domingo, 23 de outubro de 2016

Resenha: Mulheres que não sabem chorar - Lilian Farias

Resenha: Mulheres que não sabem chorar - Lilian Farias
Classificação: 5/5  Favorito 

Sinopse - Mulheres que não sabem chorar - Lilian Farias
Mulheres Que Não Sabem Chorar conta a história de duas pessoas que se reconhecem como mulheres e que se amam em toda a sua plenitude. Desse amor renascem sentimentos que outrora fora reprimidos: dores; curas e anseios sobre o próprio amar e ser amada. Duas mulheres que precisam quebrar o pior e mais severo dos preconceitos: aquele que habita em nossas entranhas! Mais que uma relação homoafetiva, Mulheres que não sabem chorar nasceu dos meus 40 dias no deserto, durante todas as privações e isolamentos sociais. O deserto me ensinou a recolher e emanar as minhas ancestrais para me dar vida própria e encarar o mundo, depois soprei nas palavras da vida, que pulsava nas minhas veias, a força de Ísis.


''...Esta sociedade não nos dá espaço, pois vive rotulado a vida de todos e doutrinando a maneira de como as pessoas têm que viver...''

''Todos nós, independente de gênero, que nos reconhecemos como mulheres, carregamos um mundo em nossas entranhas.'' 

Não tem quem diga que nós mulheres não somos fortes e guerreiras! Somos o sexo frágil? De onde vêm esse mito? Lendo o livro, Mulheres que não sabem chorar, da autora Lilian Farias, entrei de cabeça nas histórias de muitas mulheres e tive a absoluta certeza que nós mulheres devemos e temos o direito de chorar! Somos fortes!
''Feridas na alma, muitas vezes travestidas de sorrisos amarelos.''
O livro tem como foco principal a história de duas mulheres, histórias que se cruzam. Vidas que se entrelaçam. Mas mesmo sendo 'só' com duas protagonistas, nessa obra encontramos muitas histórias de mulheres.

''Um encontro com o espelho não é fácil, mas nos ensina a chorar.''
''E essa é a busca de se encontrar, de se permitir, de se entender, de buscar ser amado para dar sentido a vida.''

Histórias de medos, angustias e desespero.

Histórias que contam as feridas da alma dessas sobreviventes, contam sobre doenças da alma - fala sobre os canceres, os preconceitos e sobre VIDAS!

Marisa e Olga. Essas são nossas mulheres. Comecei a ler o livro pensando que leria um simples romance. Nesse caso contando sobre o amor dessas duas mulheres. Homoafetivo. Porém, a obra me surpreendeu, me pegou não só pelo romance, me pegou pelas histórias contadas, pelas lições FORTES de vida e pelas dores que senti lendo.

''Marisa privou-se de sentir e tentou compreender o incompreendível, e murchou mais que floresceu. Ela amava as flores, mas as incompreendia na essência, julgava demais, tinha verdades demais, o tempo era uno e foi incapaz de refletir sobre as realidades que a cercava.''  

Marisa uma mulher na faixa dos 50 anos. Olga uma mulher na faixa dos 50 anos. Marisa viúva. Olga separada. Marisa perdeu os filhos para o mundo. Olga perdeu a filha para a morte.
Marisa é viciada em cigarros, é um modo de controle, de prazer e de liberdade. '' Eu sou dona do tempo.'' 
Olga é viciada em álcool, sempre teve medo e usou a bebida como uma fuga, um modo de esquecer e de não sentir, não sofrer.

''Sem destino ou camuflagem, ela era uno. Mesmo sabendo que se tornou uma pedra, pouco se importava e seguia o caminho do vício deliberadamente. Nos poucos, raros momentos de sobriedade, cuidava de um pequeno jardim na frente da casa que ela intitulou de ''As flores não morrem.'' ''

Marisa amava as flores. E vivia a vida de uma maneira fria. Sem sentir, sem dar prioridade para coisas que realmente importavam. Julgava a tudo e a todos e julgava muito. Era dona da própria verdade e não se importava com o querer dos outros.
Olga se tornou um peso para todos. Perdeu o marido, mais tarde perdeu a filha. Era ciente do que era e tinha uma visão triste da vida, mesmo porque ela sempre foi uma grande sofredora da própria existência.

Olga tinha uma visão da violência, dos abusos e maus tratos como algo banal, corriqueiro, normal.
Isso me cutucou, me incomodou e me despertou pena e tristeza. Por ela já ter visto, vivido e passado tanta coisa ruim que o ruim, o violento se tornou NORMAL.
E você se pergunta, quantas Olgas devem existir pelo mundo? Que sociedade é essa que combatemos tudo com violência? Que é normal abusar e oprimir pessoas? 
Mulheres que não sabem chorar, é um tapa na cara! Te incomoda, te instiga, te faz pensar e querer fazer o possível para mudar um mundo que está doente.

Olga e Marisa são vizinhas durante boa parte de suas vidas.  E se odeiam. É em uma noite sombria que tudo muda na história dessas mulheres e elas se enxergam. Enxergam  uma a outra e enxergam elas mesmas.

''A sensação de liberdade transcendia a própria fluidez, e encontraram os lábios sedentos uma da outra, suas respirações não ofegavam, estavam retidas, talvez para parar o tempo; talvez para não saberem o que era aquilo; talvez para esquecer quem eram; talvez para aprenderem a respirar.''

Uma grande lição. De quando a vida não é generosa, de quando temos que viver com aquilo que nós é dado. Liberdade, só quando ocorre a libertação das amarras, quando somos sinceros com nós mesmos, é que acontece a verdadeira vida, verdadeira felicidade e verdadeiro AMOR.

Mulheres que não sabem chorar é uma grande metáfora para se libertar, esvaziar, falar, não guardar nada e sim, se expor, se mostrar. Não montar barreiras e apontar armas para o próprio peito.

A Autora ainda aborda assuntos sempre discutidos, como o machismo. Mas não só sobre como os homens são machistas, e sim, como as mulheres também são. Como a sociedade como um grande todo, julga TODOS - o preconceito e o medo pelo diferente vêm de ambos os lados e TODOS sofrem.

''Sei que nós mulheres sofremos preconceitos, humilhações, privações e até violência. Mas caso o homem não queira perpetuar a ideologia machista, ele sofrerá igual ou mais que a mulher. Por exemplo, caso ele não se importe em não se casar aos 40, de duas uma, ou é galinha ou homossexual...''

Uma parte da obra que me marcou bastante, foi os relatos sobre a ditadura militar. O que ocorria nos sanatórios. Pessoas vivendo em condições miseráveis, pessoas nuas, comendo do chão sujo, tomando água do esgoto, sofrendo tortura, agressões, abusos, e morrendo por fim.
''As dores continuam lá, as cicatrizes ainda estão abertas.''
Sempre que leio sobre essa época negra, me choco, ainda mais por saber que o relatos são muito verdadeiros. 

''No fundo, nós somos os loucos sociais viciados na verdade absoluta. Olga foi a nossa vítima; alimentamos-nos do sangue e do amor próprio dela. Tornamos-nos vampiros sociais para defender Deus sabe o quê... armamos-nos diariamente contra a própria humanidade, contra nós mesmos.''

Ao longo do livro, cada capítulo é apresentado o nome de uma flor, e no fim da obra somos presenteados com um dicionário Victoriano das flores. Descobrimos seus significados e ficamos maravilhados como tudo se encaixa. 

O livro é muito gostoso de se ler. É lindo! É triste! Romance! Mistério quanto a alguns crimes que estão ocorrendo com mulheres nas ruas, deixando a obra com um ''quê'' investigativo.
Reflexões! Mensagens! Histórias!

Mulheres que não sabem chorar é uma grande livro, apesar das suas 161 páginas. Elas amavam, só não sabiam o que fazer com esse amor... Super indico, espero que muitos chorem junto com essas mulheres! 

''Duvidam muito das mulheres, fazem piadas e nos chamam de sexo frágil. Mas quem já experimentou a força de uma mulher ferida sabe das dimensões da sua astúcia.''

''A verdade é que todos nós criamos expectativas de um jeito ou de outro, criamos e isso é a nossa realidade paralela.''  

Paula Juliana 

77 comentários:

  1. Não conhecia o livro . ótima dica para quebrar preconceitos . abraços

    Joyce

    ResponderExcluir
  2. Caramba! Ótima resenha, de verdade, eu A-M-E-I! Grande Lilian Farias! Após esta resenha, fiquei instigada a ler!

    ResponderExcluir
  3. Olá Paula!
    Que resenha incrível! Gostei muito da temática do livro,seus comentários me deixaram muito curiosa principalmente por tratar de temas sociais e políticos.
    Parabéns pela resenha!
    Beijnhos

    ResponderExcluir
  4. O livro "mulheres que nao sabem chorar" parece ser incrivel, mesmo contendo poucas paginas. Pela sua resenha, eu pude compreender um pouco do titulo do livro. (Que alias, eu estava morrendo de curiosidade para entender). O livro parece ser triste tambem. Mas mesmo assim eu fiquei curiosa p/ le-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rayane!
      O Título é uma jogada incrível da autora! Super inteligente! Espero que leia!
      Beijos

      Excluir
  5. Fiquei curiosa para ler o livro assim que terminei a resenha.No inicio me senti desmotivada a ler o livro por considerar que era somente um romance como tantos outros com uma ressalva,entre duas mulheres.Outra coisa que havia me desmotivado; a capa, achei bem sem graça, me induziu a acreditar que era um romance erótico.Quero ler o livro bem devagar e digerir o que foi escrito por Lilian Farias e fazer uma analise a altura da autora e com isso colher material quem sabe no futuro, poder ajudar ou até mesmo indicar o livro ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel!
      Eu gostei muito!! Ele transcende ao simples romance! Um livro de qualidade e com muito conteúdo!
      Beijos

      Excluir
  6. Paula amiga, linda, talentosa! Sua resenha como sempre está um arraso (não me canso de dizer isso)!
    Ainda não li nada da autora, e achei a temática bem diferente, e me parece que é bem intenso!
    Acho que esse é daqueles livros que nos faz refletir e muito rsrs
    Quem sabe em breve eu não me arrisque nessa leitura?

    Adorei!!!

    Beijos :*
    http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que leia Taty!!
      Muito Obrigada sempre!!! <3 <3 <3
      Ele é sim bem forte e meche com nossos sentimentos e reflexões!
      Beijão!!

      Excluir
  7. Olá tudo bem? Não conheço a autora mas ler sua resenha me foi uma grata surpresa! Uau que premissa heim, é para pensar. Quero ter a chance de poder ler a obra ^^

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  8. Oie Paula,

    A capa é linda, e mesmo você falando o quanto gostou da historia, eu não me interessei pelo livro, acho que não faz mesmo o meu estilo, mesmo as persongens superando barreiras da vida, e acho isso super legal, não me chamou atenção.

    Mayla
    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, Paula! Não conhecia o livro, mas amo livros que são tapas na nossa cara e também estou adorando essa nova onda na literatura que aborda a questão do amor entre o mesmo sexo. O mais próximo que eu li sobre esse assunto foi "Todo Dia" do Levithan, mas quero ler os outros deles que abordam mais descaradamente o tema: "Will & Will", "Garoto encontra garoto"... Tem muitos surgindo!
    Precisamos sempre respeitar! <3
    Beijos!

    bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tici!
      Eu não li esses ainda! Eu li o Amante finalmente - que os protagonistas são homossexuais e li Águas Turvas, são dois homens também! Com duas mulheres, foi a minha primeira leitura!
      Beijos

      Excluir
  10. Oi, não conhecia o livro, adoro ler sobre assuntos diversos, me interessei pelo livro.
    Beijinhos

    http://renatamoraisblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  11. Hey Paula, pela sinopse o livro nao me chamou a atenção.. mas sua resenhesa foi tao apaixonante que estou pensando em le-lo.
    Nao sei como vou reagir as cenas que relatam a ditadura, essas cenas costumam me tocar e indignar bastante.

    Beijos, Dreeh
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São cenas bem fortes Dreeh!
      Espero que leia sim! E que goste muito! Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  12. Oi Paula.
    Eu não me interessei pelo livro, a proposta dele não combina comigo, a única coisa que me atraiu foi a questão das flores, me lembrou A Linguagem da Flores, como elas são inseridas e o dicionário final, isso com certeza me agradaria.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei muito da relação das flores com a história Paty!
      Beijos

      Excluir
  13. Não conhecia o livro, vi o post no face e vim conferir, gostei da resenha e da indicação!!! Parabéns ao blog pela diversidade de estilos de livros !!!

    rosacarla8a@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Rosa!
      Seja sempre mais que bem vinda ao meu cantinho, e espero que ache sempre uma boa dica aqui!
      Beijos

      Excluir
  14. Fiquei chocada com essa parte da Olga achar a violência, maus tratos e abusos, uma coisa banal e corriqueira. Doeu em mim ler isso. Com certeza não dá pra viver plenamente sem sermos sinceros com nós mesmos, e a autora passar essa mensagem é muito legal. Mesmo assim, não me interessei pela leitura, o livro não faz meu estilo.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju!
      Doeu muito para mim ler! Ele quasa muitos sentimentos no leitor ao longo da leitura!
      Beijos

      Excluir
  15. Olá, Paula!

    Embora o enredo não faça muito o meu gênero, o livro parece ser bastante espetacular. Achei genial a nomeação dos capítulos com nome de flores... bem singelo! Adorei a resenha (que, por sinal, está bem completa!)

    Até mais,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Sergio! Fico muito feliz que gostou!
      Achei também genial da autora fazer essa linha entre a história e as flores!
      Beijos

      Excluir
  16. Paula que resenha é essa flor, é um livro com um enredo super interessante aposto, um romance homoafetivo um romance diferente, tá ai Paula excelente dica vou adotar e parabéns pela resenha que está espetacular!

    Bjão amada!! :)

    http://voceeoquele.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Gi!!
      Adoro vcs e como são mentes livres de preconceito!!
      Beijinhos lindona!

      Excluir
  17. A capa é linda e é pra ser lido sem preconceito, de mente aberta! Uma ótima dica pra leitura da semana.

    ResponderExcluir
  18. Vi poucas resenhas do livro, a maioria elogiando, mas não sinto vontade de ler. Não sei explicar bem o porquê, só acho que não vai rolar e ponto. Que bom que vc gostou. A capa é bem bonita, gostei à beça.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flor!
      Aqui foi a primeira resenha dele que saiu, espero que saiam muitas e muito positivas! Quem sabe um dia vc não se anima? Adoro a capa também!
      Beijos

      Excluir
  19. Não conhecia esse livro, mas depois da sua resenha quero muuuito lê-lo! Nunca li um livro de romance homoafetivo e acho que esse seria ótimo como o primeiro a ser lido :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Seria mesmo flor! Ele é sutil e muito bonito no quesito romance e no social é mais incrível ainda!
      Amei! Beijos

      Excluir
  20. Adorei a sua resenha! E realmente um tema polemico para a nossa sociedade, mas acho que deveriam ter muitos outros para quebrar esse preconceito da sociedade! Amor verdadeiro é valido em qualquer forma! :)
    Beijos
    www.salada-frutas.com.br

    ResponderExcluir
  21. Nossa!! Este livro trata de um assunto que ainda é tabu na nossa sociedade! Fiquei interessada no enredo :) Bjs!

    ResponderExcluir
  22. a historia do livro e mega instigante heim?
    uma quabra de tabus mesmo,bom foi o que entendi,um livro legal de se ler ne?
    ta na minha listinha
    mil bjsss
    www.zilandramakes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um ótimo livro! Muito legal mesmo de ler, Zi! <3
      Beijinhos

      Excluir
  23. nossa o livro parece ser muito bom mesmo,trata de um tema super atual e sua resenha foi super inspiradora,estou interessada e vou procurar por aqui...valeu muito pela dica

    ResponderExcluir
  24. Oi Paula,

    vi quando a autora lançou o livro e achei bem legal a história, contar essa voz, que às vezes é apagada ou silenciada.
    Parece ser um livro bastante emocionante e se tem lembranças da ditadura, com certeza algumas coisas fortes.

    Abraços,

    --
    Priscila Yume
    http://yumeeoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Pri!
      Tem partes bem marcantes e fortes!
      É um livro muito bom mesmo! Aprovado! ahah
      Beijos

      Excluir
  25. Amei a resenha do livro me interessei em compra lo
    www.portaldebeleza.com

    ResponderExcluir
  26. Adorei sua resenha! Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, fiquei super curiosa...
    Beijos

    Little Bit of Glamour

    ResponderExcluir
  27. Uma temática muito interessante, não conhecia ainda esse livro.
    Bjús, Cih
    http://quadrofeminino.com/

    ResponderExcluir
  28. Olá, que livro curtinho, espero que os acontecimentos não tenham
    acontecido muito rápido. Gosto muito do gênero, é um livro que não
    sabia de sua origem, mas gostei muito do que escreveu, sobre a narrativa
    bjs

    http://www.loveebookss.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Solange!
      Alguns acontecimentos foram rápidos, mais a passagem do tempo estava presente!
      Espero que leia! Obrigada! Beijos

      Excluir
  29. O tema do livro é polêmico mesmo, mas sua resenha ficou ótima!
    XoXo
    Mah
    http://mah-in-wonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Oieee, recebi este livro essa semana e estou com muita vontade de ler, a temática do livro me chamou muito a atenção, adoro ler este tipo de livro. A capa também é muito linda e merece destaque na estante rsrs. Tenho certeza que vou me emocionar bastante durante a leitura deste livro rs, Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Guss, a capa é muito bonita, e dentro ele também é bem trabalhado, gostei também que ele tem uma letra de bom tamanho! Espero a sua opinião!
      Beijos

      Excluir
  31. Oi Paula!
    Adorei a capa e com certeza é emocionante. Eu leria sim.
    Acho que preciso começar uma lista de livros que vejo nesses blogs, pq nossa, tem muita coisa boa!


    beijos!
    www.cinefilandobr.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Nina!!
      Fico muito feliz!! Espero sempre trazer boas dicas!
      Beijos <3

      Excluir
  32. Oi Paulinha, tudo bem?
    Eu conheci a autora no Evento Mochila Literária e lá ela contou um pouco do processo de criação da obra, que fez muita pesquisa, então, acredito que a parte da ditadura seja bem dura de se ler. Gostei de saber do dicionário de flores, achei super delicado. E fiquei arrasada com o fato da violência ser internalizada como uma banalidade.
    Percebi o quanto a leitura é forte e o quanto fez diferença para você. Sua resenha está tão intensa quanto o livro parece ser, o que não é novidade.
    Parabéns.
    beijinhos.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila! <3
      Amada, muito obrigada! Eu conversei um pouco com a autora sobre o processo de pesquisa, não pessoalmente - sua sortuda! Hhahah - mas foi bem tocante na leitura saber que aquilo era tudo real, baseado em história de vidas. Me emocionou e mexeu muito comigo. Espero que leia e goste flor!
      Beijos

      Excluir
  33. Oá Paula!
    Eu gostei muito da sua resenha e da sua empolgação em falar sobre ele, mas não gostei da temática do livro.
    Tive a oprtunidade de le-lo, mas não aceitei.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Su!
      Eu gostei muito! Cada um com seu estilo, né! Mas se um dia topar com ele, não deixe de ler!
      Beijinhos

      Excluir
  34. Olá Paulinha!
    Poxa! É uma resenha mais diferente da outra, sempre muito bem escrita e apaixonada. Adora a diversidade de suas leituras e as boas dicas! Adorei a capa desse livro, mais o que mais me chamou atenção foi os relatos sobre a ditadura que mencionou e a parte mais psicológica das personagens. Sem falar que são mulheres mais velhas também, achei legal o livro trazer personagens diferentes e também pela crítica social!
    Bem interessante, resenha perfeita e dica anotada!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fe!
      Vc resumiu muito bem a resenha com seu comentário, foi bem isso que eu quis passar. Somos todos muito diferentes, é muito difícil agradar a todos que vem aqui no blog, por isso procuro ler um pouquinho de tudo e trago para cá. É bom para mim, eu gosto de diversificar mesmo na escolha dos livros, esse foi um grande achado! Espero que leia e goste!
      Beijos e Obrigada!

      Excluir
  35. Em particular sou fã de livros que mostram mulheres com outros olhos - Olhos que as vêm como lutadoras, fortes, únicas, e choronas!
    Amei sua resenha, amei os quotes, e estou loucamente louco pra ganhar o livro! Quero muito aprender a revisitar minhas concepções, pois uma boa leitura desperta isso em nós.

    Beijos, e dedos cruzados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Emmanuel!
      Te desejo boa sorte e uma ótima leitura!!
      Beijos

      Excluir
  36. Não conhecia o livro nem a autora, gostei da resenha e fiquei com vontade de ler :)
    Adorei indo para o meu skoob.
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
  37. Vocês não tem noção do quanto estou louca por esse livro ♥

    ResponderExcluir
  38. Não conhecia esse livro, mas pelo que vc falou ele me pareceu interessante.
    beeijos
    http://cookierobsten.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  39. Não conhecia o livro, mas com a resenha achei a proposta dele bem legal. Gosto de estórias assim, que tratam de tabus, assuntos fortes e coisas que a sociedade muitas vezes reprime. Já li algumas resenhas de romances que vem surgindo sobre relacionamentos entre garotos, mas ainda não tinha lido uma que se tratasse sobre mulheres.
    Me senti muito anima para lê-lo devido aos teus comentário :)
    Não gostei muito da capa, achei estranha, sei lá, mas ainda assim que poder lê-lo um dia.
    Bjos

    ResponderExcluir