uma narrativa envolvente e caótica, nos é apresentado um personagem, Pedro, que logo descobrimos ser o oráculo da história, com Pedro vêm a profecia, pois o que é uma boa história mitológica sem uma profecia? Impossível não ter, principalmente na mitologia Celta que tem inúmeros Deuses, druidas e uma ligação harmoniosa entre todos os elementos.

Porém, essa obra não é somente mitologia e fantasia, é uma distopia, e como sabemos o que prevalece no estilo é o caos e a destruição. Cinco anos antes do Dia da Aurora, Marina essa menina de 13 anos é uma jovem Brasileira que carrega dentro de si o poder de 3 Deusas, não sendo o bastante Marina é o avatar delas, podendo ser digamos que usada pelas Deusas para transmitir suas mensagens, Dana - a Grande Mãe, Morrigan - Deusa da Guerra e da destruição e Brigitte - Deusa da Luz

Cura e morte!
São em três ondas que chega a destruição da terra. Então, chegamos a 2021 - cinco anos depois do Dia da Aurora ou o apocalipse. A Terra está devastada, apenas alguns grupos de sobreviventes, entre eles está a Fazenda onde aos 18 anos Marina vive. A moça está completamente descontente de sua vida, viver sem modernidades e presa, seguida sempre de perto por seus guardiões, guerreiros que chama de Os Sombras. Entre eles estão Brian e Arthur que logo embarcam em uma louca aventura com Marina e descobrem UM NOVO MUNDO.

O livro é simples, direto e envolvente. Original, cheio de nuances que elevam a história que poderia ser simplesmente um romance fantástico. Adorei a escrita da autora, a diagramação e o capricho da obra são palpáveis. Os personagens são envolventes, temos aquela busca pela salvação do mundo, misturado com a mitologia das Deusas e a busca pelos tesouros de Dana, é um primeiro volume, acredito que a história ainda vai crescer muito e espero continuar acompanhando. 

Indico Dois Mundos - Tesouro da tribo de Dana # 1 - de Simone O. Marques para os apaixonados pela Mitologia Celta, sei que não é tão popular quanto a Mitologia Grega e Nórdica, e pelo seu diferencial é uma das minhas preferidas, indico para os fãs de distopia e fantasia, é um prato cheio. E principalmente é muito rica por seus personagens e misturas de estilos, com certeza adorei passar um tempo em companhia da pequena Dana. Recomendo!

Paula Juliana

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

[LANÇAMENTO] ANGUS – O PRIMEIRO GUERREIRO @EditoraNovoConceito - Em Pré-venda - lançará dia 20 de março!

[LANÇAMENTO] ANGUS – O PRIMEIRO GUERREIRO @EditoraNovoConceito - Em Pré-venda - lançará dia 20 de março!


ANGUS ORIGENS

O Angus já foi lançado em 30 países e ficou na lista de mais vendidos em países como China, Rússia, Taiwan, Austrália, Grécia, Espanha, Hungria e outros países da América Latina. E possuí até Card Game.
Ah, é GRATUITO!


Sinopse: Angus Origens:

Conheça a aventura épica que conta a origem do clã de Angus MacLachlam!
Uma terrível batalha entre Bretanha e Irlanda. Um conflito entre duas religiões: a pagã do deus Cernunnos da Irlanda, e o Cristianismo, da Pictávia e da Escócia.

Neste obscuro cenário, uma espada sagrada é entregue nas mãos de um grande guerreiro: Oengus MacLachlam. Ele e seus ancestrais enfrentarão a mais devastadora invasão que tentará destruir a Cristandade e na Bretanha.
O futuro de grandes reis está em perigo, assim como o futuro de toda a Cristandade.


ANGUS : O PRIMEIRO GUERREIRO

Dia 20 de março de 2017 estará disponível o primeiro livro da trilogia que conta a história do clã de Angus Maclachlam: ANGUS - O PRIMEIRO GUERREIRO.
Lançado pela Editora Novo Conceito sob o selo Novas Páginas.


O demônio quer tudo destruir. Tudo conquistar. Mas há um guerreiro de nome Angus MacLachlan que parece não tombar diante dos seus ataques. Ele não se curva diante de suas tentações. Ele não cede diante dos prazeres que o demônio apresenta. 

Ele parece abençoado, luminoso, assim como luminosa é sua espada a espalhar cadáveres dos filhos das trevas, dos injustos. Ele parece libertar os cativos. Ele parece unificar reis. Ele é um oponente terrível contra Satanás, que tenta destruir a Cristandade e seus gloriosos reinos para sempre. 

Angus – O Primeiro Guerreiro é o início de uma Saga ilustrada que começa no século VI e termina nos dias atuais com a vinda do Anticristo.


Paula Juliana

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

[Pré-Venda AuAu] @EditoraValentina lança pré-venda OPALA (Saga Lux, Livro 3) - Jennifer L. Armentrout

[Pré-Venda AuAu] @EditoraValentina lança pré-venda OPALA (Saga Lux, Livro 3) - Jennifer L. Armentrout


Eles vão arriscar tudo!

Ninguém é igual ao Daemon Black.
Quando ele prometeu que iria provar seus sentimentos por mim, não estava brincando. Nunca mais vou duvidar dele. E agora que conseguimos finalmente aparar nossas arestas, bem... tem rolado muita combustão espontânea.
Mas nem mesmo ele pode proteger a família dos perigos de tentarem libertar aqueles que amam.

Depois de tudo o que aconteceu, já não sou mais a mesma Katy. Tornei-me uma pessoa diferente... E não sei bem o que isso vai significar no final. Quanto mais nos aproximamos da verdade e nos colocamos no caminho da organização secreta responsável por torturar e testar os híbridos, mais me dou conta de que não existe limite para o que sou capaz de fazer. 

A morte de um ente querido continua afetando a todos, a ajuda surge do lugar mais improvável, e nossos amigos irão se tornar nossos piores inimigos, mas não podemos voltar atrás.  Mesmo que com isso estejamos arriscando destruir nosso mundo para sempre.

Juntos somos fortes... e eles sabem disso.

1º LUGAR DA LISTA DE MAIS VENDIDOS DO NEW YORK TIMES
BEST-SELLER DO USA TODAY


Best-seller internacional com mais de 1 milhão de livros vendidos e número 1 da lista do New York Times, Jennifer L. Armentrout vive em Martinsburg, West Virginia. Quando não está concentrada escrevendo, ela passa o tempo lendo, assistindo a filmes B de zumbi e curtindo ao lado do marido e do seu jack russell, Loki.

O sonho de virar uma escritora começou na aula de álgebra. Ela passava a maior parte do tempo escrevendo contos – o que explica as péssimas notas em matemática. Jennifer é autora de paranormais para jovens, ficção científica e fantasia. Obsidiana (1º livro da Saga LUX) foi vendido para o cinema, enquanto Covenant será transformada em série de TV. Um de seus livros, Não Olhe para Trás, foi escolhido em 2014 a melhor ficção para jovens pela Young Adult Library Services Association (YALSA).

Jennifer também escreve romances adultos contemporâneos e paranormais, usando o pseudônimo de J. Lynn.

“Quem acompanhou a Saga LUX até aqui sabe que ela se torna mais interessante a cada livro. Prepare-se para enlouquecer com esses personagens inacreditavelmente viciantes, seus diálogos inteligentes e uma trama tão irresistível quanto o Daemon. Vai ser impossível largar Opala antes de ler até a última frase!” 
RESENHANDO DE PIJAMAS

Paula Juliana

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

[@PlanetaLivrosBr] Princesa de Papel - Livro #1 - The Royals - Erin Watt - Selo Essência

[@PlanetaLivrosBr] Princesa de Papel - Livro #1 - The Royals - Erin Watt - Selo Essência


O primeiro livro da série The Royals, a nova sensação new adult dos EUA. 

Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. 

Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. É quando aparece Callum Royal, amigo do pai, que promete tirá-la da pobreza. A oferta parece tentadora: uma boa mesada, uma promessa de herança, uma nova vida na mansão dos Royal, onde passará a conviver com os cinco filhos de Callum. 


Ao chegar ao novo lar, Ella descobre que cada garoto Royal é mais atraente que o outro – e que todos a odeiam com todas as forças. Especialmente Reed, o mais sedutor, e também aquele capaz de baixar na escola o “decreto Royal” – basta uma palavra dele e a vida social da garota estará estilhaçada pelos próximos anos. 

Reed não a quer ali. Ele diz que ela não pertence ao mundo dos Royal. E ele pode estar certo. 

“Intenso, quente e assustador – eu não consigo parar de pensar em Princesa de papel” Emma Chase, Autora Da Série Tangled.

Paula Juliana

[É Charme] Em pré-venda @EditoraCharme 11 Noites com você - Livro #2 Viajando com Rockstars - Aline Sant´Anna

[É Charme] Em pré-venda @EditoraCharme 11 Noites com você - Livro #2 Viajando com Rockstars - Aline Sant´Anna


Zane D'Auvray é incapaz de dizer não às mulheres. 

O guitarrista da The M's aproveita-se da fama e nunca encontrou motivos para se estabilizar em um relacionamento. Todas as atitudes promíscuas que tomou durante a vida jamais foram questionadas. 
Exceto agora. 


Em uma mudança de gestão, troca-se de empresário, e o que Zane não esperava era que os bastidores seriam coordenados por uma linda mulher, prometendo consertar as pontas soltas. Kizzie Hastings, a empresária, passará por um teste de onze noites pela Europa com a The M's em turnê. Zane, fazendo pouco caso da situação, não vê grandiosidade nisso. 

No entanto, quando percebe que Kizzie é a única pessoa imune aos seus encantos, acaba por abraçar um desafio pessoal, sem saber que há muito mais em jogo do que somente a sedução.

Paula Juliana

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

[Especial Três Charme] Especial de três anos em parceria com a Editora mais charmosa do Brasil - Num piscar de olhos - Teodora Kostova

[Especial Três Charme] Especial de três anos em parceria com a Editora mais charmosa do Brasil - Num piscar de olhos - Teodora Kostova


Resenha: Num piscar de olhos - Teodora Kostova
Classificação: 4/5 ♥ Favorito 
Editora: Charme

''Em minha defesa, como não poderia? Eu nunca conheci um homem que teve tal efeito sobre mim. Eu não sei o nome dele, mas estava pronta para enlaçar minhas pernas em volta de sua cintura. Num piscar de olhos.''

Toda uma vida pode mudar... Num piscar de olhos! 


O que você faria se perdesse sua perfeita vidinha feliz da noite para o dia? Se sua confortável ''bolha'' protetora fosse tragicamente esmagada e você visse as pessoas que mais ama partirem para nunca mais voltar? Você está triste, confuso e de luto, tudo que quer é sua família, as pessoas que ama perto, quer voltar no tempo ou simplesmente não sentir... mas a vida não espera você se recuperar, ela segue em frente, você estando preparado ou não, você se fechando ou não, e quando menos espera... vem outro choque, outra dor, outra queda!

Então, você joga tudo para o alta e tenta viver o agora, ser feliz, não pensar no futuro... mesmo que no final você quebre todos no seu caminho!     

'' - Então, você já ouviu falar de mim? - Sim, eu ouvi falar de você - você é o melhor amigo da minha melhor amiga! Você é provavelmente o único homem em Gênova, risque isso, nada disso, o único em toda a Itália que não posso ter. Você é a única pessoa com a qual eu não posso ter o meu sexy caso de verão...'''

Hoje a resenha mega romântica é sobre o livro: Num piscar de olhos da autora americana Teodora Kostova! Já fazia muito tempo que queria ler essa obra, namorando a capa bonita, lendo várias resenha, algumas mega positivas, outras bem negativas, resolvi que estava na hora de tirar minhas próprias conclusões!  
O  que encontrei? Bem... é um romance, com bastante drama, uma mensagem fantástica, que fala da vida, e das merdas que podem acontecer, das dores que podemos sofrer, assim como também fala que se não deixarmos acontecer, podemos simplesmente existir, mas deixamos de viver!
Num piscar de olhos é fofo, é previsível, sim é, mas muitas histórias são e nem por isso perdem seu brilho, ele é linear, segue um padrão, logo no começo da história já sabia mais o menos o que ia encontrar, como o livro ia seguir, mas sinceramente, foi uma leitura muito gostosa, que curti cada segundo, em todas as suas quase 400 páginas!  

''Suas palavras estavam dizendo uma coisa, mas seu corpo tinha uma opinião completamente diferente. Max gostou disso. Ele não conseguia se lembrar de quando foi a última vez, se houve alguma, que uma garota tinha tido esse tipo de reação apenas por estar perto dele. Claro, a ele não faltava atenção feminina, mas não era nada assim.''

Stella é nossa mocinha, ela perdeu seu pai e seu irmão em um acidente de carro, logo depois sua tia que também perdeu o marido no mesmo acidente se muda, levando sua prima e melhor amiga junto para a Itália, logo ela se vê só com sua mãe, onde antes era uma grande família feliz, agora só tinha dor e perda, como se a tragedia fosse pouca, Stella descobre que tem câncer, então ela luta e se trata, mas pode ser que não esteja realmente curada, sempre haverá a possibilidade da doença voltar, se já não voltou, então enquanto espera para saber seu destino, Stella vai para a Itália ficar com sua tia e prima, vai em busca de um romance de verão, das férias de sua vida! Logo de cara ela encontra com o gatissímo  Max, que trabalha como salva-vidas da praia, digamos que é atração a primeira vista, ou amor mesmo como Max logo diz!    

O negocio é que Stella não conta sobre sua doença, não conta que pode estar morrendo e que os tratamentos já não lhe fariam efeito se a doença voltasse, então ela foge, ela corre dele, tenta não cair na sedução do rapaz, porém... acaba fraquejando e o casal se vê logo completamente apaixonado! Então, o que será desse história? Entre tapas e beijos, muitos dramas, muitas histórias e muito amor a história se desenvolve! 

'' - Você parece melhor do que qualquer refeição que podemos pedir no  restaurante - disse ele, seu hálito quente fazendo cócegas em seu pescoço. - Vamos ficar aqui e ter você, em vez disso - ele sussurrou perto de seu ouvido e ela estremeceu fisicamente.''


Num piscar de olhos me lembrou muito os livros da minha querida autora Bella Andre, são leve, mesmo tratando de temas pesados, seguem uma linha gostosa, clichê, mas com histórias românticas e fofas! Sem esquecer a pegada mais adulta, mais hot, gostei muito do romance, indico para quem gosta desse tipo de história, quem se envolve lendo! Max é apaixonante e cativante, um homem lindo, sedutor, e paciente! Stella tem seus dramas, ela está lidando com muitas coisas, quer e não quer, as vezes irrita como uma boa mocinha, a história é linda, a mensagem verdadeira e acredito que todos devem ler para assim ter suas próprias opiniões! Espero realmente que a autora faça novos livros contando as histórias dos secundários que ficaram no ar e para mim, Num piscar de olhos é recomendadíssimo! 
Afinal...''Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe, isso é tudo.'' Leiam!!!

'' - Nunca sequer pense que isso é apenas sexo. É incrível, é verdade, mas é incrível, porque significa alguma coisa... para mim. Porque é com você.'' 

Paula Juliana

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

[Especial Três Charme] Especial de três anos em parceria com a Editora mais charmosa do Brasil - Ruby in the Dust: O Amor Numa Xícara de Chá - Ruby in the Dust - Julie Farrell

[Especial Três Charme] Especial de três anos em parceria com a Editora mais charmosa do Brasil - Ruby in the Dust: O Amor Numa Xícara de Chá - Ruby in the Dust - Julie Farrell


Resenha: Ruby in the Dust: O Amor Numa Xícara de Chá - Ruby in the Dust - Julie Farrell
Classificação: 5/5 ♥ Favorito
Editora: Charme

''Ela o amava do jeito que ele era. Se pudéssemos nos ver através dos olhos de quem nos ama, Alex pensou. O que veríamos?''

''O que mais você precisa além de se amar?''


Algumas vezes não conseguimos nos enxergar como realmente somos, vivemos em um mundo que há um padrão para tudo. Como somos, como vivemos, quando casamos, a idade certa para ter filhos, o modo como devemos nos vestir, nos comportar... mas cada pessoa é diferente, é perfeita dentro suas imperfeições, não somos bonequinhos de plástico padronizados! Então cabe a cada pessoas, se aceitar e se amar, gostar de si verdadeiramente para ser feliz! O livro Ruby in the Dust: O Amor Numa Xícara de Chá da autora Julie Farrell levanta essa bandeira. Uma obra que começamos achando que vamos ler uma bonita história de amor e que acaba indo bem além e mais profundo que isso! Fala não só de amar outra pessoa, mas sim de descobrir como se amar! Foi uma leitura deliciosamente encantadora! 

''Mas ele não queria essas memórias; ele queria ser forte, e legal, e poderoso - como Nicky. O metal da maçaneta da porta queimou na palma da sua mão. De um modo geral, a vida se mostra como de costume: decepcionante, insatisfatória. Mas agora... talvez se ele a enfrentasse, deixando de lado sua própria inadequação desprezível, talvez ele pudesse parar com o hábito de fugir sempre que a vida ficasse desconfortável e começasse a respeitar a si mesmo novamente.''

Nicky é a dona de um charmoso e diferente Café, fugiu de Hamburgo na Alemanha aos quinze anos e abriu seu Café Ruby in the Dust, mas com o tempo e a modernização de Maidenhead, Nicky pode perder seu ganha pão, pode ser despejada se não conseguir pagar o aluguel atrasado.

Em meio a uma discussão com o proprietário que aluga o lugar para Nicky, ela conhece o doce Alex que entra no seu mundo com uma promessa que irá transformar Ruby in the Dust em um grande negocio lucrativo, quando David - o senhorio idiota - desafia Alex que é seu velho conhecido, Nicky e ele tem três meses para salvar o lugar. 

Porém Nicky e Alex podem dividir algo bem mais valioso que um projeto e uma xícara de chá...


'' - Quando eu cheguei aqui, vinda da Alemanha, eu já tinha esse sonho de possuir um Café que serviria bolos caseiros e que tocasse boa música. Também dispomos de muitos livros de autodesenvolvimento. Nós somos uma espécie de lugar amigável, positivo.'' 

Ruby in the Dust é muito mais que um lugar, é um ambiente para se perder na alma das pessoas, uma boa conversa entre amigos, uma boa xícara de chá e um rumo em sua vida. 

''-Todos temos as respostas dentro de nós. Eu fui apenas um espelho para ela.''
Em meio a tanta modernização e tecnologia, um mundo onde é tudo muito frio, Nicky criou um lugar caloroso, um lugar onde as pessoas se conhecem, um lugar que te acolhe e te ajuda, não só com música boa, espaço para leitura e um bom café, Ruby in the Dust é humano. Ao ler a descrição do lugar no livro, a forma como Nicky lida com as pessoas, como ela aconselha, ajuda os outros somente ao ouvi-los, quis que tivesse um ambiente assim perto de mim. O livro é tão caloroso quanto o lugar, quanto as reflexões, mensagens e seus personagens!   

''Você precisa encontrar algo que faça com que você sinta que vale a pena levantar da cama. E, então, levantar todos os dias, por isso.'' 

''É na sua cabeça que está o problema. Sua cabeça e a realidade não são iguais. Lembra-se de todas as coisas que você me disse? Sobre como as coisas são como são, e então nossa mente vem e cria uma história sobre as coisas deveriam ser. Quanto mais a nossa história é diferente da realidade, mais sofremos.''

Alex foi um grande mocinho! Me identifiquei demais com ele. Aos vinte sete anos, esta em um momento difícil, ele não tem perspetiva para seu futuro, perdeu a vontade de viver, a vontade de acordar todas as manhas e lutar por seus ideais. Alex é um bom homem, e um homem sonhador, uma pessoa que se importa com os outros, que não entende o mal, que repudia a desumanidade. 
Quando ele se vê frustrado e decepcionado por sua vida, ele se sabota. Mergulha na bebida, na aventura, na velocidade, vive entorpecido, para não sentir a dor! Uma dor que está dentro dele, dentro de sua mente e pensamentos que não conseguia colocar em prática! Ao conhecer Nicky e seu Café humano e caloroso, Alex se encanta e descobre um objetivo na sua vida, mesmo que não ganhe nada monetariamente em troca! 
Meninas!!! Ele é um personagem lindo! Doce, fofo, gentil! Idealista, maravilhoso, amável e carinhoso!!!
Ele é firme naquilo que acredita! Bom caráter, carismático e muito inteligente! Seu único defeito é não conseguir se ver assim!  

''Durante a noite, seus pensamentos o sufocavam, aparecendo como uma nuvens de gafanhotos, mostrando-lhe memórias de fracassos e preocupações sobre o que fazer com sua vida. [...] Esta sala era como uma prisão. Não, seu cérebro era como uma prisão. Ele estava andando para cima e para baixo, preso lá dentro, sem chance nenhuma de fugir.''

Nicky tem um segredo! Esse segredo a rasga por dentro! Ela se esconde, como todos que temos uma fuga em determinada coisa ou lugar, Nicky se esconde atrás da maquiagem carregada, das roupas extravagantes, ela não se acha bonita, suficiente, tem problemas em se aceitar como é! Em mostrar toda a sua verdadeira beleza para o mundo, pois ela não acredita que a possua!  
Quando Alex cai no mundo dela e lhe vem com piadinhas engraçadinhas e promessas de que vai fazer e acontecer, ela fica receosa, tanto por não acreditar que um homem bonito, e carismático como ele possa enxergá-la como também acreditando que aquilo para ele era um passatempo!  

''Por que ela se escondia atrás de batom vermelho e cílios postiços, quando ela era tão naturalmente bonita debaixo de toda aquela maquiagem? E como ela conseguia trabalhar com aquele vestido justo rosa e botas de salto agulha na altura do joelho? Ela definitivamente, não era a cabeça oca que suas roupas e maquiagens sugeriam. Alex não conseguia defini-la; ela era fluida, mudando a toda momento, como quando você olha um holograma - num segundo ela estava sendo dura e severa, e no outro seguinte, ela estava lhe dando conselhos sábios, como fizera ontem. Ele queria aprender com ela, e sobre ela.''  

O legal da obra é que ambos os protagonistas não se aceitavam como pessoas, Alex por se achar um inútil e Nicky por não se ver como mulher!
Em Ruby in the Dust eles conseguem encontrar bem mais que um amor!
Não espere nesse livro um tórrido romance, cheio de paixão e sexo... você não vai encontrar! A proposta da obra não é essa! Foi uma leitura linda, doce, delicada, que amei cada linha!    


'' - Eu odeio falar na frente de muitas pessoas; fico quente e tonto se as pessoas olham para mim... isso me faz sentir esmagado. Eu sei que é irracional. Eu acho que tenho medo de ser rejeitado, ou algo assim.
Com medo de ser rejeitado? Sim, Alex, eu também.''

Sorri muito lendo Ruby in the Dust, me emocionei, me surpreendi realmente com o segredo de Nicky, não esperava o que foi abordado! Amei os personagens secundários também, assim como me apaixonei pelos protagonistas e torci muito, para que eles conseguissem se encontrar na vida, como casal e como pessoas! O bonito conceito de Autorrespeito foi um diferencial para mim, mostrar que o principal é se amar, se respeitar, para assim poder amar e respeitar o outro!   
Amar o outro do jeito que a pessoa é e também aprender a amar a si mesmo!
Se aceitar!
Ruby in the Dust: O Amor Numa Xícara de Chá é uma tremenda lição em forma de livro! Doce, gentil, amável e leal!
Alguém aceita uma xícara de chá?

''- Eu não vou te machucar.
 - Como posso saber isso?
 Ele tomou-lhe as mãos. - Confie em mim, meu anjo. Eu sei que sou um pouco idiota, mas eu nunca falei mais sério na vida. Tudo que eu quero é que você seja feliz, porque quando você sorri, faz minha vida valer a pena.'' 

Paula Juliana