terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Resenha: Legado de Sangue - Raquel Pagno

Resenha: Legado de Sangue - Raquel Pagno
Classificação: 5/5  Favorito 
Sinopse - Legado de Sangue - Raquel Pagno
Carmem sempre ouvira as tristes histórias de Francesca. Adorava cada frase saída da boca enrugada da avó, mas sentia que a verdade estava escondida nas linhas de seu rosto, presa em um coração saturado de sofrimentos. Foi em uma noite de lua cheia que ela finalmente lhe contara a verdade: seu antepassado era um vampiro, Carmem era a herdeira do Rubi de Sangue e do poderoso sangue das bruxas, o único alimento capaz de saciá-lo completamente, e que ao mesmo tempo era para ele mais letal do que qualquer veneno; e era a única capaz de gerar um filho para salvá-lo da extinção. Apaixonada, Carmem segue o seu caminho rumo ao destino que a aguarda. Miguel deseja o seu sangue, e ela, a imortalidade dele.

''Ele era o próprio demônio encarnado, era o pai das tentações. E eu? Eu era apenas uma Eva sem o seu Adão, presa no paraíso com a serpente.''
Gente! Eu pirei nesse livro! Não é segredo para ninguém que eu sou mega fã dos sobrenaturais, e que vampiros são os meus seres preferidos. Nesse livros da Raquel Pagno, a autora nos mostra uma mitologia diferente, bem original e ainda por cima temos toda a história da herança de sangue das bruxas! É muito bom! Estou acostumada a ler todo o tipo de vampiros. Todo mesmo! Adoro os romances fofinhos até os sanguinários sem coração! Vampiros são vampiros! Podem ser descritos e criados de mil maneiras e sempre vão me seduzir! E foi o que aconteceu lendo essa obra, Legado de Sangue!

''Como uma mesma pessoa era capaz de ter tanta doçura e tamanha frieza? Como podia amar-me daquela maneira e em seguida, abandonar-me? Encolhi-me em um canto, tentando esconder a tristeza que se apossava de mim porque ele partiria.'' 


Ele queria um herdeiro! Um filho, sendo o último vampiro existente, Miguel fez disso sua obsessão! Não são todas as mulheres que conseguem gerar uma criança de um pai vampiro, e para transformar alguém, também não pode ser qualquer um! Tem que ter poder no sangue, o poder que só o sangue das bruxas tem!    

O Livro é divido e duas partes! A primeira narrado por Francesca, que viveu o desespero da guerra de 1934, que tem sangue de bruxa e foi encontrada por Miguel assim que chegou ao Brasil! Conta sua vida ao lado do vampiro e todos seus acontecimentos e sofrimentos; a segunda parte é narrada por Carmen neta de Francesca que também leva esse legado em seu sangue! 

Não vou abrir muito o enredo, pois uma coisa muito legal nesse livro é você ir descobrindo e se surpreendendo com os acontecimentos, sendo seduzida, ficando chocada, aterrorizada, curiosa! Sendo levada pela história e pelas reviravoltas que ela traz! E são muitas! Pelos que contei temos uns três clímax fortes durante a obra! 

''—  Oh! Eu o odeio tanto, Miguel! —  disse antes que saísse.
Ele apenas me olhou com seus olhos de punhal:
— Eu nunca pedi que me amasse.''
 


Miguel queria pegar todas as mulheres dessa família! Geração após geração! (Risos!)
Coragem! Apesar de toda a história da Francesca eu não odiei ele sinceramente! Miguel não é um mocinho! É tipo anti-herói total! Mas eu tive pena dele.
Seria até legal a autora reescrever a história do ponto de vista dele, por que a Francesca amou ele, aconteceram varias coisas que desiludiram ela e depois foi rejeitada (ou psicologicamente afetada), uma mulher sentida não pensa neutra mente e a história (parte 1) e a visão dela, então a gente é levada a achar que ele é um monstro e tal, que separou ela dos filhos, (não que ele não seja um mostro!), mas na época, ela poderia ter tido uma sorte bem pior, pós guerra - mãe solteira - sozinha...
Pensem o que acontecia com as mulheres naquela época nessa situação!


Talvez ele tenha salvado ela em alguns aspectos, ele deu educação, casa, comida, segurança para ela e para os filhos, mesmo Miguel sendo frio e controlador, ter essa coisa de querer ser pai... Ele é um vampiro - o último - devia ter vivido sozinho e sendo caçado durante anos e anos. Não e fácil saber conviver socialmente depois de tanto tempo! Ainda desejando o sangue da Francesca como ele desejava!
Não sei! Mais acho que vou ser a única lendo esse livro que vai ficar a favor dele! Meu lado advogada do diabo aqui!

''Aquilo  era algo surreal para mim. Inocentes sendo mortos sem motivo nenhum, crianças sendo brutalmente assassinadas nas ruas das cidades. Nem nos tempos mais remotos eu vira tamanha crueldade, mesmo para alguém como eu, aquilo era insuportável.'' (ADOREI essa parte no livro!)

Esse livro despertou tantos sentimentos em mim, que assim que eu terminei o livro fui no skoob dar uma olhada se a autora por um milagre já tinha escrito um segundo livro com esses personagens, não é que a história não tenha terminado de uma forma bem fechada, ela terminou perfeita, como eu queria e mesmo assim senti um gostinho de quero mais, se tivesse um conto, uma continuação, eu não pensaria duas vezes e pegaria para ler seguidamente. Raquel tem uma escrita super viciante! Não tem como não se apagar a seus personagens, amando ou odiando, se decepcionando ou te seduzindo, eles são incríveis!   

''—  Não sinta. Não deve se entristecer pelas coisas que já passaram. Na verdade, penso que eu deveria agradecer por Gabriel ter feito você para mim  —  disse decidido.''


Francesca foi uma personagem forte, que passou por poucas e boas e é impossível não se apegar a ela e a seus sentimentos.  Ela sofre e nós sofremos junto, ela se decepciona e nós se decepcionamos junto, ela ama e nos amamos junto. Nessa primeira parte da história conhecemos personagens secundários que fazem toda a diferença para a história e haja coração para conseguir aguentar tantas emoções. Boas e ruins. Francesca passou pelo inferno na terra, mas como uma boa lutadora sobreviveu.

''Semelhante ao de um pai verdadeiro, que traçara um futuro para seu filho e então fora surpreendido pela vida que lhe mostrava que cada um escolhe seu próprio  caminho e que ele não poderia escrever o destino das outras pessoas por elas.''  

Teresa e Marco! São os dois filhos de Francesca que vieram da Itália para o Brasil junto com a mãe. Começaram a história duas crianças e durante o livro tivemos um panorama bem legal da vida deles até adultos e criados. Não gostei de Teresa, peguei implicância com ela logo na primeira parte!  Quanto a Marco! Não posso falar muito sobre ele, pois aqui, qualquer coisa é um grande spoiler. Porém, foi o personagem masculino que mais gostei na obra toda, com seus defeitos e qualidades!   

 ''― Perdoe-me, Miguel. Eu não sabia... - disse apenas, e rompeu em prantos.  Meu coração, se é que eu ainda o tinha, partiu-se naquele exato momento, e o amor que eu sentia por aquela bruxa, aflorou com uma violência que mesmo eu duvidara existir. Estendi os braços em sua direção, arrancando as presilhas que travavam as correntes nas paredes e puxei-a para mim, envolvendo-a em meus braços imundos.''


Carmen! Desde o começo sabemos que Francesca está narrando a sua história para a neta! Carmen tem algo que a puxa e a envolve com a história da vó. Ela é uma boa personagem e eu consegui entender seu lado! Mesmo sabendo de tudo, foi justa com ela e suas vontades e fez o que deveria fazer. Não acredito que fosse uma coisa que ela pudesse controlar, então tentei não julga-la e sim compreende-la! O que deu muito certo e fez da segunda parte do livro a minha preferida! 

''—  Oh! céus! Como pude ser tão covarde?—  disse ele com amargura na voz, secando as lágrimas que desciam pela face pálida
—  Ah! se eu soubesse que ela ainda esperava por mim... Como eu poderia adivinhar, se quando eu a olhava sempre via a repulsa em seu olhar? Mesmo quando ela procurou-me com seu pedido de perdão, o que eu vi em sua face foi a expressão do medo e nenhum sinal de amor.''


Miguel! Miguel! Miguel! Teve comigo um relação que foi de decepção até amor! Eu senti pena dele em muitas partes da obra. No começo mesmo eu estava amando-o loucamente, até ele começar a fazer cagada! Ponderei os pros e contras e por fim, achei o fim dele totalmente justo! Tiveram partes que eu sonhei que ele realmente terminasse com a Francesca e na segunda parte não lutei com a ligação que ele tinha com a Carmen, queria mesmo que ela procurasse ele, para mim descobrir o porque daquele tipo estranho de relação e ligação que existia ali. 
E outro ponto! Ninguém pode falar que ele é um pai ruim!  

''Não sou um demônio  como você pensa, Francesca, eu tenho sentimentos. Eu já amei, amei o suficiente para compreender que o amor também é passageiro, e que o único amor eterno e incondicional, que não pode ser abalado, que não se acaba com o passar do tempo, é o amor que sentimos pelos nossos filhos.
— E é por isso que deseja tanto este filho, Miguel?
— Sim. Eu tenho vivido sozinho há muitos anos.''

Por fim! Indico essa obra para os amantes de sobrenatural, para quem gosta de vampiros nada bonzinhos e politicamente corretos! Os vampiros de Raquel conseguem ser doces e gentis e na hora seguinte se transformarem em malvados e frios. Instinto? Natureza? Eles são o que são! Você não pode controla-los! Uma história muito Fodática para quem gosta do gênero um prato cheio! Eu? Eu amei cada segundo desse legado maldito!    

''A voz... Não pude esquecê-la. Passou a me perturbar desde então. Era uma voz conhecida, eu já a ouvira milhares de vezes chamando por mim. Dizia meu nome, falava em silêncio, dentro de mim. A voz estava guardada em mim. Talvez não viesse da casa ou dos sonhos. Talvez a voz fosse a minha própria voz, tornando possíveis meus desejos ocultos. Talvez Miguel estivesse vivo, ou eu apenas ficara impressionada com a história da vovó, e ele jamais tivesse existido.''

''Só Miguel existia, só ele e a tentação do seu sangue, o seu gosto, o calor do sangue sobre o rubi.''


Continuar lendo: 
http://overdoselite.blogspot.com.br/2014/05/resenha-legado-de-sangue-raquel-pagno.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário