quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Resenha: Reflexões de um sujeito à toa - Adhemyr Fortunatto

Resenha: Reflexões de um sujeito à toa - Adhemyr Fortunatto
Classificação: 4/5 

Sinopse - Reflexões de um sujeito à toa - Adhemyr Fortunatto

Um dia, após ler um livro, ansiei pela busca da liberdade completa. E tratei de a andar à toa. E sozinho. Conclui, afinal, que somente uma dose diária de caminhada, de bom humor e ironia (E de leitura)nos faz aturar os homens. Por isso sou uma pessoa que gosta de andar à toa. E quando me canso, sento em qualquer lugar que encontro, sem qualquer cerimonial. E leio, leio... Mas também observo. E como observo...
Skoob

''Fiquei pensando nisso por dias e dias. Se são os homens que fazem as leis, como elas podem ser dispensáveis, pura e simplesmente?...''

Vamos falar de pensamentos?! Reflexões?! Aquelas ideias, tópicos, epifanias que todos temos?! Agora imaginem um sujeitinho à toa, andando por aí totalmente... bem... à toa, só ele, e suas reflexões, em busca da liberdade COMPLETA! 
Mas o que é a liberdade? Segundo ADhemyr Fortunatto a liberdade, não é exatamente liberdade se estamos trancados, presos, trancafiados em casa, ou no ônibus, ou no nosso trabalho. Então esse camarada foi em busca da sua liberdade de pensamento e expressão, ao ar livre, sozinho, e nos presenteou com seus textos no livro: Reflexões de um sujeito à toa!

''A companhia dos livros dispensa com grandes vantagens a dos homens.''

Quando recebi o convite do autor para ler seu livro e falar o que achava dele, não sabia muito bem o que esperar. Essa obra não tem uma história literária, ela não tem um mocinho, um vilão e um enredo fictício. São textos, alguns pequenos de uma folha, meia folha, ou maiores de até três ou quatro páginas. Neles encontramos pensamentos e questões que o autor trata de forma até pessoal, um pouco do que ele acredita, com uma linguagem fácil e rápida, com um humor levemente ácido e irônico, que nós leva a pensar em determinados assuntos.Vezes só rimos e curtimos o texto, em outros momentos ficamos lá parados tentando entender, alguns textos não tem um grande final, outros são totalmente no ponto certo. Com muito sentido! Sem sentido algum! São mais que divagações são temas, propostas que podem ser pensadas ou ignoradas.  

Ele fala da leitura de uma maneira que quem é apaixonado vai entender. O livro é dividido em textos sobre ''Fatos do Cotidiano'' e ''Fatos do subconsciente''. Li a obra ao longo do mês de outubro, vocês sabem que gosto de ler contos e pequenos textos entre meus livros, então fiz isso com o Reflexões de um sujeito à toa.

Os textos falam de Destino, mulheres, chocolate (Amei esse!), Fé, acreditar em algo, fidelidade, ''O para sempre'' ou o ''Para toda a vida'', fala de casamentos, das pessoas chatas, faz críticas políticas e sociais, fala sobre o tempo... que a vida é uma roda que gira, as vezes estamos por cima, as vezes por baixo, e que isso não mede nossa felicidade... ou não! 
Temos algumas tramas por exemplo entre Remígio/Paschoalita/ Tonto... que de tonto não tem nada! Um papai Noel pra lá de peculiar!
O meu texto preferido foi o ''Dinâmica em Grupo'', talvez tenha me identificado um pouquinho ali, fala sobre a sinceridade, e sobre o que nós como pessoas fazemos em lugares que não tem nada haver com nós. Achei esse ótimo e ri demais.

Reflexões de um sujeito à toa é uma obra crítica, alguns texto me ganharam de primeira, alguns não tiveram esse resultado, mas todos me fizeram pensar e refletir. Eu ri, me questionei, pensei e me diverti! Quem sabe eu até saia por aí um pouco à toa... com meus livros, pensamentos e o silencio à procura da minha liberdade! 

''Aprendi que você não deve explicar o seu amor por algo fictício a qualquer pessoa, pois a mesma não o entenderá, aliás, quem sente é você, e não os outros...'' 

Paula Juliana 

19 comentários:

  1. Olá, Paula Juliana... Gostei muito da tua resenha; de tudo que foi dito do meu livro, ninguém disse como você. Gostei tanto que, devido ao espaço limitado do jornal para o qual escrevo, vou publicá-la resumidamente em minha Coluna de Novembro. Agora já tenho assunto para minha Coluna... rsrs... Também a publicarei em meu Blog. Grato pela leitura, pelas observações. Realmente, quando o escrevi eu também ri, me questionei (por que não?), pensando me diverti, também. E tentei passar isso ao público. Também tentei transmitir um quê de Liberdade... Você captou minha mensagem. Grato. Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Paula, tudo bem? Não tenho o hábito de ler contos ou crônicas (não é que não goste, só não tenho o costume mesmo, meu maior volume de leituras é de romances), mas sua resenha me instigou bastante a ler o livro, parece conter reflexões com as quais eu vou me identificar.
    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  3. Vivemos tão atolados pela correria cotidiana que só em pensar em ficar à toa, com seus pensamentos e divagações já é o início de uma experiência libertadora, esse livro deve ser uma bela experiência. Só você para entender a profundidade e profusão dos seus sentimentos, o outro pode até tentar, imaginar, mas não vai sentir como você, essa experiência e sua.
    Bjús, Cih
    http://quadrofeminino.com/

    ResponderExcluir
  4. Amiga....
    gosto de livros assim sem ser uma obra ficticia,mais sim com varias historias refleões e fatos do cotidianoo,adoro,pois sempre nos encontramos em algum texto ne?
    adorei,gosto demais de leituras assim sabia/ mesmo nao tendo historias para prender,mais acho que mexe com nosso pisicologico,
    bjsss
    www.zilandramakes.com.br

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,
    Como esta?
    Eu gosto de ler contos ou crônicas...claro,que num livro você se identifica mais com um outro mas eu gosto.
    Bacana sua resenha,desconhecia a obra :(

    Beijos e tenha um excelente final de semana

    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  6. Paula,
    Apesar de não ser o meu tipo de literatura favorita, acho importante lermos livros assim que são mais introspectivos sabe? Pois, nos fazem parar e analisar o que está acontecendo a nossa volta.
    Parabéns pela divulgação do livro e do autor!
    Mil bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Paulinha!
    Estou com este livro aqui para ler, mas ainda nem terminei.
    Já peguei ele junto com meu irmão e demos boas rizadas, mas me falta fazer a leitura para a resenha.
    O livro é muito engraçado mesmo e tem ótimas cenas para nos fazer pensar realmente

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro e achei a capa bem linda.E apesar de sua resenha ter ficado bem boa eu não sei se leria o livro agora.Mas em outra hora eu daria uma chance, pera ver se ele me arrancava boas gargalhadas.

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Paulinha também adorei a parte que fala dos chocolates amoooooooooo, gosto de livros assim rápido com pensamentos e esse me deixou bem curiosa com os chocolates hehe . Vou pesquisar um tanto mais para ler. beijos lindona

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, sou o autor do livro em questão.
      Agradeço muito as suas palavras. A parte do chocolate --- não é pra menos --- é a que começa o livro. Abraços. Para adquiri-lo:
      adhemyr_fortunato@yahoo.com.br

      Excluir
  10. Olá Paula

    Uma vez eu passei a escrever textos bem parecidos com o do Fortunato, faz bem a alma e ao coração colocar nossos pensamentos no papel. Gostei muito da resenha.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Paula-linda,
    Adoro livros desse gênero, que nos fazem refletir. Por isso, sou fã de crônicas, mas de um jeito estranho não consigo produzi-las (rs). Cheguei a fazer um curso para isso, porque sou escritora – não lembro se você sabe. Mas parece que não somos nós que selecionamos os gêneros a serem escritos, são eles que nos selecionam. Observar a vida e tecer comentários a respeito dela, de um jeito criativo e envolvente, não é para qualquer um! Eu sou capaz de escrever contos, mas não me vejo com a habilidade de um cronista.
    Imagino que o autor, Adhemyr, seja encantador. Ele não apenas procurou escrever algo, mas vivê-lo. Só com esse desafio, já me ganhou (rs). Anotei a dica, flor.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.S. AMEEEEI você ter incluído o link do Skoob! (rs) Obrigada.

      Excluir
  12. Oi Paulinha!

    Adoro livros com pensamentos!
    Acabei de ler um assim! O mais legal é quando vc le um trecho que combina com vc! O.O
    É tão gostoso! Um livro leve, mas que te faz refletir sobre várias coisas! Coisas que vc já pensou e coisas que vc nunca imaginou! ^^

    Vou lá adc ele no skoob pra não esquecer! ^^
    Beijokinhas!

    ResponderExcluir
  13. Oi Paula ^^
    Normalmente tenho uma dificuldade para ler livros de contos, admito que já li alguns que me surpreenderam muito, mas ainda assim encontro uma certa resistência com livros sem "começo, meio, fim, mocinho, bandido...".
    Quando comecei a ler tua resenha eu estava convicta de que manteria esta resistência, mas a forma como tu apresentou a obra despertou meu interesse.
    Parabéns pela resenha!

    bjs ❤

    ResponderExcluir
  14. Oi Paulinha,

    Sabe, que gostei da ideia de sair por aí e andar à toa, sem rumo, sem regras e vivendo um dia de cada vez, já meio assim no dia-a-dia, valorizo muito mais o ser e menos o ter no sentido físico. Gosto das reflexões que os livros nos propiciam mesmo que às vezes não gostemos 100% do que foi lido, mas quando mexem conosco a ponto de pensarmos um pouco mais na proposta, creio que com certeza a leitura valeu a pena.
    Ah! já falei que amo as suas resenhas hoje? Não, hoje não falei outro dia, então falo hoje: Amo as suas resenhas.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Paulinha,
    Nem sempre os livros tradicionais com mocinhos e bandidos nos fazem pensar como faz exatamente esse livro. Filosófico? Talvez, mas em muitas coisas não deixa de ter razão, é preciso pensar, refletir o que acontece a nós a cada dia que passa. Provavelmente essa seja a tal liberdade dita em sua resenha sensacional. um livro bom de se ler.
    bjs

    www.navioerrante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. O livro parece ser bem legal,daqueles que deixam a gente pensando sobre nossas vidas,expectativas e ações. Não curto muito contos,mas ás vezes eles são tão bons que não resisto. Estou numa fase meio igual ao do personagem e acho que seria bem legal ler as divagações dele.

    Adorei a resenha,me deixou com vontade de conhecer o livro.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  17. Li todos os comentários acima, e agradeço muito!
    Para adquirir meu livro:
    adhemyr_fortunato@yahoo.com.br
    ABRAÇOS A TODOS!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir