segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Entrevistando meus Autores - O Prazer da Literatura Nacional! Autora: Alane Brito

Entrevistando meus Autores - O Prazer da Literatura Nacional!
Entrevista Blog Overdose Literária:

Autora:  Alane Brito


O. L. - Oi Querida Autora! Conte aos leitores como surgiu a sua história como escritora e suas expectativas com a publicação.
Autora: Olá Paula! Primeiramente agradeço pela oportunidade! Então... Comecei cedo. Mas iniciei com quadrinhos.  Desenhava quadro a quadro, pintava tudo... Dava um trabalhão, mas eu amava! Um dia me dei conta de que descrever cenas era bem mais fácil e, passada essa fase, me arrisquei a traçar algumas linhas com cerca de treze, quatorze anos... Foi quando escrevi a primeira versão do livro que lançarei agora, O Que Me Disseram as Flores. Depois fiz outra com dezenove e de lá pra cá continuei ajustando. Mas escrevi outros nesse meio tempo. Guardava todos aguardando o momento ideal e, apesar de ele não ter chegado tão rápido, o que foi muito bom, a esperança de que eu conseguiria me mantinha determinada a continuar escrevendo.

O. L. - Como surgiu a ideia de escrever o livro? Quanto tempo levou mais ou menos para escrever?
Autora: Como eu disse antes, comecei cedo e ia guardando os livros que escrevia. O Trio foi o mais recente que terminei, no caso, iniciei ele em 2006, guardei e só em 2011 peguei novamente para revisar. O Que Me Disseram as Flores, a segunda versão dele, estava guardado desde 1999, só esperando sua vez e só considerei terminado esse ano. Mas concluir uma história, ficando no ponto de iniciar a revisão, cada um levou cerca de três a seis meses.

O. L. - O que você anda lendo no momento e qual é o seu gênero de leitura preferido? Algum autor preferido?
Autora:  No momento só estou me dedicando ao novo livro, mas mês passado li a trilogia de Jogos Vorazes e Incendeia-me. Eu gosto de romances, apesar de ultimamente estar bem interessada em distopias. E admiro a escrita de Stephen King.

O. L. - Tem algum lugar onde você tem mais inspiração para escrever?
Autora:  Em qualquer um em que me sinta confortável. Não precisa ser um em especial. Claro que se o local for silencioso ajuda minha imaginação a fluir melhor, mas escrevo em qualquer momento. Basta sentir vontade.

O. L. - Fale um pouco sobre as dificuldades de publicação.
Autora:  Hoje em dia está bem mais fácil. Existem várias opções que te ajudam a não esconder seu livro até conseguir uma editora disposta a te dar uma chance. Como: Amazon, Wattpad...  E, dependendo da popularidade, são as editoras quem procuram pelo autor.

O. L. - Quais conselhos você daria para os que sonham em escrever um livro?
Autora: Continuem sonhando e corram atrás. Preocupem-se em fazer um trabalho de qualidade, revisem quantas vezes for necessário.

O. L. - Você acha que a Internet e os blogs literários têm um papel importante na divulgação dos livros nacionais?
Autora: Com certeza! Considero que, atualmente, são os melhores meios de divulgação.

O. L. - Como funciona a criação dos seus personagens? Eles nascem prontos ou são desvendados pouco a pouco?
Autora: Muitos eu já tenho em mente como gostaria que fossem e seguem por esse caminho, mas alguns são bem teimosos e só no decorrer da história é que eles vão me mostrando quem realmente são. Pode parecer conversa de maluco, mas acontece de verdade. (risos) Muitos rumos de minhas histórias parecem ter seguido sozinhas, como se eu apenas passasse para o papel algo que alguém está me ditando.

O. L. - Eles costumam ser inspirados em pessoas reais ou são apenas frutos da sua imaginação?
Autora: Acho que nunca criei um personagem pensando em uma pessoa específica... Mas creio que alguém sempre vai acabar se identificando com algum deles.

O. L. - Um livro que todos deveriam ler e por quê.
Autora: A Bíblia. Porque, independente da pessoa acreditar ou não em Deus, é um livro que tem um valor histórico excepcional! O Antigo Testamento é muito interessante! Eu leio tanto por isso, quanto porque creio em Deus e no valor de Seus ensinamentos.

O. L. - Muito obrigada pela entrevista e pela oportunidade de conhecermos um pouco mais sobre você. Quer deixar uma mensagem aos leitores?
Autora: Eu que agradeço, Paula! O que tenho a dizer é que, se alguém tem preconceito com a literatura nacional, não faça isso. Dê-nos uma chance e verão que não irão se arrepender! “O Trio” e “O Que Me Disseram as Flores” estão doidos para serem lidos!

Um grande beijo em cada um de vocês!


Novo Livro!


O Que Me Disseram as Flores - Alane Brito
Presa a uma promessa feita por seu pai, Ângela decide desafiá-lo a aceitar que não é vontade dela se casar com alguém que conhecia apenas através de cartas. Deixando-se levar por uma mentira, William viaja até a prometida, acreditando encontrar uma moça tão apaixonada quanto ele. Entretanto, depara-se com a força da raiva de alguém com quem sonhava passar o resto de sua vida. Por conta do grande amor que aprendeu a nutrir por ela, decide, então, lutar para conquistá-la. Usando a linguagem das flores para se declarar e, cada dia, se revestindo de uma força descomunal para suportar as palavras afiadas e suas duras atitudes, ele tenta encontrar uma maneira de fazer com que o ódio, que ela tanto demonstra sentir, se transforme em algo bom, mas para isso ele mesmo precisa continuar acreditando que é possível... Um grande amor é realmente capaz de suportar tudo? Conheça a emocionante história de duas pessoas numa mesma batalha, mas que lutam por desfechos diferentes. E que vença o mais obstinado.


Alane por Alane: 
''Sou tímida, muito crítica, perfeccionista, chocólatra,amo histórias e, principalmente, amo cria-las. Tenho fixação por personagens. Não sou perfeita, mas procuro fazer o meu melhor. Deus é o meu guia, e espero Ele conseguir mostrar ao mundo, se possível, as minhas criações e desejo que elas ajudem a fazer as pessoas relaxarem, tomar bons conselhos e ler mensagens otimistas..''


O Que Me Disseram as Flores 



BT - O Que Me Disseram as Flores





Resenha: O Trio - Alane S. A. Brito: 


O poder da amizade. Acredito que a amizade é um dos sentimentos mais fortes que existe. Tenho poucos, mas bons amigos, eu diria. A amizade é uma das formas de amor mais puro que já vi e lendo o livro O Trio da autora Alane Brito, pude constatar que a amizade é sim uma das formas de amor mais bonitas que existe.

''É fato que são os detalhes que  marcam nossas vidas e é o que fazem a diferença em dias saudosos. Os míseros, mas preciosos detalhes.''

A obra conta a história de três amigos. Uma pequena vila e muitas provações que esses três teriam pela frente. Davi volta depois de dez anos para a vila, ao encontrar um menino curioso, conta a sua história e a de seus lindos amigos. Então entramos em um mundo onde conhecemos desde o inicio como surgiu e amizade de Davi, Jordan e Nelson.
Cresceram juntos e esses três eram inseparáveis.  Tudo muito bom e muito bonito até que um certo incidente acontece e Jordan é acusado. Todos viram as costas para o menino e a partir desse episódio tudo que acontece de ruim, ele é acusado. O que achei? Eu fiquei com muita pena dele, confesso que Jordan foi meu personagem preferido e nele eu me vi pensando em como podemos catalogar e criar um estereótipo para definir uma única pessoa. Podemos ser tanta coisa e agir de tantas maneiras, mas o modo como toda uma vila faz esse tipo de preconceito com um menino foi cruel. Pensem em um grande Bullying. Também doeu ver ele crescer e se acostumar a ser tratado assim.
Qual o papel da amizade de Nelson e Davi nesse drama?
Nelson e Davi mostraram como a amizade é importante na vida de uma pessoa, houveram momentos de dúvidas e de desconfianças e foram nesses momentos em que se perguntavam, que pessoa realmente era o amigo, que tivemos uma das grandes questões da narrativa. Como mencionei a história é narrada por Davi, suas percepções da história, seus sentimentos e suas dúvidas. Tive momentos que me decepcionei com Davi, que quis brigar com ele e até sacudi-lo assim como teve momentos que quis agradece-lo pelo belo coração que tinha.

" Meu destino não seria controlado por mim. Mas será que isso dependeria das escolhas que eu fizesse? Ou seja, as consequências viriam depois que eu decidisse que caminho seguir ou essa escolha já tinha sido escrito? Quer dizer, dependeria de fato só de minhas decisões? Provavelmente não importava o que eu fizesse tudo me levaria a um único fim. Eu estava bem confuso."  

Achei os personagens muito bem criados e desenvolvidos. Cada pequeno drama e questões muito bem fechados e entrelaçados. Até os romances foram muito, mais muito fofos e esses também tiveram correlação com a amizade dos meninos.
Jordan, Nelson e Davi eram apaixonados por Yola. Fizeram um pacto entre eles quando garotos - leiam e descubram qual - mas Jordan se apaixonou por Leonor quando essa certa ruivinha chegou a vila, então ficaram Davi e Nelson apaixonados por Yola. Não esquecendo da bela Ana que era apaixonada por Davi e Nicholas que era apaixonado por Yola e depois mudou para Leonor que amava certo alguém.
Os romances foram muito gostosos de ler. A torcida para cada um ficar com o par - que eu achava certo - e ver como o preconceito que Jordan viveu prejudicou sua auto estima e quase estragou seu romance foi de apertar o coração.

'' Deveríamos estar os três juntos compartilhando da mesma euforia, como antigamente. Por isso pensei: Será que o futuro nos afastará? Definitivamente, nunca se sabe o dia de amanha. Ontem vivíamos grudados e num piscar de olhos estávamos separados em uma ocasião tão especial como aquela. Não pude deixar de temer. Percebi que nada poderia acontecer do modo como havia planejado. Meu destino não seria controlado por mim. Mas será que isso dependeria das escolhas que eu fizesse?''

O TRIO - Cada personagem:
Davi - o narrador. Gostei muito de Davi, mas como já mencionei teve momentos que o critiquei mesmo. Sentimentos são sentimentos, mas temos que acreditar em quem verdadeiramente amamos. Davi ficou confuso muitas vezes, algumas se deixou levar e outras ele se auto questionava e se repreendia. Foi um personagem psicologicamente muito bem desenvolvido.

Nelson: O que senti em relação a ele é que em alguns momentos da história ele se anulava para ver a felicidade dos outros. Quando deixou o coração falar mais alto ele cometeu erros e foi uma das questões desse personagens que nos perguntamos: Vale tudo por amor?Seria uma amizade capaz de perdoar certos atos e omissões?Foi certo? Talvez não! Mas eu gostei muito da simplicidade, do carisma e da alegria desse personagem.

E finalmente chegamos ao meu menino: Jordan! Jordan foi um grande sofredor da história, minha simpatia por ele pode ter começado pelo sentimento de pena mesmo, mas logo se transformou pelo amor que vi emanar no coração desse menino.
Jordan é forte. Corajoso. Leal. Mesmo sofrendo tudo que sofreu, houveram momentos que ele se decepcionou e momentos que vi que ele sofreu dores além de explicáveis. Ele soube amar e perdoar. Soube ser forte e tudo que eu desejava para ele era um belo e grande final feliz.

Com ele tivemos a grande questão: Será que ele foi culpado pela coisas que foi acusado? Ele fez por merecer o apelido de Leproso? Quando tivemos momentos em que até seus amigos duvidaram dele? Eu realmente torci para ele não ser o culpado. Mas confesso que se ele fosse - e aqui estou deixando em aberto, não vou contar se sim ou não - eu entenderia, pois em diversos momentos desde pequeno, ele foi acusado e taxado, se ele fez ou se tivesse feito eu acharia que ele de certo modo foi induzido pela sociedade na qual viveu.
Me entenderam? A questão que estou querendo abordar é que muitas vezes não queremos fazer determinada coisa, mas somos induzidos, mesmo indiretamente. As vezes cometemos um pequeno erro e desse erro somos acusados pelo resto da vida e isso é tão injusto. Se ele foi o não culpado não vou dizer, mas queria dizer que para mim isso não mudaria o afeto que senti por esse personagem. Afinal... Você seria capaz de perdoar?

Continue lendo...



Paula Juliana

26 comentários:

  1. Adorei sua entrevista, Alane! Estou lendo; O que me Disseram das Flores a mesmo na metade já afirmo que é um dos melhores livros que já li! Detalhe básico; Amo ler e leio muito e sou perfeccionista e exigente em relação a forma da escrita de um autor. Parabéns! E super mega indico para todo mundo que ama romance e um drama para apimentar e encantar! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Liliana!!! Fico absurdamente feliz em saber que está gostando, ainda mais alguém tão exigente!! Obrigada pelo carinho!!
      Beijão!!!

      Excluir
  2. adorei o post, super completo. gostei mt dessa entrevista com autores

    www.tofucolorido.blogspot.com
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. concordo com a autora: ler a Bíblia é Vida !

    ResponderExcluir
  4. Oi Lindona..sempre amo as entrevistas aqui,sao perguntas super inteligentes.e ainda por cima,legal que conhecemos mais afundo o autor,agora mega curiosa no livro o que me disseram as flores,eu acho que o final vai ser surpreendente e vai acabar em uma bela cena de amor
    bjs lindaaaaa www.zilandramakes.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Paulinha, acho bem legal fazer essas entrevistas com os autores, quem não conhecia acaba conhecendo o autor e bem né?! Gostei de saber um pouco mais desse autora e das obras dela, ela parece ser muito atenciosa, e foi interessante ela recomendar a leitura da Bíblia, eu já li a metade da bíblia mas tive que parar porque o tamanho das fonte é super pequena e como eu tenho problema de vista não conseguia ler por muito tempo que os olhos pesavam, mas pretendo sim terminar de ler a bíblia um dia e concordo com a autora independente da pessoa acreditar ou não em Deus, é realmente um livro valor histórico e tem uma historia excepcional mesmo e todos deveriam ler.

    xoxo

    http://livrosseriesecitacoes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi florzinha!
    Gosto bastante desse tipo de entrevista, porque podemos conhecer um pouco mais sobre cada autor ♥ Dos livros da Alana, eu só 'conhecia' O trio (já vi em alguns blogs mas nunca fui atrás para descobrir mais sobre). Pude perceber que a autora tomou uma decisão hiper certa ao largar os desenhos para seguir como escritora. Também acho que atualmente as plataformas digitais ajudam (e muito!!) na divulgação/publicação das obras, fico muito feliz com isso! E que legal saber que ela leu Jv (to doida p ler,. hehe!). Sucesso pra ela!

    Mil beijos, Cássia :D
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
  7. Adoro ler essas entrevistas com os autores. Adorei sue post, super completo e ate fiquei com vontade de ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá

    Adorei a entrevista e a Alane parece ser muito simpática. Ela começou com quadrinhos né. Admiro quem sabe desenhar, porque nem aqueles bonequinhos de palito eu não consigo kkk
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Paula;
    Não li nadinha da Alane ainda. Mas por falta de oportunidade do que de interesse, visto que leio resenhas mega positiva dos livros da autora. Amei a entrevista, perguntas pertinentes e interessantes e respostas bem dadas. Fora o carinho que a autora demonstra ao responder cm propriedade.
    Parabéns pela postagem, o que acho muito fofo são os autores de hoje serem tão próximos de nós leitores, isso faz toda a diferença.
    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    http://vivianeblood.blogspot.com.br/2014/10/resenha-alfredo-nao-tem-medo-e-mais.html

    ResponderExcluir
  10. parabéns pelas resenhas ...sempre tem uma pitada de quero mais e pela entrevista

    ResponderExcluir
  11. Olá Paulinha!
    Não conhecia a autora, adoro essas entrevistas justamente pela oportunidade de conhecer a trajetória do autor com suas obras. Que Capa linda a de O que me disseram as flores, amei!
    Parabéns, entrevista massa!
    Bjus
    Juh

    ResponderExcluir
  12. Adorei a entrevista, tenho que dizer que realmente é bom como tem gente apoiando a literatura nacional!

    thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Paulinha lindona adorei a entrevista, parabéns a você e a autora . ótimas sinopses gostei bastante de O que me disseram as flores, bem interessante a autora estar lendo Jogos Vorazes adoro também . A capa ficou maravilhosa . beijos lindona

    ResponderExcluir
  14. As entrevistas são uma boa forma de nos sentirmos mais próximos dos autores, muitas vezes conhecer suas histórias é uma forma de motivação, de não desistir, entender que as coisas vem dos sonhos e do trabalho.
    Muito bacana começar pelos quadrinhos e também trabalhoso, fico imaginando.
    Bjús
    http://quadrofeminino.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Paulinha,
    gostei muito da entrevista...assim a gente conhece mais os autores e suas obras. na entrevista em questão, achei as resposta de Alane excelentes e gostei de suas obras. E a resenha foi excelente. parabéns.
    bjs

    www.navioerrante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá Paula!
    Eu adorei essa entrevista. A escritora parecer ser muito simpática.
    Adorei a dica de livro que todos devem ler. Realmente a Bíblia é o livro mais inteligente e recompensador do mundo. Independente da religião ele nos trás ensinamentos maravilhosos.
    Estou louca para ler esse livro, amei o book trailer.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Que capas lindas Paulinha e que entrevista completíssima heim só poderia ser sua <3

    Amei conhecer mais a autora, fiquei bem curiosa quanto seus livros!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  18. Capas lindas, amei a entrevista
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Que legal que ela começou com quadrinhos, sempre tive uma admiração por eles, antes mesmo de começar a gostar de ler de verdade! A autora deu uma super entrevista, melhor conselho é realmente nunca desistir dos seus sonhos! E a capa de "O que me disseram as flores" está muito bonita! Beijos!

    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
  20. Oi Paulinha, tudo bem?
    Eu gosto tanto de fazer entrevistas, estou meio sem tempo, mas vou voltar.
    A Alane é um amor de pessoa, eu estou com o livro dela na fila para ser lido e não vejo a hora, pois lembro até hoje da resenha que você fez sobre o livro e que me encantou com a história. Nossa, não sabia que ela pintava, desenha, fazia quadrinhos!!!! É uma artista completa!!!!
    Alane, você é um exemplo par outros que possuem o sonho de se tornarem escritores. Guardar seus tesouros para o momento certo e nunca desistir deles é inspirador para qualquer um!!!!!!
    Adorei sua entrevista e estou torcendo pelo seu sucesso!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Só obras legais! Adoro conhecer melhor os autores.

    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Paulinha sua linda, parabéns pela entrevista, sempre conhecendo mais sobre autores, amei.
    Bjs
    Luh
    Sempre Belas-Blog | Facebook | Instagram |


    ResponderExcluir
  23. Oi, Paulimha!

    Já conheço a Alane, mas ainda não li nada dela.
    Sempre que vejo as capas dos livros, fico com muita vontade e com certeza um dia matarei este desejo reprimoido rs.
    Amei conhecer mais dela e vou procurá-la para fazer um post lá no blog com ela.

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  24. Oi flor!
    Como sempre arrasando nas postagens!
    Não conhecia a autora e suas obras, mas gostei bastante da entrevista e me interessei por "O que me Disseram as Flores". Parece ser o tipo de história que encanta.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oi Paula, tudo bem?

    Menina, eu acho que não li nada de nenhum dos autores. Não por falta de vontade, mas sim por falta de dinheiro dasihudhiuashd. E tu sabe que se eu comprar mais um livro, não entro em casa HIUDHIAUSHDUIHASUID

    Beijos

    ResponderExcluir