sexta-feira, 20 de junho de 2014

Resenha: Violenta - Eduardo Ruiz

Resenha: Violenta - Eduardo Ruiz
Editora: Quatro Cantos
Classificação: 5/5 ♥ Favorito   


Sinopse - Violenta - Eduardo Ruiz
O livro Violenta marca a estreia literária de Eduardo Ruiz, ao reunir parte de sua grande produção de poemas criados nos últimos dez anos e mostra toda a sua visceralidade poética. Seja nos poemas em que o amor, a vida, a sexualidade e a morte são desenhados de maneira particularmente atordoante e original, seja em outros em que, na voz de personagens do povo, mostra como a simplicidade pode potencializar a expressão dos questionamentos humanos. Eduardo Ruiz conduz o leitor com poesias de estilo único a uma avalanche da qual não é possível sair indiferente, utilizando imagens e metáforas de “precisão cirúrgica”, como foram definidas pela crítica teatral Mariangela Alves de Lima, em crítica no jornal O Estado de S. Paulo ao espetáculo Fiz  Água Para Lavar Teu Rosto, em 2001. Violenta inclui o poema “En dehors”, especialmente escrito para o espetáculo de teatro-dança Teu Corpo é o Meu Texto, estrelado por Cristiane Torloni com a Studio 3 Cia de Dança e Cia. Sociedade Masculina e dirigido por Anselmo Zolla e José Possi Neto, que foi levado a Lisboa e Paris. “Considero Eduardo Ruiz um escritor da estirpe de Gean Genet, as personagens do submundo lhe fascinam, suas imagens são sobretudo noturnas, carregadas de mistério e fantasia delirantes”, escreve Possi. “Descende assim também de Rimbaud e de todos os poetas malditos.”

*Ao longo da resenha foram selecionado muitos trechos separados, perdidos de vários poemas! Espero que gostem!   

''Será um definhar amargamente lento''

''Eduardo Ruiz consegue nesta sua poesia fotografar a alma de um povo que em tudo acredita e com tudo se espanta, que é essencialmente Pan, cuja moralidade é completamente amoral e onde sonho é realidade e realidade, tudo que se puder sonhar.''

Eduardo Ruiz em uma super coletânea de seus poemas mais profundos, faz o leitor pensar e refletir! Ele aborda tantas coisas, fala de tantos assuntos que a muito, nós pessoas deixamos de pensar ou ignoramos, deixando para pensar depois, e o depois nunca vêm! 
Relacionamentos, dia a dia, rotina, separação, sexo! Apatia. O mistério do amor, da sexualidade, da vida e da morte! A louca fantasia, a fantasia saudável, o bom de sonhar dormindo e o bom de sonhar acordado, os sofrimentos delirantes, os sonhos delirantes. Conflitos... Família. A emoção e a razão, o inferno e o paraíso. 
Sonhos e pesadelos em sua louca liberdade!
VIOLENTA é comovente, tocante, inteligente, poético - é claro! -  e fascinante! Ele te incomoda e te faz refletir! São poesias tão bárbaras que de tão boas, são mais que prazerosos de se ler!

''Viver tem sido
Reunir objetos
E perder ilusões''

''Quero sussurros
Mas centenas de bocas
Gritam na minha frente''

''Já até morri duas vezes e voltei
E continuo assim
Tudo é excesso
Quando se trata de ti''

''E pensar que eu suportei tanto
Três vezes me repeti em meu limite
E não vamos terminar nunca
Não lançaremos realmente ninguém ao inferno

Tolerei teu duplo coração em juventude
Teus amantes, teus gozos repentinos
Tua falta de poder em me fazer sentir
Ser o homem 
Que tanto escrevi
E não leste
(...)
Este é o tempo da indiferença da tua beleza
Esta é a hora da plena anulação dos teus infernos
(...)''

São muitas mensagens, muitas interpretações, muitos tapas na cara, seguidos de carinhos e afagos, ou não! Uma das mais marcantes para mim foi o da espera! Que não devemos esperar ser amados e vistos como vimos e amamos os outros. Não devemos esperar demais das outras pessoas.  

''O melhor do coração humano
É a capacidade de sentir espanto 
E quase chorar num dia desses''

'' Hoje ninguém mais
Tem o poder
Da dor na minha pele
Não existe mais ar com pânico no meu bairro

A cura é exercício de heróis
A falta de medo é um dom 
Para os deuses
O perdão é para o homem
Além deles dois''

O autor faz citações de nomes de poetas, artistas, personagens literários, lugares históricos. Como por exemplo: Frida, Da Vinci, Babilônias. É um leitura super rica!

Um texto cheio de referencias a bíblia, a mitologia e muitas, muitas metáforas! E tão palpável ver a  nossa amada literatura dentro da literatura! Uma metalinguagem sem fim! E que bonitas foram essas metáforas!! Algumas que me diziam tanto e algumas que me incomodavam e cutucavam duramente!   

''Sou da mesma fibra que inspirou Prometeu
A criar a humanidade''

''Ensine Caim a atravessar de costas 
O jardim do Éden
E a ressuscitar o irmão!''

''Encaixe seu fêmur no que é agua 
Com a astúcia dos seis Titãs machos 
Com a delicadeza inversa
Dos varões apaixonados
Desmembre o amor do medo que ele tem''

''Das vozes que o choro engole''

''A dança é a tentativa de alma e ossos 
E a sua resposta é durar para sempre''

 ''Só nos foi pedido para escrever
Todas as artes sem uma única letra''

Consegui sentir a presença de uma rotina, como se a cada poema pudéssemos sentir o dia a dia do personagem. E foram tantos personagens citados, ou talvez poucos. A poesia tem essa coisa toda da interpretação, no meu ver foram muitas vidas retratadas, mas talvez isso fosse os meus olhos e minha mente me enganando e o autor tivesse retratado só um pequeno grupo de pessoas. Talvez essas pessoas fossem muitas, talvez poucas, talvez tivesse um pouco de mim no meio dos poemas! Vai só Deus, conseguir explicar o porque da minha identificação com um determinado trecho! Uma determinada voz que me chamou tanta atenção a determinado poema, determinada palavra!  

E as palavras! Palavras marcantes que saltavam em meus olhos: '' Aos redutos das nossas misérias'', ''E sejamos mendigos emocionais'', ''lambuzadamente cruéis''.
Será que queriam me dizer alguma coisa?

'' V

DESCALÇA NO INFERNO

Eu só deixei de começar a intuir os farelos do egoísmo
Depois de rastejar descalça no inferno
Nos desbotamos nos outros sem pedir perdão 
Viver é uma eternidade de vaidades

Está com medo, amor?
Que bom
O medo é o irmão incestuoso da vida 

Cruze de novo suas pernas nas minhas 
E deixe que o mundo se resolva lá fora
Caso ele não se desfaça em erros
Façamos nós os nossos (...)''

Esse poema, DESCALÇA NO INFERNO, é um dos meus preferidos no livro, não sei explicar o porque, não sei dizer se é o mais bonito, ele é bem grandinho, mais ele me tocou de uma forma muito grande. Não sei se foi a menção do inferno, do medo, do egoísmo, dos erros, do pedir perdão ou da vaidade, do VENENO. Só sei que ao usar palavras que para uns podem ser consideradas fortes e até feias, o autor, nesse e nos demais poemas, fez um emaranhado de palavras muito, mais muito bonitas! 

'' VI

SOSSEGA

Sossega
Segura na tua mão fria a fria e fica quieto 
Larga tudo que estiver em cima da tua pele assustada
Deita com o rosto na terra 
Chama por ti sem mover um cílio
E escuta
É certo o choro e o desespero
Mas nesse momento
Abstrai
Ganha coragem
Pior que perder a vida é nela não insistir

Só há um fim
Mas existem muitos meios no caminho

Por isso 
Uma só vez
Não caminhes
Desaba em sonhos e nada
Porque se sonhas
Não precisas estar rodeado pelo cansaço da realidade
(...)''

Lindo, né! Não precisa de muitos comentários, ele fala com a gente por si só!

É engraçado como lendo poemas conseguimos ver claramente um pouquinho do que somos, do que pensamos, do que sentimos. Uma frase, uma palavra perdida, um trecho quebrado que tão descomprometidamente consegue desvendar um pouquinho de nós!   

''Ando tão perceptiva para os silêncios''

''Só terei tranquilidade
Se vivesse trezentos anos
E não as dezenas deles que terei'' 

Não posso deixar de terminar essa resenha, falando sobre o poema que dá nome ao livro, VIOLENTA, é um dos mais românticos, bonitos e emocionantes. Ele fala de perda, desespero, mais de uma forma tão bonita e emocionante que eu realmente fiquei maravilhada! Indico essa obra! Para quem gosta de poemas, é um prato cheio, para quem gosta de interpretar e pensar em temas, assuntos, coisas que são importantes e reais, ou não, é uma boa pedida!
Espero um dia ver esse livro ser interpretado no teatro, dramatizado ou apenas declamado! Com certeza seria muito lindo e tocante!  

''Você dormia tão magnificamente 
Enquanto a lua emprestava para o sol da manha
A chance de iluminar seu rosto

Volte para mim 
Pelo amor de Deus
Que talvez nem exista

(...)

Em cada vacilo do silencio
No segundo ato do teatro das lágrimas
Na primeira intenção de paz dos abraços
Ache-me, por favor''


Não deixe de participar do nosso Top Comentarista de Junho, aqui
 

Paula Juliana

35 comentários:

  1. Os poemas são lindos, eu amo livro de poemas me levam a lugares incríveis dentro de mim

    ResponderExcluir
  2. Oi Paulinha!
    Esse livro parece ter um projeto gráfico maravilhoso, mas ainda assim não sou muito chegado a poesia, não consigo me envolver tanto na leitura quanto nos outros tipos de literatura, então não consigo me prender a livros assim!
    Abração
    Claudinei Barbosa
    http://resenhandoecontando.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudinei!
      Isso vai do gosto de cada pessoa mesmo! Eu gosto de poemas, fazia um tempão que não lia nada no estilo! Amei ele. E tem pessoas como você, que não conseguem se envolver por não ter um enredo desenhado!
      Beijos

      Excluir
  3. Parece retratar muito nosso cotidiano tipo sonhar acordado,sonhar dormiundo,pela sua resenha o autor teve todo um cuidado para conduzir o livro,eu gosto de livros com mais pessoa ,da ao meu ver para eu entender melhor a historia,enfim,sua resenha muito boa,deu para ver e entender mais ou menos como e o livro e claro que nos desperta para leitura,nos desperta para comprar esse livro,menina nao dou conta,cada livro que vc resenha vira desejo meu kkk bjs bjs bom final d semana
    http://www.zilandramakes.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Zi!
      Consegui ver um padrão no meio das poesias, e são fortes e verdadeiras que deu gosto de ler!
      Que bom que gosta das minhas resenhas, eu fico muito feliz mesmo!
      Beijos lindona!

      Excluir
  4. Aaaaaaaai, você rabisca o livro. Que pecado!!! rsrsrsrs
    Eu achei a parte gráfica interna linda, só que essa capa pelamor! Sem graça até dizer chega!
    Não curto muito livro de poemas, sei lá, meu lado poético é bem adormecido.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  5. Não curto livros de poemas.. me dão sono e eu raramente entendo as coisas!
    Normalmente as capas de livros de poemas são lindas, mas essa é tão singela.. nunca chamaria minha atenção em uma livraria =/

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é simples, mais dentro é muito bonito e caprichado! Beijos

      Excluir
  6. Eu gosto de poesias, mas não em sequencia como nos livros. Mas pelas que você colocou trechos, esse livro parece realmente ter belos poemas.

    Bjok

    ResponderExcluir
  7. Oie!!
    A parte gráfica do livro é realmente linda, mas eu não gosto muito de poesias. Não consigo me inspirar para escrever alguma e não consigo ler. Não é meu gênero.
    Mas parabéns pela resenha ea parceria!

    Beijos,
    www.cinefilandobr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. segundo blog q eu vejo falando sobre esse ivro! confesso q não costumo ler poemas, no máximo alguns contos mesmo.

    www.umbigosemfundo.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Paulinha, tudo bem?

    Nossa, o trabalho do autor é bem intenso. De tudo o que li, e li mesmo, chamou minha atenção: ele citou que a vida é perder ilusões. Achei isso super triste. Por um lado é verdade, somos jogados nesse mundo com uma alma jovem, inocente e infelizmente cruzamos no nosso caminho com coisas ruins que nos fazem perder essa inocência. Mas o triste é chamar nossos desejos, sonhos, e sentimentos de ilusões, não quero acreditar que são ilusões. E não quero perdê-los. Bom essa foi minha interpretação das palavras deles, posso estar enganada, risos...
    Sucesso para o autor.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário Cila! O autor trouxe isso e muito mais para sua poesia, são muitos temas que eu poderia ter levantado! é um livro bem rico!
      Beijos

      Excluir
  10. Esse é o livro que no lançamento a Christiane Torloni declamou o poema Violenta não é, Paulinha? Daquela postagem que tem o vídeo e eu quis matar o povo que ficou tagarelando e não me deixou ouvir? rs... Parece super tocante, ela até chorou, ou quase, não me lembro direito, enquanto declamava. E você fez tantos elogios que tenho certeza é um livro muito bom. Mas realmente não me interesso por esse gênero, a poesia, então vou deixar passar. Pensei em abrir uma exceção, mas tô com um livro de poesia aqui há uns dois anos e ainda não consegui inspiração pra ler... hehe...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Ju, foi o livro que no lançamento a Christiane Torloni declamou o poema Violenta!
      Amo poesias!
      Beijos

      Excluir
  11. Menina! Que fodaaaaaa essa sua resenha, nossa! Eu vou te dizer nunca tinha lido uma resenha de livro de poemas, eu amo poesia, mais quase nunca paro para ler. Eu adorei a forma que resenhou e analisou a obra do autor, que parece ser ótima mesmo! Parabéns pela resenha é muito difícil fazer uma com esse estilo!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OBRIGADA Dri!
      É mesmo bem difícil! Eu gostei da resenha e fico feliz que tenha gostado!
      Beijos

      Excluir
  12. Não me interessei muito por esse livro.
    XoXo
    Mah
    http://mah-in-wonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Livros de poemas!! Eu nem me lembro mas quando foi a ultima vez que li um livro de poema, faz tanto tempoo... E ler a sua resenha me deu até uma vontade agora de pegar um livro de poema e começar a ler.

    Adorei os poemas que você selecionou gostei muito! :)

    http://voceeoquele.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá

    Acho incríveis os projetos gráficos de livros de poesias, esse parece ter um bem interessante. Gosto ainda mais quando as poesias assumem formas fora do comum. Achei esse 'Sossega' incrível, dá vontade de imprimir e sair distribuindo por aí para que todo mundo leia (não vou fazer isso por conta dos direitos autorais do autor, fique tranquila haha). Me interessei pelo livro! Obrigado pela dica.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amei o ''Sossega'', isso mesmo Matheus, você me entendi! (Hhhhahhahaa)
      Obrigada você! Beijos

      Excluir
  15. Achei lindos os trechos dos poemas. nem conhecia a obra ainda e foi um prazer imenso ler este post. Conhecer autores tão talentosos assim vale a pena, principalmente tão incríveis como este aqui. Amei. Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi Paulinha ja tinha visto aqui o vídeo da Christiane Torloni se emocionado em ler Violenta, e eu me emocionei demais, com certeza este livro esta no top 10 das minhas leituras!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  17. Olá Paula,
    Sua resenha está ótima, mas tenho um sério problema com poemas, pois não me atraem, juro que já tentei ler alguns, mas fracassei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Adorei sua resenha, perfeita!! O livro tem um projeto gráfico muito bonito e os poemas parecem ser ótimos também, mas não curto muito poesia. Ler uma ou outra de vez em quando até vai, mas um livro só de poesias... não faz muito meu gênero.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  19. Oi Paulinha!
    Eu amoooooooooo poesia! Amei o livro, achei a capa bem simples, mais adorei os poemas que apresentou, se todos seguirem esse estilo, sinto que vou amar o livro! Linda resenha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir